Donizetti Tavares de Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Padre Donizetti)
Ir para: navegação, pesquisa

Padre Donizetti Tavares de Lima, (Santa Rita de Cássia, atual Cássia, 3 de janeiro de 1882Tambaú, 16 de junho de 1961) foi um padre brasileiro da igreja católica apostólica romana, sua vida foi marcada por acontecimentos extraordinários, ele que ficou muito conhecido na década de 1950 por graças, conversões e milagres de curas atribuídos a ele, e que o mesmo atribuía a Nossa Senhora Aparecida, a quem ele era muito devoto.

Donizetti, nasceu em Cássia-MG, no dia 3 de janeiro de 1882, filho de Tristão Tavares de Lima e Francisca Candida Tavares de Lima, teve 8 irmão, todos com nomes em homenagem a cantores da época que seus pais gostavam. Aos quatro anos, Donizetti e sua família se mudou para Franca-SP, que foi onde ele cursou o primário e aprendeu os primeiros rudimentos da música.

Aos 15 anos de idade foi matriculado no curso preparatório do antigo Seminário Episcopal de São Paulo e depois de três anos cursou o Colégio em Sorocaba, voltando no ano de 1900 para o Seminário.No dia 12 de Julho de 1908 foi Ordenado Sacerdote em Pouso Alegre-MG. Passou pelas Paróquias de São Caetano em Pouso Alegre; Jaguariúna; Paróquia de Santa Mãe de Deus; Paróquia Sant’Ana em Vargem Grande do Sul. Foi Administrador da Paróquia do Senhor Bom Jesus de Aguaí, enquanto era pároco da Paróquia Sant'Ana de Vargem Grande do Sul, de 20 de abril a 8 de agosto de 1909[1] .

No dia 24 de maio de 1926 foi nomeado pároco na paróquia de Santo Antonio da cidade de Tambaú-SP, sua posse como pároco, ocorreu no dia 13 de junho de 1926 na missa das 11 horas de um domingo.

Desde quando chegou em Tambaú, seu desejo era trazer uma imagem de Nossa Senhora Aparecida. desejo este que foi realizado, a chegada da santa foi comemorada por toda a cidade, mas no dia em que chegou, estava chovendo, mesmo assim, o padre iniciou uma procissão até a igreja de Santo Antonio, por onde a procissão passava parava de chover imediatamente. Este é considerado o primeiro milagre de Padre Donizetti.

Há informações de que o padre ficou conhecido quando curou as pernas cheias de feridas de um vendedor ambulante de vinho. O homem contou o milagre que o padre realizou para os comerciantes das cidades vizinhas, e em poucos dias os romeiros começavam a chegar a Tambaú para receber as bênçãos. A partir de então os milagres que realizava extrapolaram os limites do pequeno município da região de Ribeirão Preto. Aproximadamente 40 mil visitantes chegavam todos os dias à cidade da fé.

Em 11 de Outubro de 1929 um incêndio provocado por um curto circuito destruiu completamente a igreja. Das 23 imagens que havia no local restou intacta apenas a imagem da padroeira do Brasil, retirada do incêndio pelo padre Donizetti. Diante do fato o padre prometeu construir um santuário para a Virgem Santíssima

A partir desses acontecimentos, a cidade de Tambaú, foi invadida por milhares de romeiros por dia, todos procurando a benção do santo e milagroso padre, dentre vários milagres cabemos citar:

Uma mulher louca, que os pais tinham a acorrentada, chega na cidade gritando de dor e fúria. mas ao chegar perto do Padre Donizetti, ele da a benção e pede aos pais para que tirem a corrente, mesmo que receosos eles a tiram, e ao fazer isso, sua filha se acalma e para de gritar, esse ficou conhecido como o milagre da corrente;

Um garoto de 8 anos de apelido Braguinha, morador de uma cidade distante à Tambaú, usava uma bota ortopédica, pois tinha problema em andar, todos os melhores médicos que eles passaram disseram que não tinha cura. Porém, um dia Braguinha acorda e diz para a mão, que em Tambaú tinham um padre que ia faze-lo andar, sua mãe nunca ouvira falar dessa cidade, nem se quer de um padre milagreiro.

Mas em uma manhã, parou em frente a sua casa, um caminhão de romeiros que iam para Tambaú, e parou para pedir ajuda, mas ao ver o menino daquele jeito, conversou com os pais e todos foram para Tambaú. Chegando lá, o padre simplesmente deu a benção e o menino pediu a sua mãe que tirasse as botas, ao tirar, Braguinha começou a andar. Pe. Donizetti, mandou que fizesse um gol improvisado com muletas e deu uma bola para ele e os outro meninos brincar.

Mas o mais famoso milagre, milagre este que virou música, foi o milagre da velha milionária, o milagre de Tambaú, como ficou conhecido, uma velha milionária, que tinha que usar muleta, foi até o padre e após receber a benção ficou curada, e como gratidão, quis entregar ao padre um colar de ouro, o padre não aceitou, e disse que ela entregasse a primeira pessoa que encontrasse no caminho.

A primeira criatura que na estrada apareceu, a velha lembro de tudo que o padre falou, desceu do carro e foi entregar o colar, mas por ser uma pobre preta, 5 mil reis ela deu. Mas, logo adiante, as penas da milionário enfraqueceu, ela voltou ao padre para reclamar, mas por ele foi repreendida:

"Seus 5 mil reis esta aqui, guarde pro resto da vida, a pretinha que você viu, era a senhora Aparecida"

Padre Donizetti tentou construir um Santuário à Nossa Senhora Aparecida, porém sempre havia uma complicação. Um dia o bispo falava que não tinha terreno, Pe. Donizetti vem e consegue terreno, outro dia não tinha trabalhadores, o Pe. vem e consegue toda a mão de obra, noutro dia não tem material, o Pe. vem e consegue tudo. E o bispo vendo que não tinha mais desculpas, disse por fim que não iria deixar construir, e como o Pe. era obediente, não construiu ( o Santuário, só começou sua construção depois de sua morte, em 1 de novembro de 1961, acabando em 1966)

A quantidade avassaladora de pessoas em busca das curas, através da intercessão do padre Donizetti, comovia o País e se propagava por nações das Américas, Europa e Ásia. Ele recebia cartas da Espanha, de Portugal, da Ilha da Madeira, do Uruguai, dos Estados Unidos, da Itália, da Iugoslávia, de Porto Rico, dentre outros.  

Donizetti rezava como de costume a Santa Missa das 7h, no altar montado na porta principal da Capela de São José, e dava bênçãos públicas, ponto alto das atividades religiosas, às 9h e 20h. Quando a quantidade de pessoas era muito grande também dava às 12h. No começo, da janela de sua casa. Posteriormente, com o aumento do número de devotos, passava para um pequeno palanque improvisado junto à porta de sua casa.

Certo dia, Tambaú com cerca de 5 mil habitantes, recebeu 200 mil pessoas, a devoção das pessoas, chegou a um ponto crítico, chegando praticamente a uma calamidade pública, então por ordem do bispo, Padre Donizetti marca sua última benção pública para o dia 30 de maio de 1955.

Às 20 hs em rápidas palavras aos romeiros, Padre. Donizetti diz:

"Hoje é o último dia para todos, indistintamente, desde o rico ao pobre;o último dia para os humildes e poderosos. Nem o homem mais poderoso do mundo quebrará esta minha decisão. Entretanto, recolhendo-me à solidão da cela, não deixarei de dar a benção todos os dias, às 9 horas e às 20 horas, a quem que dela necessite, em qualquer parte do mundo. Bastará que nessas horas, a pessoa que deseje a benção pense em mim. Será esta a continuação-embora sem testemunhas- da obra que venho realizando. De amanhã em diante não receberei mais ninguém, quer seja para bençãos especiais, quer para bençãos coletivas"

Após aquela, que foi a última benção, um avião cruzou o céu deixando um rastro vermelho de pétalas de rosas, durante todo dia os peregrinos curas atribuídas ao Padre Donizetti.

Padre Donizetti, morreu no dia 16 de junho de 1961, às 11:15, sentado a sua cadeira. Milhares de romeiros, peregrinos, paroquianos, foram ao seu enterro. Desde o ano de 1976, a cidade de Tambaú, faz uma marcha saindo do Santuário( sonho do Pe. Donizetti) e indo até o cemitério, essa é a chamada Marcha da Fé

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Conforme Provisão registrada no 1° Livro Tombo da Paróquia Senhor Bom Jesus de Aguaí e assinaturas do padre nos Livros de Batizados e Casamentos.