Política da República da China

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela política da República Popular da China, veja Política da República Popular da China.

A política da República da China possui uma estrutura de república democrática representativa, onde o presidente é o chefe de Estado e o primeiro-ministro (Presidente do Legislativo Yuan) é chefe de governo, sendo adotado o sistema de pluripartidarismo. A República da China (RC) atualmente administra a ilha de Taiwan, Penghu, Kinmen, ilhas Matsu e várias outras ilhas menores, situadas no estreito de Taiwan e ainda algumas ilhas na costa do Pacífico (em especial a ilha Verde e a ilha das Orquídeas).

Até 1991, o governo da República da China era o sucessor do antigo governo da China continental, sendo exilado para ilha de Taiwan depois da sua derrota em 1949 na Guerra Civil Chinesa pelo Partido Comunista da China. No início adotou o sistema de partido único (Kuomintang ou Partido Nacionalista), durante a lei marcial, para a prevenção da difusão de políticas comunistas.

Atualmente, Taiwan têm reivindicado algumas ilhas no Mar da China Meridional. Algumas destas ilhas mais afastadas, em particular as Spratly (Nansha), no Mar da China Meridional, e as Senkaku (Diaoyutai), no Pacífico, que são simultaneamente reivindicadas por vários outros países da região.

Devido ao fato de que a ilha de Taiwan compreende a maior parte da jurisdição atual da RC, a palavra "Taiwan" é habitualmente usada como sinônimo de República da China, enquanto que a palavra "China" se usa para designar as áreas sob controle da Partido Comunista Chinês.

O estatuto político de Taiwan é controverso, pois a República Popular da China considera Taiwan como parte do seu território soberano, e que a República da China é uma entidade extinta (logo ilegítima). Segundo Chen Shui-bian, antigo chefe do executivo, Taiwan é sinônimo de República da China e que portanto é um estado independente e soberano. Todavia, o ex-presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, mostrou-se aberto ao diálogo com a China Continental e durante a sua administração as relações entre as duas margens do estreito melhoraram.

Existe, deste modo, em Taiwan, um movimento independentista que pretende a criação de uma "República de Taiwan" em substituição da República da China e, ao mesmo tempo, também existe em Taiwan quem seja favorável à reunificação da China sob um regime nacionalista democrático.[1] [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Shambaugh, David L., : (2005). Power Shift: China and Asia's New Dynamics (em inglês) University of California Press [S.l.] pp. 179–183. ISBN 0-520-24570-9. 
  2. Hoare, James E.; Pares, Susan (2005). A Political and Economic Dictionary of East Asia (em inglês) (Psychology Press [s.n.]). p. 267. ISBN 978-1-85743-258-9. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de Taiwan Taiwan
Bandeira • Brasão • Cinema • Cultura • Demografia • Economia • Forças Armadas • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens