Salto da Divisa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Salto da Divisa
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Salto da Divisa
Bandeira
Hino
Gentílico saltense[1]
Localização
Localização de Salto da Divisa em Minas Gerais
Localização de Salto da Divisa em Minas Gerais
Salto da Divisa está localizado em: Brasil
Salto da Divisa
Localização de Salto da Divisa no Brasil
Mapa de Salto da Divisa
Coordenadas 16° 0' 10" S 39° 56' 49" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária[2] Teófilo Otoni
Região imediata[2] Almenara
Municípios limítrofes Jordânia, Jacinto e Santa Maria do Salto
Distância até a capital 877 km
História
Fundação 27 de dezembro de 1948[3]
Administração
Prefeito(a) Oximane Bonfim (DEM, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 938,005 km²
População total (estatísticas IBGE/2018[1]) 7 007 hab.
Densidade 7,5 hab./km²
Clima semiárido[4] (BSh)
Altitude 120 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 39925-000 a 39927-999[5]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[6]) 0,608 médio
PIB (IBGE/2016[7]) R$ 91 349,17 mil
PIB per capita (IBGE/2016[7]) R$ 12 835,35
Outras informações
Padroeiro(a) São Sebastião[8]
Website www.saltodadivisa.mg.gov.br (Prefeitura)

Salto da Divisa é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Localiza-se no Vale do Jequitinhonha e população estimada em 2018 era de 7 007 habitantes.[1]

A cidade passa por um processo novo de urbanização, com a implantação do lago da hidrelétrica de Itapebi, margeando a cidade. Tem sua economia baseada na agropecuária e extração de grafite. Como atrativo, o município apresenta o lago de 42 km, no Rio Jequitinhonha, que corta todo o Nordeste de Minas, com suas quedas d'água e seus afluentes, além das festas realizadas anualmente, como a de São Sebastião, a de São Cosme e São Damião e a de Nossa Senhora Aparecida.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

A região do atual município de Salto da Divisa começou a ser explorada entre 1550 e 1660, através de entradas e bandeiras, no entanto somente no século XIX estabeleceram-se os primeiros moradores. O tráfego fluvial no Rio Grande de Belmonte (atual Rio Jequitinhonha) era intenso e, com objetivo de coibir o contrabando de metais preciosos, o governo da Província da Bahia instalou um posto policial na região. Ao redor desse quartel, surgiu o povoamento, denominado Quartel do Salto.[3]

Dado o desenvolvimento, pela lei provincial nº 1.860, de 12 de outubro de 1871, cria-se o distrito de Salto Grande, a partir do povoado, pertencente ao município de São Miguel de Jequitinhonha (atual Jequitinhonha). Pelo decreto-lei estadual nº 58, 12 de janeiro de 1938, o distrito é transferido para o recém-criado município de Vigia (atual Almenara) e pelo decreto-lei estadual nº 1.058, de 31 de dezembro de 1943, passa a pertencer a Jacinto, criado sob o mesmo decreto. Também pela mesma lei, Salto Grande passa a denominar-se Salto da Divisa, vindo a emancipar-se pela lei estadual nº 336, de 27 de dezembro de 1948, constituindo-se de dois distritos: a Sede e Santa Maria do Salto, elevado a município pela lei estadual nº 2.764, de 30 de dezembro de 1962.[3]

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[9] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Teófilo Otoni e Imediata de Almenara.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Almenara, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Jequitinhonha.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Salto da Divisa». Consultado em 12 de março de 2019. Cópia arquivada em 12 de março de 2019 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. a b c Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Salto da Divisa - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 21 de dezembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 21 de dezembro de 2013 
  4. «Nova delimitação Semiárido» (PDF). Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste. 2 de abril de 2018. p. 29. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  5. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  6. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 4 de dezembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  7. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 12 de março de 2019. Cópia arquivada em 12 de março de 2019 
  8. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 2. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  9. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 7 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2017 
  10. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 7 de novembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.