Masters of the Universe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Masters of the Universe
Criador Mattel
Filmes e televisão
Filmes Masters of the Universe (1987)
Programas televisivos He-Man e os Mestres do Universo
She-Ra: A Princesa do Poder


Masters of Universe (comumente abreviado MOTU e algumas vezes chamado de He-Man, depois do herói principal) é uma franquia de mídia criada pela Mattel.[1] A premissa principal gira em torno do conflito entre o heroico He-Man, o nome real Príncipe Adam e o malvado Esqueleto (Masters of the Universe) no planeta Eternia, com uma vasta gama de personagens de apoio em um cenário híbrido de espada e feitiçaria e ficção científica. Mais tarde spin-offs, especialmente She-Ra, Princess Of Power, também apresentou a irmã She-Ra e sua luta contra a Horda do Mal, junto com outros planetas / configurações;[2] No entanto, a premissa principal geralmente permaneceu a mesma. Desde o seu lançamento inicial, a franquia gerou uma variedade de produtos, incluindo seis linhas de action figure, quatro séries de televisão animadas, várias séries de quadrinhos, uma tira de jornal e um longa-metragem live-action.[3]


Origem da franquia[editar | editar código-fonte]

Em 1976, o CEO da Mattel, Ray Wagner, recusou um acordo para produzir uma linha de action figures com base nos personagens do filme Star Wars de George Lucas.[4][5] Após o sucesso comercial da trilogia de George Lucas e sua mercadoria relacionada durante os próximos anos, a Mattel lançou vários brinquedos de sucesso que capturaram a imaginação do público ou influenciaram significativamente o mercado de brinquedos.[4]

O designer de brinquedos, Mark Taylor, explicou que o design original de He-Man foi feito em uma série de esboços enquanto trabalhava para a Mattel foi inspirado por homens Cro-Magnon e vikings. Além disso, seu design original de Beast Man foi rejeitado pela Mattel por se parecer muito com Chewbacca.

Na corrida para projetar a próxima figura de ação, Roger Sweet (um designer principal trabalhando no Departamento de Design Preliminar da Mattel durante grande parte da década de 1970 e 1980) percebeu que a simplicidade era a chave para o sucesso.[4][5] De acordo com seu livro Mastering the Universe: He-Man and the Rise and Fall of a Billion-Dollar Idea de 2005, Sweet sabia que, se ele desse algo de marketing, poderia ganhar 90% da batalha.[6]

[5]

Durante a década de 1980, rumores alegaram que Conan the Barbarian foi uma fonte de inspiração para o personagem de He-Man. Segundo este rumor, a Mattel teve um acordo de licenciamento para fazer com que os action figures de Conan se associem ao filme de mesmo nome lançado em 1982, estrelado por Arnold Schwarzenegger. Aparentemente, essa ideia teve que ser modificada para evitar objeções dos pais preocupados de que um brinquedo para crianças promovesse um filme contendo nudez e violência.[7][8]

Sweet refutou o rumor, dizendo que ele conceituou e desenvolveu a franquia He-Man/Masters of the Universe no final de 1980 (dois anos antes do lançamento do filme da Universal Pictures). O linha de brinquedos existiu antes do filme, começando a ser produzida em 1981 e comercializada em 1982. Naquela época, a Mattel não tinha uma licença com a Universal para fazer brinquedos para o filme, o que resultou em Conan Properties International processando a Mattel por violação de direitos autorais, devido as semelhanças de He-Man com Conan. A Mattel ganhou o processo contra a Conan Properties, mantendo os direitos sobre He-Man e Masters of the Universe.


Originalmente, He-Man foi apresentado aos executivos da Mattel não como desenhos e modelos de cera, mas sob a forma do Trio He-Man: três modelos protótipos tridimensionais que descrevem He-Man como um bárbaro, um soldado e um homem do espaço. Dos três concepts, a versão bárbara foi escolhida para ser a base do action figure. Considerando que o personagem Conan foi criado quase 50 anos antes do desenvolvimento da franquia He-Man, é possível que Masters of the Universe tomassem muitos aspectos da Conan; no entanto, não se destinava a ser um linha de brinquedos para o filme depois que os acordos legais foram dissolvidos. Além disso, Roger Sweet também afirmou que ele estava "realmente impressionado" pelas pinturas do artista de fantasia Frank Frazetta ao criar He-Man. Expandindo ainda mais o tema bárbaro, Mattel contratou escritores de quadrinhos e artistas como Donald F. Glut e até Earl Norem e Alfredo Alcala (que ainda estavam trabalhando na revista Savage Sword of Conan desde meados da década de 1970) para criar personagens adicionais (juntamente com suas histórias de fundo), cartazes, caixas e mini-quadrinhos para distribuição com as figuras de ação.

Séries de televisão[editar | editar código-fonte]

He-Man and the Masters of the Universe[editar | editar código-fonte]

Para alavancar a venda dos bonecos da série, foi encomendada à Filmation Studios uma série de desenho animado baseada nos conceitos desenvolvidos pela Mattel. Assim, em 1983 foi lançada a série He-Man and the Masters of the Universe. A série utilizava a técnica de rotoscopia, assim como outros desenhos da Filmation (como Tarzan), em que os movimentos dos personagens eram desenhados sobre filmagens de atores. Quem assistiu às séries da Filmation podia ver semelhanças entre os movimentos dos personagens das séries.

A série teve duas temporadas de 65 episódios cada, de 1983 a 1985. Em 1985 a Filmation passou a trabalhar outra série para o público infantil feminino, She-Ra, a princesa do poder, que teve 93 episódios em duas temporadas. He-Man teve participação especial em diversos episódios da série She-Ra.

She-Ra: Princess of Power[editar | editar código-fonte]

Predefinição:PrincipalShe-Ra: Princess of Power Em 1985 a Mattel decide diversificar e cria a linha "Princess of Power", criando a personagem She-Ra. A linha era composta quase que exclusivamente por personagens femininos.[9]

The New Adventures of He-Man[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: The New Adventures of He-Man

A série original foi seguida pela série de 1990, chamada de As Novas Aventuras de He-Man, na qual He-Man era transportado para o futuro, para um planeta chamado Primus. Esta série, apesar de 65 episódios,[10] não fez sucesso como a original, e foi exibida nos EUA originalmente entre setembro a dezembro de 1990.

He-Man and the Masters of the Universe (2002)[editar | editar código-fonte]

Em 2002, uma nova série, exibida no canal Cartoon Network, retomou os conceitos da série original, mas numa abordagem mais séria.[11][12]

Filmes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Masters of the Universe (filme)

Em 1987 foi lançado um filme baseado na série de brinquedos, com Dolph Lundgren no papel de He-Man.

Em 2007 foi anunciada a produção de um novo filme baseado nos personagens que deverá se chamar Grayskull: Masters of the Universe.

Jogos[editar | editar código-fonte]

Várias adaptações de videogames da franquia foram lançadas. Masters of the Universe: The Power of He-Man foi lançado pela Intellivision para Atari 2600 e Intellivision em 1983. Dois jogos, Masters of the Universe: The Arcade Game e Masters of the Universe: The Super Adventure, foram desenvolvidos pela Adventure Soft e lançados pela U.S. Gold para Amstrad CPC, BBC Micro, Commodore 64 e ZX Spectrum em 1987. um jogo baseado no filme, Masters of the Universe: The Movie, foi lançado pela Gremlin Graphics for Amstrad CPC, Commodore 64, MSX and ZX Spectrum in 1987.

Vários jogos de tabuleiro na década de 1980, em 1985, a editora FASA lançou um RPG de mesa, The Masters of the Universe Role Playing Game.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]