Periodontite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Periodontite ou popularmente piorréia é um grupo de doenças inflamatórias que afetam os tecidos periodontais, como os tecidos que envolvem e fixam o dente a cavidade bucal. A periodontite consiste em uma perda progressiva do osso alveolar em volta do dente, junto com uma resposta imunológica do hospedeiro contra os micro-organismos presente na região sub-gengival. Essa condição patológica possui como principal agente etiológico, o biofilme bacteriano dental. Dentre as causas e respostas que permitem o surgimento e evolução da doença periodôntica, atualmente, têm-se estudado a influência da genética na resposta inflamatória e no padrão de hereditariedade da doença. O estudo genético explica porque algumas pessoas com bom controle de placa dental e higiene oral possuem a periodontite de forma avançada, enquanto outras com higiene bucal inadequada estão, de certa maneira, livres dessa manifestação patológica. O diagnóstico da periodontite é feito com a inserção de uma sonda no sulco gengival (exame clínico) e com o raio-X retirado do paciente que é usado para determinar a perda óssea ao redor do dente.[1] Os especialistas no tratamento da periodontite são os periodontistas.

Genética:[editar | editar código-fonte]

Esse área desempenha fundamental importância no estudo e nas manifestações de diversas patologias. No caso da doença periodontal e suas variantes, como a Periodontite agressiva, o estudo genético auxilia o entendimento e direciona o tratamento do paciente de forma a ser mais eficaz possível. Explica também, a rápida progressão da doença e da resposta inflamatória e a suscetibilidade de alguns indivíduos possuírem a doença ser maior do que a de outros. Dentre os fatores genéticos que podem influenciar a doença periodontal estão:

  • Hiperprodução de interleucina, prostaglandinas e citocinas.
  • Polimorfismos genéticos, em genes que atuam diretamente na resposta inflamatória.
  • Padrões de agregação genética familiar.

Periodontite agressiva - Tipo 1 [2][editar | editar código-fonte]

Nessa condição, a periodontite é caracterizada por uma infecção grave com processo de perda óssea alveolar acelerado. Com base em estudos clínicos e pesquisas, descobriu-se pelo menos duas vias de hereditariedade para essa subclassificação da doença, além dos diversos polimorfismos genéticos. Dentre essas heranças genéticas, encontra-se heranças sexuais, ligadas ao cromossomo X com caráter dominante e heranças autossômica com caráter recessivo homozigótico. Além disso, estuda-se também interações epistáticas dessa manifestação periodontal com outras síndromes como a Síndrome de Papillon-Lefèvre [1] e Síndrome de Haim-Munk [2]. De forma geral, a periodontite agressiva tipo 1, caracteriza-se como uma patologia de herança monogênica, que envolve vários alelos, e essa variedade alélica está relacionada com a severidade e a suscetibilidade da doença. A manifestação patológica está suscetível a fatores externos, como a má higiene oral e o acúmulo de placa bacteriana, para expressar seu fenótipo agressivo no tecido periodontal dos dentes.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  1. Savage, Amir; Eaton, Kenneth A.; Moles, David R.; Needleman, Ian (2009). «A systematic review of definitions of periodontitis and methods that have been used to identify this disease». Journal of Clinical Periodontology. 36 (6): 458–467. PMID 19508246. doi:10.1111/j.1600-051X.2009.01408.x 
  2. «OMIM Entry - # 170650 - PERIODONTITIS, AGGRESSIVE, 1». www.omim.org (em inglês). Consultado em 6 de maio de 2021  line feed character character in |titulo= at position 11 (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre odontologia é um esboço relacionado ao Projeto Saúde. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.