Relações entre Portugal e Rússia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Relações entre Portugal e Rússia
Bandeira de Portugal   Bandeira da Rússia

As relações entre Portugal e Rússia são relações estrangeiras entre Portugal e Rússia. Portugal têm uma embaixada em Moscovo enquanto que a Rússia tem uma embaixada em Lisboa.

Os países são os mais orientais e os mais ocidentais da Europa, e ambos têm uma forte relação um com o outro. Ambos os países são membros inteiros do Conselho da Europa e da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

História[editar | editar código-fonte]

Grandes, de nível embaixatorial, diplomáticas relações entre Portugal e o Império Russo datam de 1779. Anteriormente, em 1724, comerciantes portugueses apelaram a Pedro I da Rússia para estabelecer missões de troca. Pedro respondeu com a nomeação de um cônsul em Lisboa. Não existe nenhuma prova, contudo, de que o consulado em Lisboa foi estabelecido naquele tempo. Trocas entre os dois países desenvolveram-se lentamente, e o consulado em Lisbo finalmente abriu em 1769, governado por João António Borscher, um banqueiro Germano-Português de Hamburgo. Borscher não estava intensamente interessado em promover os interesses dos negócios Portueses, e as trocas entre os dois países tornaram-se insignificantes.

Em setembro de 1779Maria I de Portugal nomeou o antigo embaixador da Holanda, Francisco José Horta Macedo, como embaixador de Portugal na Rússia com sede em São Petesburgo. Catarina II da Rússia respondeu nomeando Conde Wilhelm Nesselrode como embaixador em Portugal. Os contactos resultaram na Primeira Liga da Neutralidade Armada em 1782 e no Tratado Comercial de 1787. Em 1799, os dois países assinaram uma aliança defensiva que não precipitou numa ação militar direta.

A maior parte do século XIX, as relações mantiveram-se sem intercorrências, ganhando impulso na última década do século quando a Marinha Imperial Russa regularmente usou portos portugueses para reabastecimento. A equipa do iate imperial Tsesarevna, em particular, foi saudada pela sua ação contra o incêndio de 1895 que abalou a Assembleia da República. No entanto, durante a Guerra Russo-Japonesa em 1904, Portugal aliou com o Reino Unido e recusou a Marinha Russa de reabastecer nos seus portos.

Depois da Revolução de Fevereiro de 1917 na Russia, as relações entre os dois países foram cortadas em 1919, restabelecidas em 1934 para serem cortadas, outra vez, em 1951, unilateralmente por Portugal, em resposta ao suporte Soviético nos movimentos anti-Portugal nas Colónias Portuguesas. As relações não foram restabelecidas em 1974 com a Revolução de 25 de Abril de 1974 em Portugal e a derrubada pelo partido de direita. Entre 1951 e 1974 as relações eram bastante tensas visto que Portugal e a USSR votavam sempre uma contra a outra nas Nações Unidas.

Veja Também[editar | editar código-fonte]

Links Externos[editar | editar código-fonte]