Luís Maria Lopes da Fonseca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luís Maria Lopes da Fonseca
Presidente do Ministério de
Portugal Portugal
(interino)
Período 16 de outubro de 1929
até 26 de outubro de 1929
Antecessor(a) Artur Ivens Ferraz
Sucessor(a) Artur Ivens Ferraz
Ministro da Justiça e dos Cultos
de Portugal Portugal
Período 15 de julho de 1929
até 23 de janeiro de 1931
Antecessor(a) Francisco Xavier da Silva Teles
Sucessor(a) Domingos Oliveira
(interino)
José de Almeida Eusébio
(efetivo)
Dados pessoais
Nascimento 1 de março de 1883
Mata de Lobos, Figueira de Castelo Rodrigo, Reino de Portugal Portugal
Morte 8 de dezembro de 1974 (91 anos)
Progenitores Mãe: Maria Josefa Lopes
Pai: António Manuel da Fonseca
Casamento dos progenitores 1882
Alma mater Universidade de Coimbra
Esposa Maria Soares Carrapatoso
Partido União Nacional
Religião Católico
Profissão Advogado e administrador de empresas

Luís Maria Lopes da Fonseca GCC (Mata de Lobos, Figueira de Castelo Rodrigo, 1 de março de 18838 de dezembro de 1974[1]) foi um advogado, político e administrador de empresas[1] português. Licenciou-se em 1911 em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.[1] Pertenceu ao Centro Académico de Democracia Cristã (CADC), católico conservador e apoiante activo de Sidónio Pais. Foi ministro da Justiça e Cultos do governo de Artur Ivens Ferraz (1929–1930), tendo acumulado entre 16 e 26 de outubro de 1929 essas funções com as de presidente interino do Ministério.[2] Ocupou novamente o cargo de Ministro da Justiça e Cultos no governo de Domingos Oliveira (1930–1931).[1][2]

A 27 de Novembro de 1930 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[3]

Foi demitido no dia 23 de janeiro de 1931, pelo presidente do Ministério Domingos Oliveira, na sequência de críticas por si feitas a legislação que o presidente da República Óscar Carmona defendera. Embora fosse um homem forte do ministro das Finanças António de Oliveira Salazar, os presidentes do Ministério e da República viram-se obrigados a explicar a Salazar a razão da demissão de um dos seus homens.[4]

Foi membro da Mocidade Portuguesa, assim como da Legião Portuguesa.[5]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. a b c d Castilho, J. M. Tavares. «Os Deputados à Assembleia Nacional (1935–1974) – Biografia e Carreira Parlamentar» (PDF). Consultado em 11 de janeiro de 2013. 
  2. a b Guimarães, Alberto Laplaine; Bernardo Diniz de Ayala; Manuel Pinto Machado; Miguel Félix António (2011). «52.º Ministério». Os Governos da República 1910–2010 Edição dos autores ed. Lisboa: [s.n.] p. 329. 573 páginas. ISBN 978-989-97322-0-9 
  3. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Luís Maria Lopes da Fonseca". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 20 de março de 2016. 
  4. http://maltez.info/respublica/portugalpolitico/anuario/1931.pdf
  5. http://app.parlamento.pt/PublicacoesOnLine/DeputadosAN_1935-1974/html/pdf/f/fonseca_luis_maria_lopes_da.pdf
Precedido por
Artur Ivens Ferraz
Presidente do Ministério de Portugal
19291930
(interino)
Sucedido por
Artur Ivens Ferraz