Mário Tito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde setembro de 2013). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mário Tito
Informações pessoais
Nome completo Mário Tito
Data de nasc. 06 de novembro de 1941
Local de nasc. Bom Jardim, (RJ),  Brasil
Falecido em 09 de março de 1994 (52 anos)
Local da morte Rio de Janeiro, RJ,  Brasil
Altura 1,86 cm
Informações profissionais
Posição Zagueiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
19591968
1968-1971
1972-1974
1975
1975
Brasil Bangu
Brasil Cruzeiro
Brasil Olaria
Brasil Galícia
Brasil Olaria
0194 0(2)
Seleção nacional
1963 Brasil Brasil 1 (0)

Mário Tito (Bom Jardim, 6 de novembro de 1941 - Rio de Janeiro, 09 de março de 1997), foi um futebolista brasileiro, que atuava como zagueiro, com grande destaque no Bangu.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mário Tito começou a jogar futebol no Bangu em 1958, num time que tinha o atacante Zizinho e o zagueiro Zózimo. Na década de 60, foi um dos grandes nomes na zaga no Brasil, sendo convocado inclusive para a Seleção Brasileira que disputou o Sul-Americano de 1963.

No Bangu, Mário Tito conquistou o lendário Campeonato Carioca de 1966, em cima do Flamengo. A partida terminou 3 a 0 para o time alvirrubro, e ficou marcada pela grande briga entre os jogadores em pleno Estádio Maracanã. O Bangu tinha grandes jogadores como Aladim, Fidélis, Cabralzinho, Ubirajara, Ocimar, Ladeira, Ari Clemente e Paulo Borges.

Ficou no time de Castor de Andrade até 1968, quando aceitou uma proposta para jogar no Cruzeiro. O time mineiro era base da seleção brasileira e tinha craques como Tostão, Piazza, Raul, Dirceu Lopes, mas que perdera os zagueiros Procópio (machucado por Pelé) e William. A diretoria tratou de ir ao Rio e contratar Mário Tito junto ao Bangu e Fontana junto ao Vasco. Tão logo formaram uma grande dupla de zaga em Minas Gerais. Pela Raposa, Mário Tito conquistou o Campeonato Mineiro de 1969.

Após o Brasileirão de 1971, e sem espaço no time, Mário Tito se desliga do Cruzeiro e volta ao Rio para jogar no Olaria Atlético Clube, onde fica até 1975 para jogar no Galícia e volta novamente ao Olaria ainda em 1975 para encerrar sua carreira no ano seguinte, aos 34 anos de idade.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Mesmo sendo um dos grandes zagueiros brasileiros da década de 1960, Mário Tito foi convocado pela Seleção Brasileira apenas para a disputa do Sul-Americano de 1963, realizado na Bolívia. O Brasil não foi representado pela sua seleção principal, mas sim por jovens promessas e alguns jogadores que eram observados para convocações futuras. Mário só atuou em uma partida, na derrota para a Argentina por 3 a 0, substituindo o também zagueiro William logo no primeiro minuto do segundo tempo. O Brasil terminaria o torneio na quarta posição e depois disso, Mário jamais fora convocado para vestir a Amarelinha [1].

Títulos[editar | editar código-fonte]

Bangu
Cruzeiro

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Que Fim Levou? (25 de setembro de 2013). «Biografia do Mário Tito»