Fossa oceânica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As fossas oceânicas ou abissais são as regiões mais profundas dos oceanos, são zonas do encontro entre placas tetónicas, onde uma dessas placas mergulha sob a outra.[1]

Essas regiões são caracterizadas pela ausência total de luz e por uma pressão insuportável para a maioria dos seres vivos e temperaturas muito baixas. O homem consegue atingi-las com o auxílio de um batiscafo. Essa zona "negra" é habitada principalmente por bactérias heterotróficas ou quimiotróficas e seres necrófagos, que se alimentam de uma chuva constante de restos de seres vivos, detritos orgânicos e cadáveres que se depositam no fundo, bem como predadores. Os habitantes dos fundos marinhos incluem esponjas, anêmonas-do-mar, bem como uma variedade de peixes cegos, alguns com filamentos fluorescentes que podem atrair potenciais presas.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

A fossa oceânica mais profunda da Terra é a Fossa das Marianas, a leste das Filipinas. Outras fossas oceânicas conhecidas são:

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]