Grande Oriente Paulista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde junho de 2018). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Grande Oriente Paulista
Lema Soberania, lealdade
Fundação 1981
Jurisdição São Paulo
Location Brasil
Website Grande Oriente Paulista



No dia 04 de agosto de 1981, nascia o Grande Oriente Paulista, pela livre manifestação e vontade dos Obreiros de 58 Lojas Maçônicas, advindas do GOB, e que assinaram a Ata de Fundação. Alguns dias após, somaram-se outras Oficinas, num total de 67 Lojas.

Constituindo-se, desde seu nascedouro, como uma Potência Maçônica Simbólica, independente, soberana, regular, legal e legítima, o Grande Oriente Paulista é filiado à COMAB – Confederação Maçônica do Brasil, entidade nacional que traz em si uma conduta voltada aos mais elevados princípios de essencialidade e existencialidade.

O Grande Oriente Paulista, é também filiado à CMI – Confederação Maçônica Interamericana, entidade internacional que congrega 78 Potências Regulares reconhecidas como tais, da América Latina e Europa, e que se identificam pelo Ideal Universalista Franco-Maçônico.

Ao longo de sua história, o Grande Oriente Paulista reconhece e apoia e participa de inúmeras entidades Paramaçônicas como a Ordem DeMolay, Ordem Internacional das Filhas de Jó, Ordem Internacional do Arco Iris para Meninas, Moto Clube Bodes do Asfalto, Lowtons e Shriners International.

Fundado o Grande Oriente Paulista em 1981 por 58 Lojas, ativas e regulares advindas do Grande Oriente do Brasil, e promulgada sua constituição em 1983, foi instalada uma junta governativa no período de 1983 a 1984, cujo presidente foi o Irmão JOSÉ FREDERICO ZANINI.

A partir do ano de 1984 ocorrem as eleições gerais no GOP, passando a ocupar o cargo de Grão-Mestre do Grande Oriente Paulista os seguintes Sereníssimos Irmãos:

1984 a 1989   José Frederico Zanini

1989 a 1995   José Mattos Silva

1995 a 2001   Arnaldo Faria

2001 a 2004   José Mattos Silva

2004 a 2007   Durval de Oliveira

2007 a 2010   José Maria Dias Neto

2010 a 2013   Jurandir Alves de Vasconcelos

2012 a 2013   Paulo de Tarso Carletti, em substituição no período eleitoral.

2013 a 2016   Jurandir Alves de Vasconcelos

Na Atual Gestão de 2016 a 2019, ocupa o Grão-Mestrado do Grande Oriente Paulista o Sereníssimo Irmão Pascoal Marracini tendo como seu adjunto o Sereníssimo Irmão Fernando Fernandes.

Atualmente o Grande Oriente Paulista é composto por 300 Lojas Simbólicas, com cerca de 9.000 Irmãos Maçons, trabalhando sob as regras de sete ritos maçônicos (REAA, Emulação, Moderno, York, Brasileiro, Adonhiramita e Schröder).

Além das Confederações Maçônicas do Brasil e Interamericana, mantêm Tratados, de amizade e mútuo reconhecimento, com várias Potências Maçônicas, regulares, da Argentina, Armênia, Bolívia, Chile, China, Equador, Estados Unidos, Guatemala, Haiti, Israel, Paraguai, México e Colômbia e mais recentemente com Porto Rico e República Dominicana. Também mantemos Tratados de Amizade e Mútuo Reconhecimento com a Grande Loja do Estado do Rio Grande do Sul e com a Grande Loja do Distrito Federal.

No Brasil, sempre zela pela harmonia e fraternidade com as Grandes Lojas Maçônicas que compõem a CMSB (Confederação da Maçônica Simbólica do Brasil) e com os Grandes Orientes Estaduais ligados ao Grande Oriente do Brasil.

Hoje, passados 36 anos da data de sua fundação, todos somos testemunhas de que a semente que foi plantada em terra fértil vicejou e se tornou uma grande árvore frondosa, que abriga sobre sua copa os Maçons do Estado de São Paulo.

Irmanados em um só ideal os obreiros, dedicados à construção de nosso Templo Interior, fazem do Grande Oriente Paulista uma Instituição Maçônica sólida, que cresce a passos largos com qualidade, ética e independência, sempre alicerçada na tríade Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CASTELLANI, José. A Cadeia Partida. Londrina: A TROLHA, 1973.
  • CASTELLANI, José. História do Grande Oriente do Brasil. Brasília: Gráfica e Editora do Grande Oriente do Brasil. 1993.
  • SOBRINHO, Octacílio Schüler. Uma Luz na História: a Formação e o Sentido da Comab. Florianópolis: Ed. Cultural O Prumo. 1998.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Maçonaria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.