Masters of the Universe (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Masters of the Universe
Os Masters do Universo (PRT)
Mestres do Universo (BRA)
 Estados Unidos
1987 •  cor •  106 min 
Direção Gary Goddard
Roteiro David Odell
Stephen Tolkin
Baseado em Masters of the Universe da Mattel
Gênero Ação
Aventura
Distribuição Cannon Films
Idioma inglês

Masters of the Universe (Mestres do Universo no Brasil, e Os Masters do Universo em Portugal) é um filme americano de 1987 produzido pela Cannon Films, baseado na linha de personagens Masters of the Universe.

O filme é estrelado por Dolph Lundgren como He-Man e Frank Langella como Esqueleto.

O filme conta a história de dois adolescentes que conhecem o poderoso guerreiro He-Man, que chega à Terra do planeta Eternia e que está em missão para salvar o universo de seu inimigo, o Esqueleto.

O filme estreou nos Estados Unidos em 7 de agosto de 1987. O filme foi um fracasso comercial, arrecadando US$ 17 milhões em todo o mundo contra um orçamento de US $ 22 milhões,[1] mas agora é considerado um filme cult.[2]


Enredo[editar | editar código-fonte]

No planeta Eternia, no centro do Universo, o exército de Esqueleto invade o Castelo de Grayskull, dispersa o restante dos defensores de Eternia e captura a Feiticeira de Grayskull, planejando unir o poder dela ao dele no próximo nascer da lua.

O arqui-inimigo de Esqueleto, o guerreiro He-Man, o veterano Mentor, e sua filha Teela, resgatam Gwildor das forças de Esqueleto. Gwildor, um chaveiro de Thenorian, revela que Esqueleto adquiriu sua invenção: uma "Chave Cósmica" que pode abrir um portal para qualquer lugar usando teclas sonoras. O dispositivo foi roubado pela segunda em comando de Esqueleto, Maligna, permitindo que o Esqueleto violasse o Castelo de Grayskull.

Com o protótipo restante de Gwildor da Chave em mãos, He-Man e seus amigos viajam para o Castelo. Eles tentam libertar a Feiticeira, mas são dominados pelo exército de Esqueleto e forçados a fugir pelo portal apressadamente aberto por Gwildor, transportando-os para a Terra. A Chave é perdida na chegada e descoberta por dois adolescentes de Nova Jersey, uma menina órfã da escola secundária Julie Winston e seu namorado, Kevin Corrigan. O casa tenta descobrir o que é a Chave e, acidentalmente, enviam um sinal que permite que Maligna rastreie a Chave e envie seus capangas - Saurod, Blade, Homem-Fera e Karg - para recuperá-la.

Kevin, um aspirante a músico, confunde a chave com um sintetizador e leva a uma loja de instrumentos musicais administrada por seu amigo Charlie. A equipe de Karg chega e persegue Julie até He-Man encontrá-la e a resgata. A equipe de Karg retorna a Grayskull onde, irritado pelo fracasso do grupo, Esqueleto mata Saurod e manda os outros de volta à Terra, com uma força maior sob o comando de Maligna . Incapaz de encontrar Julie, Kevin é levado para a casa de Julie por Lubic, um detetive que investigando o distúrbio criado pelo grupo de Karg. Suspeitando que a Chave é um item roubado, Lubic confisca a Chave de Kevin e sai. Imediatamente depois, Maligna captura e interroga Kevin para a localização da Chave com um colar de controle mental, antes de perseguir Lubic.

De volta à Terra, Gwildor repara a Chave Cósmica, e Kevin recria os tons necessários para criar uma portal para a Eternia. O grupo, incluindo Lubic que tenta prendê-los, são transportados para o Castelo de Grayskull, onde começam a lutar contra as forças de Esqueleto. Ressentida por Esqueleto ter absorvido o poder do Universo sem compartilhá-lo com ela, Esqueleto deserta junto com os outros capangas. Esqueleto acidentalmente liberta He-Man que recupera a Espada de Grayskull. A dupla batalha até He-Man quebrar o bastão de Esqueleto, removendo seus novos poderes e restaurando-o para seu estado normal. He-Man oferece piedade, mas Skeletor puxa uma espada escondida e tenta matar He-Man; He-Man joga Esqueleto da sala do trono para um poço alto abaixo. A Feiticeira liberta e cura Julie, e um portal é aberto para enviar os terráqueos para caa. Aclamado como um herói por sua bravura, Lubic decide permanecer em Eternia.

Julie acorda na manhã da mortes de seus pais por um acidente de avião. Ela os impede de tomar o voo pegando suas chaves e corre para encontrar Kevin. Kevin confirma que suas experiências eram reais, produzindo uma lembrança da Eternia: uma pequena esfera azul contendo uma cena de He-Man em frente ao castelo Grayskull, com a espada erguida acima de sua cabeça.

Em uma cena de pós-créditos, a cabeça de Esqueleto emerge da água no fundo do poço, dizendo: "Eu voltarei!".

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Um dos rascunhos originais do roteiro de David Odell (cujos créditos anteriores incluem Supergirl e The Dark Crystal) foi revisado no terceiro episódio do podcast He-Man and She-Ra, Masters Cast. O rascunho original incluia mais tempo gasto em Eternia e Serpente Montanha, e até revelou que a mãe de He-Man era originalmente da Terra, conforme o personagem Rainha Marlena na série de animação da Filmation, He-Man and the Masters of the Universe, ligando assim os dois planetas.[3][4]

Descrevendo seu personagem, Meg Foster disse que Evil-Lyn não é uma vilã, "ela está apenas fazendo seu trabalho e ela sabe como obter resultados, mesmo que isso signifique ser dura". Langella concordou, chamando Evil-Lyn de uma mulher mais dedicada à causa de Esqueleto do que qualquer homem; ela é obsessiva em relação ao Esqueleto porque ela é um pouco carente. Os cineastas consideraram que Foster deveria usar lentes para mascarar seus olhos naturalmente pálidos, mas decidiu que seus olhos naturais se encaixavam melhor no personagem.[5]


Quando lhe foi oferecido o papel, Langella disse que "nem sequer piscou ... não podia esperar para interpretar ele". Langella citou o amor de seu filho de quatro anos de idade por Esqueleto enquanto corria por sua casa gritando o grito de guerra de He-Man: "I have the power!", Como a razão pela qual ele escolheu jogar o arqui-inimigo de He-Man.[6]


Inspiração em Jack Kirby

O quadrinista John Byrne comparou o filme com a metasérie de quadrinhos de Jack Kirby, Fourth World, afirmando na Comic Shop News # 497:



O diretor Gary Goddard esclareceu isso em uma carta que aparece no Next Men # 26 de John Byrne, no qual ele afirmou:

Brian Cronin, autor da coluna "Comic Book Urban Legends Revealed", conclui que "o filme em si não se destinava a ser literalmente um Forth World remodelado, embora a intenção fosse fazer o filme uma homenagem a Jack Kirby - apenas uma homenagem a TODO o seu trabalho, não apenas o Forth World".[7]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, USA
Silver Scroll - Outstanding Achievement: Gary Goddard
  • International Fantasy Film Award
Best Special Effects

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.