Mariana da Fonseca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mariana da Fonseca
1ª Primeira-dama do Brasil Brasil
Período 15 de novembro de 1889 - 23 de novembro de 1891
Antecessor(a) Cargo criado
Sucessor(a) Josina Peixoto
Dados pessoais
Nascimento 10 de fevereiro de 1826
Rio de Janeiro, RJ
Morte 9 de abril de 1905 (79 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Primeiro-cavalheiro Marechal Deodoro da Fonseca

Mariana Cecília de Sousa Meirelles da Fonseca (Rio de Janeiro, 10 de fevereiro de 1826 — Rio de Janeiro, 9 de abril de 1905[1]) foi a esposa de Deodoro da Fonseca, o primeiro presidente do Brasil. É considerada a 1ª primeira-dama do país, tendo ocupado tal posição de 1889 até 1891, com a renúncia de seu marido.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mariana era filha do capitão Feliciano de Sousa Meireles e de sua esposa Henriqueta Júlia Carneiro Leão. A família mudou-se para Cuiabá, na então província do Mato Grosso. Lá, por volta de 1860, ela conheceu seu futuro marido, o então capitão do exército brasileiro Manuel Deodoro da Fonseca.

Muito apaixonados um pelo outro, ele se casaram poucas semanas depois, em 16 de abril daquele ano; ela tinha trinta e quatro anos de idade e ele, trinta e três. Todavia, não tiveram filhos. Os apelidos do casal eram Maneco e Marianinha.[2]

Viveram por mais dois anos em Cuiabá, onde Fonseca serviu como ajudante-de-ordens do presidente da província Antônio Pedro de Alencastro. Deodoro e Mariana partiram então para a corte imperial no Rio de Janeiro. Em 1864, com a Guerra do Paraguai, Fonseca teve de partir, e D.ª Mariana permaneceu por cerca de seis anos morando com sua sogra e seis cunhadas. Também lutaram na guerra sete irmãos de Deodoro, dos quais três morreram em combate.

Com a proclamação da República, Mariana tornou-se primeira-dama do país aos sessenta e três anos. Ela pode ser vista no quadro da cerimônia de assinatura, por Deodoro, da Constituição de 1891.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedida por:
Primeira-dama do Brasil
1889 — 1891
Sucedida por:
Josina Peixoto