Rabbit Don't Come Easy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rabbit Don't Come Easy
Álbum de estúdio de Helloween
Lançamento 20 de Maio de 2003
Gênero(s) power metal
Duração 61 min 13 seg
Gravadora(s) Nuclear Blast
Produção Charlie Bauerfeind
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Helloween
The Dark Ride
(2000)
Keeper of the Seven Keys - The Legacy
(2005)
Singles de Rabbit Don't Come Easy
  1. "Just a Little Sign"
    Lançamento: 7 de Abril de 2003

Rabbit Don't Come Easy é o décimo primeiro álbum da banda alemã de power metal Helloween. O single desse álbum é "Just a Little Sign".

No álbum, lançado em 2003, o Helloween contou com dois bateristas convidados: Mark Cross, que gravou duas faixas antes de adoecer,[1] e Mikkey Dee, do Motörhead. Durante a gravação desse álbum, os fãs podiam assistir às atividades da banda no estúdio pela internet, diretamente da câmera do estúdio.

ao comentar a atuação de Mikkey, o baixista Markus Grosskopf disse:[1]

Sobre o título [que significa "o coelho não vem fácil", Markus explicou em 2003 que "é baseado no ditado inglês, tirar um coelho da cartola. Puxar esse coelho [o álbum] dessa cartola [em referência às mudanças na formação] não foi tão fácil dessa vez. Aquilo nos deu a ideia de só chamar o álbum de Rabbit Don't Come Easy. [risos] Não é para ser levado demasiadamente a sério. Nós estávamos brincando com essa frase, e então eu sugeri que nós chamássemos o álbum assim."[2]

Sobre a gravação do álbum, o vocalista Andi Deris disse em 2003 que o produtor Charlie Bauerfeind "mostra nesse álbum que ele é o maior fã do nosso gênero de música porque ele sabe como separar as frequências e sabe onde o poder tem de estar. Você tem que imaginar que esse tipo de música é tão empacotado com frequências que é quase impossível mixar porque ele é muito lotado e você tem que isolar todos os instrumentos para que possa ouvir cada um deles.".[3]

Após o lançamento controverso de The Dark Ride, segundo Markus, "a gravadora queria que mostrássemos que nós estávamos de volta. Essa canção "Just a Little Sign" representa o lado mais típico do Helloween, e era isso que nós queríamos deixar claro. Você não pode representar um álbum inteiro com uma faixa, mas isso mostra exatamente onde o álbum vai de verdade. É mais aquela direção 'feliz feliz Helloween'. Mostra que esse álbum não e uma sequência de 'The Dark Ride'".[2]

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Just a Little Sign" (Deris) - 4:26
  2. "Open Your Life" (Gerstner/Deris) - 4:30
  3. "The Tune" (Weikath) - 5:35
  4. "Never Be a Star" (Deris) - 4:10
  5. "Liar" (Deris/Grosskopf/Gerstner) - 4:55
  6. "Sun For The World" (Deris/Gerstner) - 3:55
  7. "Don't Stop Being Crazy" (Deris) - 4:21
  8. "Do You Feel Good" (Weikath) - 4:22
  9. "Hell Was Made in Heaven" (Deris/Grosskopf) - 5:33
  10. "Back Against The Wall" (Deris/Weikath) - 5:44
  11. "Listen To The Flies" (Deris/Gerstner) - 4:52
  12. "Nothing To Say" (Weikath) - 8:27
  13. "Sheer Heart Attack" (Queen) - 3:31 (faixa extra na edição limitada)

Formação[editar | editar código-fonte]

Membros contratados

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Helloween é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.