Relações entre Cuba e Rússia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, veja o original e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Relações entre Cuba e Rússia
Bandeira de Cuba   Bandeira da Rússia
Mapa indicando localização de Cuba e da Rússia.
  Cuba
Embaixada da Rússia em Havana

As relações entre Cuba e Rússia (em russo: отношения Российско-кубинские, em espanhol: relaciones ruso-cubanas) refletem os intercâmbios políticos, econômicos e culturais entre Cuba e Rússia. Estes países tiveram uma estreita cooperação desde os tempos da União Soviética. A Rússia tem uma embaixada em Havana e um consulado-geral em Santiago de Cuba. Cuba tem uma embaixada em Moscou e um consulado honorário em São Petersburgo. Cerca de 55 mil pessoas de ascendência russa vivem em Cuba.

História[editar | editar código-fonte]

Cuba e a Federação Russa[editar | editar código-fonte]

Desde a queda da União Soviética, em 1991, Cuba e Rússia têm mantido suas relações diplomáticas. Depois de Vladimir Putin chegou ao poder em 2000, as relações entre ambos os países aumentou. Em dezembro de 2000 Putin visitou Cuba e, juntamente com Fidel Castro pediu o levantamento do embargo a Cuba. A Rússia ainda é o principal credor da Cuba e os dois países mantêm estreitos laços económicos com o outro. Cuba apoiou fortemente a posição da Rússia na guerra da Ossétia do Sul em 2008. No outono de 2008 Cuba e Rússia aumentou a cooperação conjunta com o outro no campo da economia. Vice-primeiro-ministro russo Igor Sechin visitou Cuba várias vezes em 2008, a fim de aumentar os laços econômicos e políticos. A Rússia foi o primeiro país a prestar ajuda a Cuba após três furacões devastaram o país no outono de 2008. A assistência prestada pela Rússia incluiu quatro aviões de alimentos, suprimentos médicos e material de construção.

Em novembro de 2008 o presidente russo Dmitry Medvedev visitou Cuba para fortalecer os laços econômicos e para permitir que as empresas russas a prospeção de petróleo offshore em águas cubanas, e para permitir que as empresas de mineração russas a mina de níquel em Cuba. Raul Castro viajou para uma semana- long visita a Moscovo de 28 de janeiro de 2009 a 4 de fevereiro de 2009. As conversações incluíram 20 000 000 de dólares no valor de crédito para Havana, e 25.000 toneladas de cereais como ajuda humanitária a Cuba.

Em julho de 2009 a Rússia começou a exploração de petróleo no Golfo do México após a assinatura de um acordo com Cuba. Com o novo acordo, a Rússia também concedeu um empréstimo de US $ 150 milhões para comprar construção e equipamentos agrícolas. Em 2013, Medvedev visitou novamente a Cuba em que ele assinou acordos em matéria de educação, saúde, hidrometeorologia, aeronáutica e tecnologia espacial.

Em julho de 2014 Vladimir Putin também visitou Cuba, onde ele elogiado a decisão de limpar 90% da dívida a Moscou e anunciou acordos para investir na indústria offshore de petróleo de Cuba.


Predefinição:Relações exteriores de Cuba