Luis Ángel González Macchi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luis Ángel González Macchi
Gonzalez Macchi 2003.jpg
Luis Ángel González Macchi
46°. Presidente do  Paraguai
Período 29 de março de 1999
a 15 de agosto de 2003
Antecessor Raúl Cubas Grau
Sucessor Nicanor Duarte
Dados pessoais
Nascimento 13 de dezembro de 1947 (72 anos)
Assunção, Paraguai
Primeira-dama Mirta Guzinski de Cubas
Partido Partido Colorado
Profissão Advogado

Luis Ángel González Macchi (Assunção, 13 de dezembro de 1947) é um político e advogado Paraguai. Foi presidente da República do Paraguai de 29 de março de 1999 a 15 de agosto de 2003. Também foi deputado nacional e senador da república.

É filho de Juan González Macchi, ministro da justiça e do trabalho da era Stroessner.[1]

Como presidente do Senado, e segundo sucessor constitucional para a Presidência da República, foi empossado no governo do país em 29 de março de 1999, seis dias depois do assassinato do vice-Presidente Luis María Argaña e da subseqüente renúncia do então Presidente, Raúl Cubas Grau.

Seu mandado se viu caracterizado por um extremo grau de incompetência em todos os níveis, além de graves denúncias de má administração e corrupção.

O jornalista Hélio Fernandes, em seus editoriais na Tribuna da Imprensa, chamava-o de "O Presidente Canastrão", em alusão ao seu esforço de "interpretar" o "papel" de Presidente da República, em lugar de efectivamente dedicar-se a administrar o país.

Precedido por
Raúl Cubas Grau
46°. Presidente de Paraguai
29 de março de 1999 - 15 de agosto de 2003
Sucedido por
Nicanor Duarte Frutos


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Diplô - Biblioteca: Um arremedo de democracia». diplo.org.br. Consultado em 14 de janeiro de 2019