Shenzhou 6

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Shenzhou 6
Insígnia da missão
Estatísticas da missão
Número de tripulantes 2
Lançamento 12 de outubro de 2005
01:00 UTC
Centro de Lançamentos de Satélites de Jiuquan
Aterrissagem 16 de outubro de 2005
20:33 UTC
interior da Mongólia
Órbitas 75
Duração 4d 19h 33min
Navegação
Último
Último
Shenzhou 5 insignia.PNGShenzhou 5
Shenzhou 7Shenzhou 7.png
Próximo
Próximo

Shenzhou 6 foi a segunda missão tripulada da China, lançada ao espaço em 12 de outubro de 2005, levando a bordo os taikonautas Fei Junlong e Nie Haisheng para quatro dias em órbita terrestre, no primeiro vôo com dois tripulantes do programa espacial chinês.

A tripulação testou os novos trajes espaciais mais leves, realizou experiências científicas - algumas mantidas em segredo, apesar da cobertura da televisão estatal chinesa 24 horas por dia[1] - e os taikonautas entraram pela primeira vez no módulo orbital, tendo acesso ao banheiro da nave. A missão teve a duração de quase cinco dias e terminou com o pouso da cápsula no interior da Mongólia.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Missão[editar | editar código-fonte]

Primeiro voo com dois tripulantes do programa Shenzhou, cinco duplas de taikonautas foram treinados para esta missão e cerca de um mês antes do lançamento as duas duplas com menor rendimento foram descartadas.[2] Anunciados à população chinesa e à imprensa internacional como tripulantes apenas cinco horas antes do lançamento, Junlong e Haisheng entraram na cápsula espacial no Centro de Lançamentos de Satélites de Jiuquan duas horas e quarenta e cinco minutos antes da partida. A subida foi perfeita e a nave foi colocada em órbita sobre o Mar Amarelo numa altitude de cerca de 250 km, vinte e um minutos após o lançamento da Terra. Pela primeira vez, câmeras foram instaladas na parte exterior do foguete, levando a milhões de chineses as imagens ao vivo do lançamento pela tv.

A nave entrou em órbita terrestre numa rota elíptica entre 211 e 345 km de altitude. Em órbita, os dois tripulantes puderam pela primeira vez entrar e sair do módulo orbital, testando o movimento dentro da Shenzou 6 – ao contrário do pioneiro Yang Liwei, obrigado a passar as 21 horas que esteve no espaço apertado dentro da pequena cápsula de reentrada, para o caso de uma emergência – aproveitando comodidades inexistentes no primeiro vôo como comida quente, sacos de dormir e aparelho sanitário, realizaram experiências em gravidade zero e conversaram com o presidente chinês Hu Jintao e com seus familiares. Haisheng, que fazia 41 anos durante o vôo, teve o “Parabéns pra Você” cantado por sua filha via rádio.[3]

Neste diagrama da nave Shenzhou 6, vê-se ao centro a cápsula de retorno, em verde, onde os taikonautas ficam durante o lançamento e na reentrada na atmosfera; à esquerda, o módulo de comando ou módulo orbital, onde a tripulação fica durante a missão. Este módulo continuou em órbita.

As experiências realizadas a bordo foram apenas superficialmente divulgadas. Uma delas envolveu testes da reação da espaçonave a movimentos dentro da cápsula e do módulo orbital. Eles passaram de uma câmara para outra, abrindo e fechando escotilhas com mais força do que o normalmente requerido.[4] Em julho de 2005, três meses antes da missão, foi anunciado que algumas das experiências a ser realizadas envolviam esperma de porcos.[5] Mas, em outubro, o diretor do Departamento de Reprodução Espacial da Academia Chinesa de Ciências Agrícolas afirmou que não havia planos de experiências orgânicas nem com animais nem com sementes e que o foco da missão era o estudo das reações humanas da tripulação no espaço.[6] A declaração, porém, acabou em contradição quando um ano e meio depois o governo começou a vender batata doce no Dia dos Namorados, afirmando que elas haviam crescido a partir de sementes levadas ao espaço.[7]

Em 15 de outubro, no terceiro dia da missão, os dois taikonautas tiveram uma conversa de alguns minutos com o presidente Hu Jintao, em que ele lhes disse que "a pátria e o povo estão orgulhosos de vocês. Eu espero que vocês completem sua tarefa com sucesso, levando a missão adiante com calma e cuidado, e tenham um retorno triunfante".[8]

Retorno[editar | editar código-fonte]

O processo de reentrada da nave começou às 19:44 UTC de 16 de outubro quando o módulo de comando separou-se do resto da espaçonave. Diferente das naves Soyuz russas, este processo é realizado nas Shenzhou antes da queima de motores para a reentrada, o que possibilita que o módulo orbital fique em órbita por meses, servindo para futuras missões de longa duração ou como alvo de treinamento de acopaglem de missões posteriores. Três dias depois do pouso da Shenzhou 6, o módulo que permaneceu em órbita teve seus motores disparados da Terra e foi colocado numa órbita circular de 355 km de altura, onde se encontra até hoje.[9]

Às 20:07 a cápsula iniciou a sua reentrada, entrando na atmosfera sobre os céus da China. A interrupção nas comunicações que ocorre durante a reentrada começou às 20:16 e durou dois minutos. A nave pousou no nordeste interior da Mongólia, a cerca de 1km do alvo pré-estabelecido, às 4:33 da manhã, hora local.[10]

Uma hora e meia após o pouso, no início do amanhecer as equipes de apoio chegaram ao local e abriram as escotilhas para a saída de Fei e Nie. Após rápidos exames médicos e um lanche leve, os dois foram embarcados num avião para Pequim, onde foram colocados em isolamento médico por duas semanas.[11] A cápsula foi transportada de trem até Pequim, onde se encontra exposta ao público no Instituto de Pesquisa de Tecnologia Espacial da China.

Referências

  1. Shenzhou 6. Encyclopedia Astronautica. Página visitada em 17/06/2012.
  2. Astronauts In Training For Second Manned Spaceflight. SpaceDaily. Página visitada em 17/06/2012.
  3. "Chinese Astronaut Calls Family from Space", Xinhua News Agency, 2005-10-15. Página visitada em 2006-09-17.
  4. "Astronauts test the spacecraft", Shanghai Daily, 2005-10-13. Página visitada em 2006-09-17.
  5. "China Space Flight to Test Cosmic Radiation on Pig Sperm", Deutsche Presse-Agentur, 2005-07-18. Página visitada em 2006-09-17. [ligação inativa]
  6. "Official: Shenzhou VI not to carry plant seeds", China Daily, 2005-10-11. Página visitada em 2006-09-17.
  7. "Lift-off for Chinese space potato", BBC News, 2007-02-12. Página visitada em 2007-02-13.
  8. "Chinese President Praises Shenzhou 6 Crew", Space.com, 2005-10-15. Página visitada em 2006-09-17.
  9. "Shenzhou 6 Orbital Module Reaches Higher Orbit", Space.com, 2005-10-21. Página visitada em 2006-09-17.
  10. "Shenzhou-6 Landed Successfully", China Radio International], 2005-10-17. Página visitada em 2006-09-17.
  11. "Astronauts in medical isolation", China Central Television, 2005-10-18. Página visitada em 2006-09-17.

Ver também[editar | editar código-fonte]