Khalid Sheikh Mohammed

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Khalid Sheikh Mohammed
em árabe: خالد شيخ محمد
Khalid Shaikh Mohammed durante sua captura em 2003
Data de nascimento 01 de março de 1964 (55 anos) ou
14 de abril de 1965 (54 anos)[1]
Local de nascimento Baluchistão, Paquistão[2][3][4] ou Cidade do Kuwait, Kuwait[5][6]
Nacionalidade(s) paquistanês[1][2][3]
kuwaitiano

[6]
bósnio(obtida)[7]

Crime(s) Terrorismo, conspiração
Situação Aguardando julgamento
na Prisão de Guantánamo, Cuba
Preso em 1 de março de 2003
em Rawalpindi, Paquistão
pela Equipe conjunta da CIA e ISI

Khalid Sheikh Mohammed (algumas vezes também escrito Khalid Shaikh Mohammed; entre pelo menos 50 pseudônimos; nascido em 1 de março de 1964 ou 14 de abril de 1965) é um militante islâmico paquistanês mantido pelos Estados Unidos no campo de detenção da Baía de Guantánamo sob acusações relacionadas com o terrorismo. Ele foi nomeado como "o principal arquiteto dos ataques de 11 de setembro" no Relatório da Comissão do 11 de setembro.[2]

Sheikh Mohammed era supostamente membro da organização Al Qaeda de Osama bin Laden, liderando as operações de propaganda da al-Qaeda de 1999 até o final de 2001. Ele teria confessado aos agentes do FBI e da CIA um papel em muitas das conspirações terroristas mais significativas nos últimos vinte anos, mas o uso de tortura por seus interrogadores fez com que muitos questionassem certos aspectos de suas confissões.[8]

Mohammed foi capturado em 1 de março de 2003, na cidade paquistanesa de Rawalpindi, por uma operação combinada da Agência Central de Inteligência (CIA) dos EUA e do Inter-Serviços de Intelligencia (ISI) do Paquistão. Imediatamente após sua captura, Mohammad foi extraordinariamente extraditado a prisões secretas da CIA no Afeganistão, depois na Polônia, onde foi interrogado por agentes dos EUA.[9] Em dezembro de 2006, ele havia sido transferido para a custódia militar no campo de detenção de Guantánamo. Em março de 2007, depois de intensos interrogatórios, Mohammed confessou ter supostamente planejado os ataques de 11 de setembro, o atentado de Richard Reid para explodir um avião comercial, o atentado a bomba em Bali na Indonésia, o atentado de 1993 ao World Trade Center, o assassinato de Daniel Pearl e vários ataques frustrados, assim como numerosos outros crimes.[10] Ele foi acusado em fevereiro de 2008 de crimes de guerra e assassinato por uma comissão militar norte-americana no campo de detenção de Guantánamo, que poderia levar à pena de morte se fosse condenado.

Em 2012, um ex-promotor militar criticou o processo como insuportável devido às confissões obtidas sob tortura. Uma decisão de 2008 da Suprema Corte dos Estados Unidos também questionou a legalidade dos métodos usados ​​para obter tais admissões e a admissibilidade de tais admissões como prova em um processo criminal.[11]

Referências

  1. a b «Khalid Sheikh Mohammed Biography - Facts, Birthday, Life Story». The Biography Channel. Consultado em 14 de fevereiro de 2012 
  2. a b c Margot Williams (3 de novembro de 2008). «Guantanamo Docket: Khalid Shaikh Mohammed». The New York Times 
  3. a b «Khalid Sheikh Mohammed». Human Rights Watch 
  4. «Khalid Sheikh Mohammed Biography - Birthday, Photos». Who2.com. 11 de setembro de 2001. Consultado em 11 de julho de 2013 
  5. «Profile: Al-Qaeda 'kingpin'». BBC. 5 de maio de 2012. Consultado em 18 de setembro de 2015. Mohammed is believed to have been born in either 1964 or 1965 in Kuwait into a family originally from the Pakistani province of Baluchistan 
  6. a b «Khalid Shaikh Mohammed». NNDB. Consultado em 23 de fevereiro de 2012 
  7. «Bosnia: Senior Al-Qaeda figure granted citizenship, says report - Adnkronos Security». Adnkronos.com. 7 de abril de 2003. Consultado em 17 de julho de 2012 
  8. Truth and torture
  9. Khalid Sheikh Mohammed and the CIA
  10. Khalid Sheikh Mohammed: former military prosecutor denounces trial
  11. Why It Was a Great Victory
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.