Gabriel Terra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Luis Gabriel Terra Leivas
José Luis Gabriel Terra Leivas
26Presidente do Uruguai
Período 1 de março de 1931
até 19 de junho de 1938
Vice-presidente César Charlone
(1934-1938)
Antecessor(a) Juan Campisteguy
Sucessor(a) Alfredo Baldomir
Dados pessoais
Nascimento 1 de agosto de 1873
Montevidéu, Uruguai
Morte 15 de setembro de 1942 (69 anos)
Montevidéu, Uruguai
Nacionalidade Uruguai Uruguaio
Alma mater Universidade da República
Cônjuge María Marcelina Ilarraz Miranda
Partido Flag of Colorado Party (Uruguay).svg Partido Colorado
Profissão Advogado e político

José Luis Gabriel Terra Leivas (Montevidéu, 1 de agosto de 1873 — Montevidéu, 15 de setembro de 1942) foi um advogado e político uruguaio. Exerceu a presidência do Uruguai entre 1931-1938[1].

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Gabriel Terra nasceu em 1873, em uma família de classe alta. Formou-se na Universidade da República no Uruguai, em 1895. Posteriormente entrou para a faculdade.

Começou a carreira política sendo membro do Partido Colorado; exerceu uma ampla gama de cargos no governo de seu antecessor, José Batlle. De 1925 em diante, foi o Ministro da Indústria e do Emprego.

Seus dois sobrinhos, Horácio Terra Arocena e Juan Pablo Terra (sobrinho-neto) serviram, respectivamente, como: senador, o primeiro[2]; deputado e senador, o segundo.

Presidência[editar | editar código-fonte]

Chegou ao poder em 1931, com a escolha de sua pessoa pelo congresso, em 1930, para governar durante o período de 1931 a 1935. Mas em 31 de março de 1933, com o apoio do exército, da maioria Partido Nacional (pela liderança de Luis Alberto de Herrera) e da polícia (sob a liderança de Alfredo Baldomir, seu irmão) deu um golpe de estado. As ações decorrentes do golpe foram: Suspensão do Congresso, e dissolução do Conselho Nacional de Administração (cuja criação em 1929, foi com o objetivo de fornecer freios e contrapesos), a seguir ouve a abolição da constituição como um todo, e a fusão dos poderes da presidência e do estado. Ditadura Terra foi a nomenclatura utilizada para denominar o período iniciado pelo golpe.

Em 1934, uma nova constituição foi criada por ele, e ele mesmo foi eleito presidente e ficou no cargo até 1938.

César Charlone foi vice-presidente de Terra de 1934 a 1938.

Terra, de forma predominante, governou ditatorialmente e colocou profissionais universitários na prisão, especialmente, na Isla de Flores, onde aprisionou seus adversários políticos. Apesar disso tudo, continuou as reformas socialistas iniciadas por seu antecessor, Juan Campisteguy. Suprimiu de forma brutal, uma revolta contra ele em 1935. Após 1933, Terra tornou-se mais revelador no âmbito político, dentro de seu Partido Colorado. Seu principar adversário político foi Dr. Luis Alberto de Herrera (para muitos considerado colega de Terra no âmbito pessoal), do Partido Nacional.

Houve o rompimento com Stalin e Franco, ao mesmo tempo que conheceu Roosevelt e o Governo Britânico, endividando-se com eles. Tempos depois, tornou-se amigo íntimo de Hitler e Mussolini. Os dois emprestaram-lhe dinheiro sem retorno para que construísse "Ricón del Bonete" barragem hidroelétrica, e a "Power Plant".

[3]

Precedido por
Juan Campisteguy
Presidente do Uruguai
1931 - 1938
Sucedido por
Alfredo Baldomir

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gabriel Terra

Referências