Engenheiro Paulo de Frontin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Educação

Município de Engenheiro Paulo de Frontin
"Rodeio"
Vista para o município

Vista para o município
Bandeira de Engenheiro Paulo de Frontin
Brasão de Engenheiro Paulo de Frontin
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 4 de outubro
Fundação 4 de outubro de 1963 (53 anos)
Gentílico fronteense, frontinense
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Soledade (15 de agosto)
Prefeito(a) Marco Aurélio Sá Pinto Salgado (PMN)
(2013–2016)
Localização
Localização de Engenheiro Paulo de Frontin
Localização de Engenheiro Paulo de Frontin no/em  Rio de Janeiro
Engenheiro Paulo de Frontin está localizado em: Brasil
Engenheiro Paulo de Frontin
Localização de Engenheiro Paulo de Frontin no Brasil
22° 33' 00" S 43° 40' 40" O22° 33' 00" S 43° 40' 40" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Metropolitana do Rio de Janeiro IBGE/2008 [1]
Microrregião Vassouras IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Centro-sul Fluminense
Municípios limítrofes Mendes, Miguel Pereira, Paracambi e Vassouras
Distância até a capital 85 km
Características geográficas
Área 139,008 km² [2]
Distritos Sacra Família do Tinguá
População 13 521 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 97,27 hab./km²
Altitude 395 m
Clima Tropical de Altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,722 (32º) – alto PNUD/2010 [4]
PIB R$ 114 673,046 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 8 735,66 IBGE/2008[5]
Página oficial
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades com este nome, veja Paulo de Frontin (desambiguação).

Engenheiro Paulo de Frontin é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro.

História[editar | editar código-fonte]

Igreja em Sacra Família do Tinguá.

A cidade nasceu de um entreposto comercial entre Minas Gerais e o Rio de Janeiro que se transformou na Vila de Rodeio,ponto convergente entre estes estados e São Paulo. A povoação floresceu no fim do século XIX com a construção da estrada de ferro que passou a cortar a vila.

Mais tarde, em 1943, passou a chamar-se Soledade de Rodeio, e em seguida (1946) Engenheiro Paulo de Frontin, em homenagem ao responsável pela duplicação da linha férrea, especialmente pelo Tunel 12 ou "Túnel Grande", que possui 2.245 metros de comprimento.

Entre outras obras do supracitado engenheiro, destaca-se a de abastecimento de água que, realizada em apenas 6 dias, salvou a cidade do Rio de Janeiro de uma grande seca, obra esta que contou com a participação do também engenheiro Raimundo Teixeira Belfort Roxo[6].

A 22 km da Rodovia Presidente Dutra (BR 116) e 85 km da capital, Engenheiro Paulo de Frontin, está situado na região Centro Sul do estado, na Serra do Mar, com riqueza ambiental e clima que lhe proporcionam qualidade de vida diferenciada, repleta de vida da Mata Atlântica, localizada no histórico Vale do Café. A região engloba ainda os municípios de Mendes, Miguel Pereira, Paty do Alferes, Vassouras, Barra do Piraí, Japeri e Paracambi, o que significa um PIB de R$ 2,7 bilhões e uma população de 368.000 pessoas (2008).

Ainda existem no Município muitas fazendas que foram construídas período do Ciclo do Café, e que nessa época produziam muitos doces, licores e outras iguarias. Mas que a com a assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1988, sofreram grandes agravos, incêndios e por fim se tornaram apenas fazendas históricas abertas à visitação dos turísticas que por aqui passam.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se na latitude 22º32'59" sul e longitude 43º40'42" oeste a uma altitude de 395 metros.

Sua área ocupa 139,48 km² e a população estimada em 2016 foi de 13 521 habitantes,[3] sua temperatura média anual é de 22 °C, com pluviosidade média de 1.480mm/ano.

O Município dista cerca de 85 km da capital e pertence à região Centro-Sul Fluminense (Microrregião de Vassouras).

É parte integrante da região turística do Vale do Café.

O município está dividido em três distritos: Engenheiro Paulo de Frontin (sede), Morro Azul do Tinguá (segundo distrito) e Sacra Família do Tinguá (terceiro distrito).

Educação[editar | editar código-fonte]

A principal instituição de educação profissional e superior do município é o IFRJ campus Eng. Paulo de Frontin, instalado no local onde outrora abrigou a Escola Rodolfo Fuchs (conhecido pela população local também como aprendizado, criada em 1939, que era destinada a menores em situação de vulnerabilidade social). A sede do campus do IFRJ, inaugurado em 2010, ocupa a antiga sede da fazenda da cachoeira com 60 alqueires possuindo uma área total de 3.261.540 metros quadrados. Atualmente o campus oferta os seguintes cursos públicos e gratuitos:

Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais: A primeira e única graduação em Jogos Digitais em toda a rede federal de ensino do país.

Curso Técnico em Informática para Internet: Forma técnicos para suportar as necessidades de Tecnologia da Informação e Comunicação, com foco em Internet.

Economia[editar | editar código-fonte]

O município possui cultura industrial, por meio de sua única indústria de médio porte, especializada em fabricação de artefatos de borracha, e outras indústrias de pequeno porte, com a especialidade de produção de fogos de artifícios, além de empresas de pequeno porte como: confecções, gráficas, divulgação, comunicação visual, gráficas, caixas de embalagem de joias finas, água mineral, produção de laticínios, doces artesanais, armações de guarda-sóis, entre outras. Com o advento da faculdade de jogos digitais, começam a se instalar pequenos estúdios de games indie. O município possui ainda histórico de baixa rotatividade em RH.

Possui potencial agrícola devido a abundância de água de excelente qualidade, porém, pouco explorado pois há uma grande área de Mata Atlântica intocada, que cobre aproximadamente 56% de todo território municipal.

Frontin Digital[editar | editar código-fonte]

O Frontin Digital, disponível nos distritos de Sacra Família do Tinguá e Morro Azul, desde 2016 a partir do Programa Cidades Digitais tem o objetivo de modernizar a gestão e o acesso aos serviços públicos nos municípios brasileiros. Para isso, construiu uma rede de fibras ópticas que possibilitam a conexão entre sua empresa, os órgãos públicos, e acesso da população a serviços de governo eletrônico e a espaços públicos de uso de internet.

O Frontin Digital é um anel de fibra óptica que interliga órgãos públicos locais, por meio de equipamentos, serviços de instalação, suporte técnico e capacitação da administração municipal. A sede da infraestrutura de acesso à internet do projeto Cidades Digitais está instalada no IFRJ campus Eng. Paulo de Frontin. O PEAS, Ponto de Enlace e Acesso Social será o ponto central da rede, é onde chega o backhaul e está instalada a SGI (Solução Gerenciadora da Infraestrutura), onde também estão instalados os servidores de armazenamento de conteúdo, gerenciamento da rede de acesso, controle de usuários (aplicação de políticas de acesso).

A rede também organizada em PAP, Pontos de Acesso Públicos, que são os pontos mais visíveis para acesso público da rede do Programa Cidades Digitais em Eng. Paulo de Frontin, terão um alcance, com visada direta a antena de 300 metros e estará disponível aos locais de interesse público, estes PAP serão o ponto divisor entre a sub-rede de acesso e a sub-rede de distribuição. Nele se considera a instalação do Access Point Outdoor. A quantidade de PAPs aumenta a cobertura Wi-Fi na cidade e, consequentemente, a cobertura da sub-rede de acesso. A sub-rede de acesso é considerada como sendo a partir dos PAP, atendida com Wi-Fi (IEEE 802.11b/g/n).

Silício Fluminense: O Vale dos Games[editar | editar código-fonte]

A incubadora Silício Fluminense - Incubadora de Jogos Digitais, Empreendimentos e Economia Criativa de Engenheiro Paulo de Frontin, é um conjunto de ações, geograficamente distribuídas, que operam de forma articulada e em consonância ao conceito da “Hélice Tripla de Etzkowitz” (Instituição de Ensino – Governo – Empresa) com sede no IFRJ campus Eng. Paulo de Frontin. Como unidade de negócios, se propõe a fomentar a pratica da economia criativa e da riqueza empresarial, com produtos e serviços das empresas associadas que serão apresentados ao mercado, principalmente os da cadeia consumidora nacional e internacional de produtos tecnológicos. A fonte dos recursos foi proveniente da FAPERJ (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro), sendo investidos mais de R$ 220 mil entre material permanente e equipamentos.

GDG Paulo de Frontin[editar | editar código-fonte]

Lançado pelos alunos do IFRJ campus Eng. Paulo de Frontin no dia 12 de março de 2016, o Google Developer Group (GDG) na unidade. Trata-se de um grupo de desenvolvedores que, de forma voluntária, se reúne para criar e realizar projetos, em áreas como Android e Web.

Proposto pelos estudantes, o desafio e principal objetivo do GDG Paulo de Frontin é criar projetos, desenvolver tecnologias, softwares e jogos digitais. Foram os próprios estudantes que se organizaram, realizaram a submissão da candidatura e conquistaram a aprovação.

Por todo o mundo, os GDGs são focados em desenvolvedores interessados em conhecer em profundidade as tecnologias desenvolvidas pela Google, tais como os estudantes e egressos do curso técnico em Informática para Internet, do Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais e dos cursos de Formação Inicial e Continuada - FIC, entre muitos outros. Android, App Engine, e plataformas do Google Chrome, para APIs de produtos como o Google Maps API, API do YouTube e API do Google Calendar servem como exemplo de tecnologias a serem estudadas pelos membros do GDG.

O capítulo GDG Paulo de Frontin pode assumir diversas formas, desde a mais simples, com alguns estudantes se reunindo para assistir ao vídeo com as mais recentes novidades em tecnologia (clique aqui e assista ao canal do GDG no YouTube), até grandes encontros com demonstrações, palestras ou minicursos técnicos na semana acadêmica do campus, eventos como sprints de código e hackathons, mostra de jogos, entre outras atividades. O GDG Paulo de Frontin é um grupo independente de usuários com interesse em tecnologias Google, e todo seu conteúdo é inteiramente independente da empresa norte-americana.

Legislação local para o setor dos Games[editar | editar código-fonte]

Lei dos Games

Apenas no silício fluminense seu negócio possui acesso as vantagens da primeira e única cidade do Brasil a possuir a lei dos games com benefícios exclusivos para você. Abaixo a lei que reduz ISS para empresas de jogos digitais, tecnologia de informação, comunicação e ‘call center’ na cidade de Eng. Paulo de Frontin:

Art. 1º - Fica o chefe do Executivo autorizado a isentar o pagamento de IPTU, ISS, Alvará de localização, Taxa de iluminação pública, por um período de seis anos, a todas as novas empresas que se instalarem no Município a partir da promulgação esta lei, podendo ocorrer até duas novas prorrogações de igual período, desde que atendidas as prerrogativas descritas no artigo 2º e 3º desta lei.

Parágrafo Único - As empresas regulares do ramo de tecnologia de informação, comunicação, ‘call center’ e jogos digitais, gozarão de 50% do benefício de redução de ISSQN concedidos às demais empresas, independentemente do cumprimento do critério de geração mínima de empregos prevista na reedição da Lei Municipal 503/96. Acesse a íntegra da lei: Lei municipal nº 1.122/2013.

Lei Geral

Abaixo a lei municipal nº 1.189 de 3 de dezembro de 2015, verá que aparece na lei geral do município abertura para incubadoras. No que tange ao estímulo à inovação:

Art. 51 O Executivo Municipal manterá programas visando ao desenvolvimento de inovações por microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte, inclusive através de incubadoras. § 1º Os programas de inovação executados pelo Poder Público Municipal deverão: I – garantir condições de acesso diferenciadas, favorecidas e simplificadas para microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte; II – fixar expressamente o montante disponível e suas condições de acesso nos respectivos orçamentos, com ampla divulgação. §2º Para consecução dos objetivos, a Prefeitura Municipal poderá celebrar convênios e outros instrumentos jurídicos específicos, com órgãos da Administração direta ou indireta, federal ou estadual, bem como com organismos internacionais, instituições de pesquisa, universidades, instituições de fomento, investimento ou financiamento, buscando promover a cooperação entre os agentes envolvidos e empresas cujas atividades estejam baseadas em conhecimento e inovação tecnológica.

Art. 52 O Município aplicará, no mínimo, 20% (vinte por cento) dos recursos destinados à inovação no desenvolvimento de tal atividade nas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. §1º Para efeito do caput deste artigo, poderão ser alocados recursos para criação e custeio de ambientes de inovação, incluindo incubadoras, parques e centros vocacionais tecnológicos, laboratórios metrológicos, de ensaio, de pesquisa ou apoio ao treinamento, bem como custeio de bolsas de extensão e remuneração de professores, pesquisadores e agentes de apoio tecnológico.

Lei estadual de redução ICMS

Com base no artigo 7º da lei estadual nº 5.636 de 6 de janeiro de 2010 que dispõe sobre política de recuperação industrial regionalizada, o município de Engenheiro Paulo de Frontin, está relacionado entre as cidades que conforme artigo 1º fica concedido, em caráter opcional, aos estabelecimentos industriais, regime especial de tributação e recolhimento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual ou Intermunicipal e de Comunicações - ICMS, nos termos e condições estabelecidas nos artigos desta Lei. Conforme artigo 3º no regime especial de tributação de que trata esta Lei, em substituição à sistemática de apuração de créditos e débitos fiscais, o imposto a ser recolhido corresponde à aplicação da alíquota de 2% (dois por cento) sobre o valor das operações de saídas por transferência e por venda, deduzidas as devoluções, vedado o aproveitamento de qualquer crédito fiscal.

Turismo[editar | editar código-fonte]

O maior potencial econômico da cidade é o turismo, pois ocupa uma região montanhosa de beleza magnífica. O clima é considerado um dos melhores do mundo com temperaturas amenas e chuvas suficientes ao longo de todo o ano. Há reservas de Mata Atlântica onde é possível visualizar animais silvestres em seu habitat natural, além de cachoeiras e lagos, o que rendeu a cidade, a partir de 1995, através de lei estadual, o cognome de "Cidade Verde". O município dispõe de uma rede hoteleira bem formada.

O pico do Lírio é uma montanha utilizada pelos amantes do radioamadorismo para a realização de contestes. Funciona neste local uma estação repetidora de radioamadores, com links excepcionais alcançando cidades em São Paulo e Espírito Santo. Também é onde se localizam as torres de retransmissão dos canais de televisão e de onde se pode ver, em noites de tempo bom, o Cristo Redentor no Morro do Corcovado, na cidade do Rio de Janeiro.

Segurança Pública[editar | editar código-fonte]

Segundo dados da SESEG/RJ - Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro, o município possui baixíssimo índice de violência, sendo o 2° menor de todo Estado do Rio de Janeiro, o que fortalece a qualidade de vida com toda segurança.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. a b «Estimativas da população residente no Brasil e Unidades da Federação com data de referência em 1 de julho de 2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 12 de setembro de 2016. Consultado em 12 de setembro de 2016. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 29 de Julho de 2013.. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  6. Eloy dos Santos. «Saiba quem foi o engenheiro Belford Roxo». O Globo. Consultado em 3 de abril de 2009. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]