Irene Flunser Pimentel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Irene Flunser Pimentel
Nascimento 2 de maio de 1950 (67 anos)
Lisboa,  Portugal
Alma mater Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

Prémios Prémio Pessoa (2007)

Prémio Máxima de Literatura (2008, 2012)
Prémio Seeds of Science (2009)

Género literário História
Magnum opus História das Organizações Femininas no Estado Novo

Irene Flunser Pimentel (Lisboa, 2 de maio de 1950) é uma historiadora portuguesa dedicada ao estudo do período contemporâneo de Portugal[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Investigadora do Instituto de História Contemporânea[2], é licenciada em História, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, mestre e doutora em História Institucional e Política do Século XX, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Foi galardoada com o Prémio Pessoa em 2007.

Em 2012, recebeu o Prémio Máxima de Literatura na categoria de Ensaio por A Cada Um o Seu Lugar.

Foi condecorada com a Legião de Honra em maio de 2015.

Algumas obras[editar | editar código-fonte]

  • História das Organizações Femininas do Estado Novo (2000)
  • Judeus em Portugal durante a Segunda Guerra Mundial. Em fuga a Hitler e ao Holocausto (2006)
  • Vítimas de Salazar. Estado Novo e Violência Política (co-autoria com João Madeira e Luís Farinha) (2007)
  • A PIDE/DGS. 1945-1974 (2007)
  • Cardeal Cerejeira. O Príncipe da Igreja (2010)
  • A Cada Um o Seu Lugar. A política feminina do Estado Novo (2011)
  • Salazar, Portugal e o Holocausto (co-autoria com Cláudia Ninhos) (2012)
  • Espiões em Portugal Durante a II Guerra Mundial (2013)
  • História da Oposição à Ditadura (1926-1974) (2014)

Diversos artigos científicos e colaborações em enciclopédias, obras colectivas e programas audiovisuais.

  • O Comboio do Luxemburgo (2016) com Margarida de Magalhães Ramalho

Referências