Joyce Carol Oates

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Joyce Carol Oates
Joyce Carol Oates em 2014
Nascimento 16 de junho de 1938 (82 anos)
Lockport, Nova York, Estados Unidos
Nacionalidade norte-americana
Alma mater
Ocupação Escritora
Prémios
Gênero literário Romance, conto, realismo psicológico
Magnum opus Jack of Spades (2015)

Joyce Carol Oates, também conhecida por "JCO" (Lockport, 16 de junho de 1938), é uma proeminente escritora norte-americana.

Agraciada com os prêmios norte-americanos National Book Award e o The Pen/Malamud Award for Excelllence in Shoort Fiction, é membro da Academia Americana de Artes e Letras e titular de cátedra na Universidade de Princeton, Nova Jersey, onde leciona desde 1978.

É tida por vezes como uma das personalidades favoritas ao prêmio Nobel da Literatura, surgindo em diversas listas de finalistas veiculadas pela imprensa.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Joyce nasceu na cidade de Lockport, no estado de Nova Iorque, em 1938. Era a mais velha entre os três filhos de Carolina Bush, dona de casa de família húngara, e Frederic James Oates, fabricante de ferragens. Cresceu na fazenda da família, longe da agitação da cidade.[2]

Seu irmão Fred Jr. nasceu em 1943, e sua irmã Lynn Ann, com autismo severo, nasceu em 1956.[2] Sua avó materna, Blanche, morava com a família, de quem Joyce era muito próxima.[2][3] Após a morte da avó, Joyce soube que seu bisavô cometeu suicídio e que ela tinha ocultado sua ascendência judia. A inspiração na vida da avó criou o livro The Gravedigger's Daughter (2007).[3]

Seu interesse pela literatura começou cedo. Lembra-se que um de seus primeiros livros foi um presente da avó Blanche, Alice no País das Maravilhas, obra que inspiraria sua carreira. Na adolescência, devorou as obras de Charlotte Brontë, Emily Brontë, Fyodor Dostoevsky, William Faulkner, Ernest Hemingway e Henry David Thoreau, também grandes influências na escrita.[4][5] Joyce começou a escrever aos 14 anos, quando sua avó lhe presenteou com uma máquina de escrever.[3]

No ensino médio, começou a estudar em escolas maiores do centro da cidade e em 1956 trabalhou no jornal da escola. Joyce foi a primeira pessoa da família a concluir o ensino médio e depois a ir para a universidade.[6]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Joyce ingressou na Universidade de Syracuse, onde se formou em Literatura Inglesa em 1960.[3][4] Publicou o seu primeiro livro em 1963 e desde então mais de quarenta livros, entre eles novelas e peças de teatro, e muitos volumes de pequenos contos, poesia e ensaio não ficcional. Foi muito premiada pela sua escrita, tendo vencido o National Book Award,[7] pela sua novela them (1969), dois prémios O. Henry, e uma National Humanities Medal. As suas obras de ficção Black Water (1992), What I Lived For (1994), e Blonde (2000) foram nomeadas para o Prémio Pulitzer.[3][4]

Joyce é professora na Universidade de Princeton desde 1978 e é a docente número 52 da cátedra Roger S. Berlind em Ciências Humanas, no programa de escrita criativa.[8]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

  • With Shuddering Fall (1964)
  • A Garden of Earthly Delights (1967)
  • Expensive People (1968)
  • them (1969)
  • Wonderland (1971)
  • Do with Me What You Will (1973)
  • The Assassins: A Book of Hours (1975)
  • Childwold (1976)
  • Son of the Morning (1978)
  • Cybele' (1979)
  • Unholy Loves (1979)
  • Bellefleur (1980)
  • Angel of Light (1981)
  • A Bloodsmoor Romance (1982)
  • Mysteries of Winterthurn (1984)
  • Solstice (1985)
  • Marya: A Life (1986)
  • You Must Remember This (1987)
  • American Appetites (1989)
  • Because It Is Bitter, and Because It Is My Heart (1990)
  • Foxfire: Confessions of a Girl Gang (1993)
  • What I Lived For (1994)
  • Zombie (1995)
  • We Were the Mulvaneys (1996)
  • Man Crazy (1997)
  • My Heart Laid Bare (1998)
  • Broke Heart Blues (1999)
  • Blonde (2000)
  • Middle Age: A Romance (2001)
  • I'll Take You There (2002)
  • The Tattooed Girl (2003)
  • The Falls (2004)
  • Missing Mom (2005)
  • Black Girl / White Girl (2006)
  • The Gravedigger's Daughter (2007)
  • My Sister, My Love (2008)
  • Little Bird of Heaven (2009)
  • A Fair Maiden (2010)
  • A história de uma Viúva (2013)
  • Mulher de Barro (2015)

Referências

  1. Público online. «Dizem as apostas que Murakami volta a ser o favorito ao Nobel da Literatura». Público PT. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  2. a b c Aida Edemariam (ed.). «The new Monroe doctrine». The Guardian. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  3. a b c d e Jennifer Reese (ed.). «Joyce Carol Oates gets personal». Entertainment Weekly. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  4. a b c Oates, Joyce Carol (2003). The Faith of a Writer. [S.l.]: Dutton. ISBN 978-0060565541 
  5. Milazzo, Lee (1989). Conversations with Joyce Carol Oates. [S.l.]: University Press of Mississippi. ISBN 978-0878054121 
  6. Jane Kwiatkowski (ed.). «The Williamsville that Joyce Carol Oates Knew». The Buffalo News. Consultado em 6 de janeiro de 2020 
  7. "National Book Awards – 1970"
  8. «The Program in Creative Writing». Princeton.edu. Consultado em 6 de janeiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Joyce Carol Oates
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Joyce Carol Oates