Dulce Figueiredo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dulce Figueiredo
31.ª Primeira-dama do Brasil
Período 15 de março de 1979
até 15 de março de 1985
Antecessor Lucy Geisel
Sucessor Marly Sarney
Dados pessoais
Nascimento 11 de maio de 1928
Franco da Rocha, São Paulo
Morte 6 de junho de 2011 (83 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileira
Cônjuge João Figueiredo (1942–1999)

Dulce Maria de Guimarães Castro Figueiredo GCIH (Franco da Rocha, 11 de maio de 1928Rio de Janeiro, 6 de junho de 2011), nascida Dulce Maria de Guimarães Castro, foi a esposa do general João Baptista de Oliveira Figueiredo, o presidente do Brasil de 1979 a 1985. Foi a última primeira-dama do período da Regime Militar no país.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dulce e João Figueiredo, que se conheceram na Tijuca e se casaram em 1942. Tiveram dois filhos, Paulo Roberto e João Batista Figueiredo Filho.[1]

A 22 de Setembro de 1981 foi agraciada com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal.[2]

Após o falecimento de seu marido, em dezembro de 1999, Dulce passou a enfrentar dificuldades financeiras. Em março de 2001, ela organizou um leilão para vender objetos que seu finado marido recebera enquanto governava o país[3], tendo recebido críticas da imprensa. Entre os 218 objetos leiloados estavam uma escultura de caubói de bronze dada por Ronald Reagan; dois quadros de Di Cavalcanti; uma estátua portuguesa de Roque de Montpellier presenteada por Antonio Carlos Magalhães; um tinteiro trazido pelo rei Juan Carlos da Espanha; uma bandeja de prata ofertada por Augusto Pinochet; e uma caixa de charutos dada por Valéry Giscard d'Estaing. Cerca de um milhão de reais foram arrecadados,[3], e aproximadamente 82% deste valor foi destinado à Dulce Figueiredo, que, como viúva de general, recebia uma pensão de 8.865 reais.[4]

Em junho de 2011, aos oitenta e três anos, Dulce Figueiredo faleceu em uma clínica de Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Estava bastante debilitada em função de um câncer.[5] Seu corpo foi enterrado no mausoléu dos Figueiredos, no Cemitério do Caju.[6]

Referências

  1. Morre Dulce Figueiredo, a última primeira-dama do regime militar
  2. «Cidadãos Estrangeiras Agraciados com Ordens Nacionais». Resultado da busca de "Dulce Maria de Castro Figueiredo". Presidência da República Portuguesa (Ordens Honoríficas Portuguesas). Consultado em 1 de março de 2016 
  3. a b Gaspari, Elio (2016). A Ditadura Acabada. Rio de Janeiro: Intrínseca. p. 321. ISBN 9788580579154 
  4. «Quem dá mais pela História? (Revista Época)». Consultado em 1 de julho de 2008. Arquivado do original em 24 de julho de 2008 
  5. Ex-primeira dama Dulce Figueiredo morre no Rio aos 83 anos
  6. Morre aos 83 anos a ex-primeira-dama Dulce Figueiredo

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Lucy Geisel
Primeira-dama do Brasil
19791985
Sucedida por:
Marly Sarney


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.