Hugo Motta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hugo Motta
Deputado federal pela Paraíba
Período 1º de Fevereiro de 2011
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 11 de setembro de 1989 (30 anos)
João Pessoa, Paraíba
Progenitores Pai: Nabor Wanderley
Partido PMDB (2005–2018)
PRB (3 de abril de 2018–presente)[1]
Profissão Politico

Hugo Motta Wanderley da Nóbrega (João Pessoa, 11 de setembro de 1989) é um médico e político brasileiro filiado ao PRB. É deputado federal pelo estado da Paraíba.

Foi o deputado mais jovem da história do país ao se eleger, aos 21 anos, nas eleições de 2010 com 86.150 votos.

É filho de Nabor Wanderley da Nóbrega Filho e Ilanna Araújo Motta.

De família tradicionalmente ligada à política, é neto de Nabor Wanderley, avô paterno, que foi prefeito do município de Patos, no Sertão da Paraíba, de 1956 a 1959. Também político, o avô materno, Edivaldo Fernandes Motta, foi eleito deputado estadual por cinco vezes e por duas vezes deputado federal, e Francisca Motta, avó materna, foi deputada estadual por cinco mandatos e eleita prefeita de Patos nas eleições de 2012 . O pai, Nabor Wanderley da Nóbrega Filho, foi prefeito do mesmo município por dois mandatos consecutivos, de 2005 a 2012.

Parlamentar[editar | editar código-fonte]

Hugo Motta é o autor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/2011, transformada na Emenda Constitucional 82, que cria a carreira de agentes de trânsito no sistema de segurança pública e estabelece que a segurança viária compreende educação, engenharia e fiscalização de trânsito, com o objetivo de garantir ao cidadão o direito à mobilidade urbana eficiente. A EC dá caráter constitucional à competência dos órgãos e agentes de trânsito, estruturados em carreira, nos estados, no Distrito Federal e nos municípios.

Outra proposto de autoria de Hugo Motta é a PL 1496/2011, que autoriza a criação da Universidade Federal do Sertão, com sede no município de Patos (PB).

Entre os projetos apresentados pelo deputado federal Hugo Motta destacam-se ainda o PL 7467/2014, que assegura ao portador de Diabetes Melito Insulinodependente o direito de concorrer às vagas reservadas a pessoas com deficiência em concursos públicos da administração pública federal, e o PL 1569/2011, que trata da obrigatoriedade de os computadores comercializados no Brasil com benefícios fiscais do Programa de Inclusão Digital do Governo Federal disporem de sistemas que permitam seu uso por portadores de deficiência visual.

Com o Projeto de Lei 2224/11, também de sua autoria, Hugo Motta propôs tornar obrigatória a oferta de acesso gratuito à internet pelas empresas aéreas no interior de terminais aeroportuários de cidades com mais de 500 mil habitantes.

A atuação de Hugo Motta em conjunto com o senador paraibano Vital do Rêgo (PMDB) resultou na construção do Canal do Frango, uma obra de macrodrenagem urbana orçada em R$ 27,4 milhões e que beneficia cerca de 5.445 famílias, considerada uma das mais importantes obras na história de Patos.

Em fevereiro de 2014, Hugo Motta foi escolhido para presidir a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC), uma das mais importantes da Câmara Federal, da qual já era membro titular desde 2012.

Hugo Motta é presidente da Juventude do PMDB da Paraíba desde dezembro de 2011.

Em 2015, Motta presidiu a CPI da Petrobras.[2]

Foi reeleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019). Votou a favor da admissibilidade do processo de impeachment de Dilma Rousseff.[3] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[3] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[3][4] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[3][5]

Mensagens interceptadas pela PF[editar | editar código-fonte]

Em 2012, o ex-deputado Eduardo Cunha mandou mensagem para o deputado paraibano atuar em nome dele. No relatório da Polícia Federal diz que Cunha estaria supostamente utilizado Hugo Motta "para interceder na mp 561. Na mensagem Cunha digitou o seguinte: “Vou pôr uma emenda para vc assinar que é do veto da 561”; Motta responde:“Ok, aguardo. Abs!!!”.[6]

Num outro momento, uma assessora de Eduardo denominada Claudia Medeiros mandou para o chefe um e-mail contando uma minuta de requerimento e o pergunta sobre a viabilidade de envio ao deputado paraibano para assinatura. A mensagem é de agosto de 2012, com o seguinte conteúdo: “Posso mandar para o Hugo Motta assinar?????”. O requerimento era para o Ministério de Minas e Energia passar informações sobre a parceria da Petrobras Bio Combustível com a Açúcar Guarani SA e o Grupo Tereos. De acordo com a PF, o requerimento foi enviado apenas para Hugo Motta assinar. Hugo alegou que não se lembrava especificamente do assunto, mas que era comum conversar com os colegas sobre atividade parlamentar.[6]

Referências

  1. «Hugo Motta anuncia que a eleição proporcional é a sua prioridade no PRB/PB». paraibaonline.com.br. 4 de abril de 2018. Consultado em 6 de abril de 2018 
  2. «Líder do PMDB confirma Hugo Motta como presidente da CPI da Petrobras». Câmara dos Deputados. 23 de fevereiro de 2015. Consultado em 11 de março de 2016 
  3. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  4. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  5. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  6. a b «Mensagens de Eduardo Cunha para Hugo Motta foram interceptadas pela PF». Resumo PB. 7 de agosto de 2017. Consultado em 23 de agosto de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]