Pontifícia Comissão Bíblica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dicastério da Igreja Católica
Coat of arms Holy See.svg
Pontifícia Comissão Bíblica
 
Pontificia Commissio Biblica


Ereção Canônica: 30 de outubro de 1902
Presidente: Gerhard Ludwig Müller
Secretário: Pietro Bovati, S.J.
Emérito: Cardeal William Joseph Levada

Cardeal Joseph Ratzinger

Santa Sé · Igreja Católica
Projeto Catolicismo · uso desta caixa

A Pontifícia Comissão Bíblica (Pontificia Commissio Biblica) é uma pontifícia comissão da Cúria Romana.

A Comissão[editar | editar código-fonte]

É um organismo supremo da Igreja católica em matéria bíblica, criado pelo Papa Leão XIII com sua carta apostólica Vigilantiae studiique em 30 de outubro de 1902, e que em seus inícios esteve formado por vários cardeais em qualidade de membros e por peritos em matéria bíblica com o nome e oficio de consultores, até que a reforma de Paulo VI mudou a composição por especialistas em diferentes matérias.

A resposta doutrinal, que à chamada questão bíblica esboçou Leão XIII em sua encíclica Providentissimus Deus, precisava, como complemento imprescindível, realizações práticas, que, promovendo entre os católicos o estudo científico da Bíblia e aproveitando para sua interpretação os avanços das ciências, tamparam a brecha que aquele movimento tinha aberto na ortodoxia. A essa necessidade respondem na última década do século XIX e na primeira do XX a fundação por iniciativa privada da Escola Bíblica de Jerusalém e a criação Pontifícia da Comissão Bíblica do Pontifício Instituto Bíblico em Roma, e da Comissão para a Revisão da Vulgata.

A dupla finalidade da Pontifícia Comissão Bíblica, defender a ortodoxia na interpretação da Bíblia e promover o estudo científico da mesma, fica patente nas mencionadas letras apostólicas de Leão XIII e no regulamento que se fez público em abril de 1903:

Os cometidos 5 ao 7, montar uma biblioteca bíblica especializada, publicar estudos e editar uma revista bíblica, criar um Instituto para estudo e ensino da Bíblia foram encomendados ao Pontifício Instituto Bíblico a partir de sua criação em 1909 e à Comissão para a Revisão da Vulgata fundada em 1907.

O organismo pontifício começou por instituir o prêmio Lord Braye para a melhor dissertação bíblica sobre tema previamente estabelecido, que só se adjudicou em 1905 e 1906. Em 1904 confiou-se à Comissão a faculdade de conferir graus de licença e doutorado em Ciências Bíblicas, que a partir de 1916 se estendeu ao Pontifício Instituto Bíblico para bacharelado e licenciatura e posteriormente, desde 1928, para o doutorado também. Mas a principal atividade da Comissão têm sido seus chamados decretos doutrinais em forma de respostas, declarações ou cartas. Percebem-se claramente quatro etapas diferentes:

  • a primeira, até 1915, caracteriza-se pela defesa da autenticidade, historicidade e interpretação de livros e passagens especialmente discutidos;
  • a segunda, desde 1915 até 1940, situa-se numa linha de estímulo aos estudiosos;
  • a terceira etapa, desde 1940 até 1971, acentua a mesma linha; durante esta etapa, que inclui a realização do Concílio Vaticano II, se gestionam as novas transformações que produzir-se-iam em pleno Papado de Paulo VI;
  • a quarta etapa inicia-se o 27 de junho de 1971, no marco da reforma pós-conciliar, quando Paulo VI estabelece em sua Acta Apostolicae Sedis 63 uma organização e normas de funcionamento diferentes para a Comissão.[1] Em 15 breves artigos definiu-se a nova estrutura: os Membros já não seriam Cardeais assistidos por consultores, se não docentes de Ciências bíblicas provenientes de várias escolas e nações, que se distingam por ciência, prudência e sentir católico com respeito ao Magistério eclesiástico (art. 3).

Em sua organização, funciona por Assembleia plenária para a adoção das resoluções mais importantes, integrada por vinte membros e um Presidente que deve ser o Cardeal Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. O Vice-presidente assiste o Presidente e é eleito pelos integrantes da Comissão.

Os integrantes são especialistas reconhecidos mundialmente em diferentes campos da gêneses bíblica (Pentateuco, livros proféticos, Livros poéticos e sapienciais do Antigo Testamento, Evangelhos sinópticos, primeira, segunda e terceira epístolas de João, Epístolas paulinas, Apocalipse, etc). Alguns deles fazem parte da Comissão durante mais de um período; tal o caso do reconhecido biblista Raymond E. Brown, que integrou a Comissão no período 1972-1978 e, novamente, em 1996 até sua morte em 1998.

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Período Notas
Presidentes
Dom Gerhard Ludwig Müller 2012- Atual[2]
William Joseph Cardeal Levada 2005-2012 Presidente emérito
Joseph Cardeal Ratzinger 1981-2005 Eleito Papa Bento XVI
Franjo Cardeal Šeper 1971-1981
Eugène-Gabriel-Gervais-Laurent Cardeal Tisserant 1938-1971
Gaetano Cardeal Bisleti 1932-1937
Wilhelmus Marinus Cardeal van Rossum, C.SS.R. 1914-1932
Mariano Cardeal Rampolla del Tindaro 1902-1913

Composição[editar | editar código-fonte]

  • Card. William Levada (presidente)
  • Rvdo. P. Pietro Bovati, S.J. (secretário)
  • Jean-Noël Aletti, S.J.
  • Abbé Olivier Artus
  • Miguel Antonio Barriola
  • John Chijioke Iwe
  • Juan Miguel Díaz Rodelas
  • Christoph Dohmen
  • Abbot Denis Farkasfalvy, O.Cist.
  • Francolino Gonçalves, O.P.
  • Card. Prosper Grech, O.S.A.
  • Thomas Manjaly
  • Fearghus Ou'Fearghail
  • Yeong-Sik Johan Pahk
  • Ney Brasil Pereira
  • Donald Senior, C.P.
  • Ramón Trevijano Etcheverría
  • Ugo Vanni, S.J.
  • Henryk Witczyk
  • Carlos Zesati Estrada, M.Sp.S.
  • Rvdo. Dom Alessandro Belano, F.D.P. (secretário técnico)

Referências

  1. Paulus PP. VI (27 de junho de 1971). «Acta Apostolicae Sedis 63» (em latim). Città del Vaticano: Typis Polyglottis Vaticanis. pp. 665–669. Consultado em 6 de maio de 2011. 
  2. http://www.cnbb.org.br/site/imprensa/internacional/9718-novo-prefeito-da-congregacao-para-doutrina-da-fe, Acesso em 05 de Julho de 2012 às 02h17min

Ligações externas[editar | editar código-fonte]