Jequitinhonha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Jequitinhonha (desambiguação).
Município de Jequitinhonha
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 29 de setembro de 1811
Gentílico jequitinhonhense
CEP 39960-000
Prefeito(a) Iracilda Dias da Silva (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Jequitinhonha
Localização de Jequitinhonha em Minas Gerais
Jequitinhonha está localizado em: Brasil
Jequitinhonha
Localização de Jequitinhonha no Brasil
16° 26' 02" S 41° 00' 10" O16° 26' 02" S 41° 00' 10" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Jequitinhonha IBGE/2008[1]
Microrregião Almenara IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Medina, Itaobim, Pedra Azul, Almenara, Rubim, Joaíma, Felisburgo e Ponto dos Volantes
Distância até a capital 690 km
Características geográficas
Área 3 514 km² [2]
População 25 365 hab. Est. IBGE/2015[3]
Densidade 7,22 hab./km²
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,668 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 107 661,581 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 327,41 IBGE/2008[5]
Página oficial

Jequitinhonha é um município do estado de Minas Gerais, no Brasil. Sua população estimada em 2015 era de 25.365 habitantes.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Etimologia da palavra Jequitinhonha, encontrada no jornal A Voz do Serro, de 31 de janeiro de 1913.

"A despeito do estado em que se encontra, extraímos um trecho da matéria Indigenismos, do Serrano Pristino (Dario Augusto Ferreira da Silva), onde se vê a etimologia da palavra Jequitinhonha, a mais convincente das que vimos até o momento. Ele decompõe o nome do rio desta forma: jiqui-itá-hy-nhonha. Onde jiqui é jequi, armadilha para pegar peixes, ou "covo afunilado tecido de taquaras, o qual, cheio de iscas se lança no rio com o fim de se apanhar peixes vivos". O nome jequi, por sua vez, vem i-ique-i - "o em que se entra". Itá é partícula designativa de plural, que transforma jequi em jequis. Hy, que se pronuncia aspirado, mais para "ri" que para "i", significa rio, e nhonha é sumir. Logo Jequitinhonha é o rio em que os jequis somem, por estarem pesados com os peixes capturados. Esse significado concorda com a etimologia popular que formou o híbrido no jequi tem onha, onde onha é peixe, logo no jequi tem peixe."

História[editar | editar código-fonte]

Os antigos habitantes da região eram os índios maxacalis, também chamados patascos, que habitavam as povoações de Aldeias e Faranchos, situadas 3 e 36 quilômetros da atual sede do município, respectivamente. As terras do atual município de Jequitinhonha estiveram ligadas, durante o século XVIII, à antiga comarca do Serro Frio e, depois, ao município de Minas Novas. O povoado que deu origem à atual cidade surgiu no ano de 1811, pelo alferes Julião Fernandes Taborda Leão, que recebera ordens da coroa portuguesa de proteger o rio Jequitinhonha, que se supunha ser rico em diamantes. Com isso, se iniciaram as primeiras plantações e criações de gado na região. O nome inicial da povoação foi Sétima Divisão Militar de São Miguel, pois o fundador chegou ali no dia de são Miguel. Depois, o nome foi alterado para freguesia de São Miguel da Sétima Divisão; Vila de Jequitinhonha; e, finalmente, Jequitinhonha.[6] A sede municipal de Jequitinhonha conserva, até hoje, algumas construções do século XIX, mas o conjunto mais representativo é do início do século XX, com casas nos estilos colonial, neoclássico e eclético.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Jequitinhonha, com uma área de 3 526 km e população de 22 855 habitantes, sendo 16 837 na zona urbana e 7 357 na zona rural, situa-se no nordeste do Estado de Minas Gerais e está inserido na região denominada "Vale do Jequitinhonha", precisamente no Baixo Jequitinhonha, onde participa, juntamente com outros municípios, da Associação dos Municípios do Baixo Jequitinhonha.

Fica localizada a 685 km de Belo Horizonte, às margens do Rio Jequitinhonha. As principais fontes de economia são pecuária de corte e agricultura de subsistência.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O Rio Jequitinhonha, com a sua beleza, bem como com sua praia, sempre atraiu banhistas de toda a região e capital, principalmente nos carnavais. Contando ainda com a Mata Escura, uma grande reserva biológica.

Cultura, Esporte e preservação[editar | editar código-fonte]

Possui, o vale do Jequitinhonha uma ampla e rica cultura, contando com poetas, músicos e artesãos de grandes habilidades artísticas. As festas mais famosas são o carnaval, aniversário da cidade e as tradicionais festas juninas.

No esporte, destaca-se o basquetebol, voleibol, Handebol, futsal entre outros, que são praticados por jovens e adultos e muito amplamente divulgados em escolas e feiras.

Turismo[editar | editar código-fonte]

No lazer, Jequitinhonha conta com os clubes AABB, ASDERJE, Clube Campestre Jequitinhonha . Tem também um Estádio de futebol, o Mineirinho e um Ginásio Poliesportivo que oferecem aos desportistas um espaço para prática de diversas modalidades esportivas. Dentre as praças, destaca-se a Praça Virgem da Lapa (Pça. da Matriz), Praça da Bandeira no bairro Unicampo, Praça Padre Emereciano e a Praça do bairro Alvorada.

Em épocas festivas como carnaval a cidade se torna muito atrativa reunindo inúmeras pessoas de toda a parte do estado e dos estados de São Paulo, Espírito Santo, Distrito Federal e da Bahia.

Destacam-se, no Carnaval, o grande número de blocos carnavalescos, principalmente o Kambaliandos (maior da cidade) e Cordão do Calango (domingo de Carnaval) e o Bloco da Mulinha, na segunda-feira.

A quantidade de pessoas que visitam a cidade em épocas festivas é muito grande, chegando mais que o dobro da própria população urbana.

A feira livre acontece na quarta, sexta-feira e aos sábados, onde moradores da zona rural expõem seus produtos, como: mandioca, farinha, goma, milho, doces, hortaliças, verduras, frutas e produtos artesanais: panela e potes de barro, colher de pau, peneira, cestos.

Política[editar | editar código-fonte]

01 - OLINTO MARTINS (1911-1912)

02 – Cel. CLEMENTE FRANCO (1912-1915)

03 – ACÚRCIO DA CUNHA PEIXOTO (1915-1919)

04 – ANTERO SENA (1919-1922)

05 – MÁRIO MARTINS DA SILVA (1923-1926)

06 – JOAQUIM ANTÔNIO GUIMARÃES (1927-1930)

07 – ANTÔNIO JUSTINO PEREIRA (1931)

08 – ANTÔNIO PEIXOTO DE LUCENA (1931-1937)

09 – HILDEBRANDO MARTINS DA SILVA (1937-1946)

10 – LAMBERTO SILVÉRIO PEREIRA (1947-1951)

11 – ANTÔNIO IZIDORO FREIRE MURTA (1951-1955)

12 – HENRIQUE HEITMANN (1955 – 03 MESES)

13 – BENJAMIM DA SILVA GUIMARÃES (1955-1959)

14 – EPAMINONDAS RAMOS DA SILVA (1959-1963)

15 – ANTÔNIO ISIDORO PEREIRA MURTA (1963-1967)

16 – NICANOR ANTUNES DE OLIVEIRA (1967-1971)

17 – AURORA MARTINS DE ARAÚJO (1971-1973)

18 – MÁRCIO CUNHA MELO (1973-1977)

19 – ANTÔNIO SILVÉRIO PEREIRA (1977-1983)

20 – DATIVO BOTELHO DE AGUILAR (1983-1989)

21 – HENRIQUE FREDERICO HEITMANN DE ABREU (1989-1992)

22 – JOSÉ HERTZ CARDOSO (1993-1997)

23 – ANTÔNIO BERNARDINO GUIMARÃES MURTA (1997-2000)

24 – HENRIQUE FREDERICO HEITMANN DE ABREU (2001-2004)

25 – ROBERTO ALCÂNTARA BOTELHO (2005-2008)

26 – ROBERTO ALCÂNTARA BOTELHO (2009-2012)

27 – IRACILDA DIAS DA SILVA (2012-2016)

Educação[editar | editar código-fonte]

- 01 Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio com 1500 alunos

- 02 escolas de 5ª a 8ª séria com 900 alunos

- 01 escola de ensino médio particular com autorização para funcionar cursos de qualificação profissional;

- 01 centro supletivo (CESEC);

- ULBRA – Universidade Luterana do Brasil - Pólo Jequitinhonha

- Colégio Pirâmide: Cursos Técnicos.

- 07 escolas estaduais de ensino de 1ª a 4ª série;

- 02 pré-escolares e ensino fundamental particulares com 200 alunos.

- Projetos Públicos de ensino de jovens e adultos nas zonas urbana e rural.

- Biblioteca Pública municipal.

- 02 telecentros.

- 01 CVT - Centro Vocacional Tecnológico (Regional).

Saúde[editar | editar código-fonte]

A saúde do município de Jequitinhonha é contemplada com um Hospital São Miguel de Jequitinhonha, um hospital com atendimento médico e odontológico, oito postos de saúde e algumas clínicas particulares. Conta também com um Centro de Referência Viva Vida (programa que visa dimunuir mortalidade materno-infantil) e um Centro Hiperdia (programa que atende diabéticos e hipertensos). O município conta com o serviço de várias especialidades da saúde.

Economia[editar | editar código-fonte]

Em suas atividades econômicas, destacam-se, principalmente, o comércio, a agricultura, a fruticultura, dando ênfase ao plantio de banana e a pecuária.

Possui um aeroporto, quatro agências bancárias, hospital, postos de saúde, campo de futebol iluminado, três hotéis, assistência técnica em aparelhos eletrônicos (Eletrônica Souza),loja de materiais de construção e marmoraria com grande quantidade de mármores e granitos, três clubes de lazer, parque de exposição, quadra poliesportiva, correios, junta militar, escolas públicas e particulares, o Jornal Informativo Jequitinhonha, a Rádio Santa Cruz, 16.705 eleitores, o Instituto Educacional de Jequitinhonha, Instituto Pirâmide, a ACAJE - Associação Comercial de Jequitinhonha, o Sindicato dos Trabalhadores e Produtores Rurais.

O Vale do Jequitinhonha tem um alto potencial energético, uma grande fertilidade no seu solo, extensas plantações de eucalipto e elevada produção de frutas. É um grande pólo fruticultor privado, com investimento em alta tecnologia de irrigação (por microaspersão), com o cultivo de quatrocentos hectares de bananeiras irrigadas, coordenados por um grupo de fruticultores que criaram a Associação dos Produtores de Fruticultura Irrigada de Jequitinhonha. A produção da associação é comercializada nos grandes centros consumidores do Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte, dentre outras cidades.

Em Jequitinhonha, há também uma ativa produção de coco anão, mangas, produção de cachaça (aguardente de cana), produção de mel de abelhas, dentre outras culturas, como também, um setor pecuário bastante desenvolvido.

Afora essas condições, a cidade de Jequitinhonha, especialmente, possui um rico casario edificado no início do século vinte, que se caracteriza por um conjunto arquitetônico eclético de rara beleza e esplêndida harmonia. No território do município, nas imediações do Povoado do Caju encontra-se ainda inexplorado um rico sítio rupestre. Recentemente grande parte do território do município, situado na margem esquerda do Rio Jequitinhonha foi declarada pelo Governo Federal como área de utilidade pública para fins de implantação da Reserva Florestal da Mata Escura, intocado pedaço da Mata Atlântica, com mais de 50 000 hectares. Essa reserva abriga uma rica fauna e se constitui na segunda concentração de floresta de pau-brasil ainda existente no País.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de referência em 1º de julho de 2015» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 10 de janeiro de 2016. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  6. Jequitinhonha. Disponível em http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/minasgerais/jequitinhonha.pdf. Acesso em 29 de maio de 2015.

8.Coronel Mário Martins Da Silva. Disponivel em https://www.achetudoeregiao.com.br/mg/Jequitinhonha/localizacao.htm

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.