Orlando da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Orlando da Costa
Data de nascimento 2 de julho de 1929
Local de nascimento Lourenço Marques, Portugal
Nacionalidade Portugal Português
Data de morte 27 de janeiro de 2006 (76 anos)
Local de morte Lisboa, Portugal
Ocupação Escritor
Magnum opus O Último Olhar de Manú Miranda

Orlando António Fernandes da Costa ComL (Lourenço Marques, 2 de Julho de 1929Lisboa, 27 de Janeiro de 2006) foi um escritor português.

Família[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Moçambique, filho de Luís Afonso Maria da Costa, Goês católico, descendente directo por varonia de Marada Poi, Brâmane Gaud Saraswat do século XVI, e de sua mulher Amélia Maria Frechaut Fernandes, nascida em Moçambique, de origem Francesa, e irmão mais novo de João José Fernandes da Costa, casado com Sinnika Jussilainen, Finlandesa, com uma filha Anna Karina Jussilainen da Costa e um filho Luís Rohin Jussilainen da Costa. Passou a infância e juventude em Goa, até se mudar para Lisboa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, foi autor de vários livros de poesia e teatro. Publicou A Como Estão os Cravos Hoje (1984), peça levado à cena pela Companhia Seiva Trupe. Pelo conjunto da sua obra, a Academia de Ciências de Lisboa atribuiu-lhe o Prémio Ricardo Malheiros. O livro de poemas Os Netos de Norton (1994) valeu-lhe o Prémio Eça de Queiroz, da Câmara Municipal de Lisboa. Era militante do Partido Comunista Português, desde 1954, onde, à data da sua morte desenvolvia actividade na área da cultura literária.

Poucos dias antes de falecer, a 5 de Janeiro de 2006, recebeu o grau de Comendador da Ordem da Liberdade.[1]

Casamentos e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou primeira vez com a Dr.ª Maria Antónia Assis dos Santos, a jornalista Maria Antónia de Assis dos Santos Palla e Carmo ComL (25 de Abril de 2004)[2] (Seixal, 10 de Janeiro de 1933), Membro Vitalício do Conselho Geral da Fundação Mário Soares desde 10 de Março de 1996,[3] filha de Ítalo Ferrer dos Santos e de sua mulher Angelina Panico de Assis e irmã de Jorge Ítalo de Assis dos Santos, de quem teve uma filha Isabel dos Santos da Costa, falecida bebé, e um filho, o político António Costa. Casou segunda vez com Inácia Martins Ramalho de Paiva e teve um filho, o jornalista Ricardo Costa. É primo-irmão da mãe de Sérgio Vieira e de José Castelo Branco.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 1951 - A Estrada e a Voz
  • 1953 - Os Olhos sem Fronteira
  • 1955 - Sete Odes do Canto Comum
  • 1961 - O Signo da Ira
  • 1964 - Podem Chamar-me Eurídice
  • 1971 - Sem Flores nem Coroas
  • 1979 - Canto Civil
  • 1984 - A como estão os cravos hoje?
  • 1994 - Os Netos de Norton
  • 2000 - O Último Olhar de Manú Miranda

Referências

  1. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas Presidência da República Portuguesa. Visitado em 2015-03-07. "Resultado da busca de "Orlando da Costa"."
  2. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas Presidência da República Portuguesa. Visitado em 2015-03-07. "Resultado da busca de "Maria Antónia Assis dos Santos Palla Carmo"."
  3. http://www.fmsoares.pt/fundacao/lei24/orgaos_final.pdf

Ligações externas[editar | editar código-fonte]