Luís Carlos, Conde de Áquila

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luís Carlos
Conde de Áquila
Príncipe de Bourbon-Duas Sicílias
Príncipe Imperial Consorte do Brasil.
 
Cônjuge D. Januária de Bragança
Descendência Luís
Maria Isabel
Filipe
Mário
Casa Bourbon-Duas Sicílias
Nome completo
Luís Carlos Maria José de Bourbon e Duas Sicílias
Nascimento 19 de julho de 1824
Nápoles, Reino das Duas Sicílias
Morte 5 de março de 1897 (72 anos)
Paris, França
Pai Francisco I das Duas Sicílias
Mãe Maria Isabel de Bourbon

Luís Carlos Maria José, Conde de Áquila (Nápoles, 19 de julho de 1824Paris, 5 de março de 1897) foi o segundo filho do rei Francisco I das Duas Sicílias e de sua segunda consorte, Maria Isabel de Bourbon. Era irmão da imperatriz D. Teresa Cristina.

Luís Carlos de Bourbon-Duas Sicílias em 1825, autor desconhecido.

Casamento:[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de abril de 1844, Luís desposou D. Januária Maria de Bragança, a segunda filha de D. Pedro I do Brasil. Eles tiveram quatro filhos. De acordo com o Tratado de Casamento era considerado um membro da família imperial brasileira e detinha o tratamento de Sua Alteza Imperial.

"Art. II. Logo que se verifique o matrimonio, Sua Alteza Real o Príncipe D. Luiz Carlos Maria, Conde d'Aquila, esposo de Sua Alteza Imperial a Princesa Imperial do Brasil D. Januária Maria, será considerado como Príncipe da casa e da Família Imperial do Brasil, e gozará de todos os direitos e prerrogativas que pela Constituição do Império competem a tais Príncipes. Tomará o título de Príncipe Imperial, que atualmente pertence á sua futura Augusta Esposa; quando, porém, Sua Majestade o Imperador tiver descendência, os dois Augustos Esposos tomarão o titulo de Príncipe e Princesa do Brasil, conservando com tudo o Tratamento de Alteza Imperial." [1]

Luís tinha dons para pintura de marinhas, e uma de suas obras, Tempestade, que mostra pescadores e seus familiares ajudando vítimas de naufrágios, encontra-se hoje no Museu Imperial.[2]

Referências

  1. Botafogo, A. J. S. (1890). O balanço da dinastia (Rio de Janeiro: Imprenssa Nacional). p. 131. 
  2. [1]
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.