LATAM Cargo Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TAM Cargo)
Ir para: navegação, pesquisa
LATAM Cargo Brasil
IATA M3
ICAO LTG
Indicativo de chamada TAM CARGO
Fundada em 1997 (inc. Helisul Linhas Aéreas/Itapemirim Transportes Aéreos Regionais pela TAM Linhas Aéreas)
2001 (inc. ABSA Cargo Airline pela LAN Airlines)
Principais centros
de operações
Frota 6 aeronaves
Destinos 130 destinos
Companhia
administradora
LATAM Airlines Group
Sede São Paulo São Paulo,  Brasil
Pessoas importantes Rolim Amaro (fundador)
Cláudia Sender (CEO)
Sítio oficial www.latamcargo.com

A LATAM Cargo Brasil, anteriormente denominada TAM Cargo ou TAM Express, é uma companhia aérea brasileira sediada em São Paulo, atualmente considerada a maior empresa do segmento do Brasil, fundada a partir das compras das companhias Helisul Linhas Aéreas, Itapemirim Transportes Aéreos Regionais e ABSA Cargo Airline pela TAM Linhas Aéreas e pela LAN Airlines, respectivamente. [1]

Ganhou notoriedade internacional após ter sua antiga sede destruída pela colisão de um Airbus A320 da própria TAM Linhas Aéreas no dia 17 de julho de 2007, culminando no acidente com o vôo 3054 da companhia, causando a morte de 199 pessoas entre passageiros do avião e pessoas em terra, incluíndo funcionários da TAM Express. Faz parte da LATAM Airlines Group, uma holding chileno-brasileiro com atuação também na Argentina, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru. Desde o dia 5 de maio de 2016 a companhia adotou a marca LATAM Airlines como última fase da fusão da TAM com a chilena LAN.[2] Atualmente, juntamente com a LATAM Cargo Chile, é a maior empresa aérea de cargas da América Latina. A frota da LATAM Cargo Brasil é composta por seis aeronaves Boeing 767.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1996, a TAM (na época, conhecida como Transportes Aéreos Regionais) começou a investir no ramo do setor de cargas, após comprar a companhia Helisul Linhas Aéreas S/A no dia 1 de julho do mesmo ano. Após prestar serviços de fornecimento para a companhia, a Helisul foi completamente incorporada pela TAM em 1997, passando a se chamar TAM Express, recebendo a frota de Cessna 208 Caravan da Helisul e da antiga Brasil Central Linhas Aéreas, também incorporada pela TAM, que passou a se chamar TAM Meridional (Transporte Aéreo Meridional), e mais tarde, TAM Linhas Aéreas.

A incorporação definitiva da Helisul ocorreu por volta de 1998. Além da Helisul, outra companhia aérea, a Itapemirim Transportes Aéreos Regionais, também foi incorporada a TAM Express. A antiga sede da empresa era localizada num terreno em frente ao Aeroporto de Congonhas, ao lado de um posto de gasolina da bandeira Shell, até a destruição de ambos no acidente com o vôo 3054 em 17 de julho de 2007.

Paralelamente a isso, em 2001, a LAN Airlines tornou-se acionista da ABSA Cargo Airline, que mantinha estreitas relações com os membros de sua aliança estratégica, passando a ser o braço de atuação da empresa no setor brasileiro de cargas aéreas.

Vôo TAM 3054[editar | editar código-fonte]

Antiga sede da empresa em São Paulo antes do acidente do voo TAM 3054.

A sede da empresa foi destruída em 17 de julho de 2007 pela aeronave Airbus A320 da própria TAM, voo JJ 3054, que saiu da cidade de Porto Alegre, RS às 17h16 com destino a cidade de São Paulo, Aeroporto de Congonhas. Às 18h30 derrapou e saiu da pista, cruzando a Avenida Washington Luís e chocando-se contra o prédio da TAM Express (nome anterior) situado quase em frente ao aeroporto, explodindo e matando 199 pessoas entre passageiros e pessoas em terra, incluíndo funcionários da TAM Express, entre eles, o gerente de cargas José Antônio Rodrigues Santos Silva, que ajudou a salvar muitos dos funcionários que estavam no prédio[4], e o dono da empresa de cargas Transmodel, Oswaldo Luiz de Souza, que fazia uma entrega no prédio no momento do acidente, sendo a primeira vítima do acidente identificada no IML.[5] Porém, muitos dos funcionários conseguiram escapar do incêndio gerado logo após o choque do avião com o prédio.

Devido aos danos causados pelo desastre, durante o choque e o incêndio ocorridos no desastre, o prédio foi considerado como condenado pelas autoridades. Segundo a Defesa Civil, o prédio seria implodido às 15:30 da tarde de domingo, a TAM inicialmente desmentiu o horário, mas voltou atrás, confirmou a implosão e disse que doaria o terreno para a prefeitura para a construção de uma praça e um memorial em homenagem as vítimas. A Defesa Civil a partir das 14:00 de domingo, começou a entregar panfletos aos moradores, contendo medidas de segurança, como desligar a energia elétrica, prendendo os animais, e que os moradores ao redor fossem retirados das suas casas 30 minutos antes da implosão.

Por volta das 15h30min do dia 5 de agosto de 2007, o edifício da empresa foi implodido. A implosão foi transmitida ao vivo em rede internacional pela Rede Globo de Televisão. Em 2012, no terreno onde o prédio era localizado, foi inaugurado o Memorial 17 de Julho, com uma praça e um espelho d'água com os nomes das 199 vítimas do acidente, junto a uma amoreira que se localizava no estacionamento do prédio e que resistiu ao desastre.

Reestruturação e LATAM Airlines Group[editar | editar código-fonte]

Após o acidente com o vôo TAM 3054, a TAM Express passa a funcionar em um novo endereço, localizado no bairro do Jardim Aeroporto, próximo a um antigo hangar da VASP. Em 2008, passa a se chamar TAM Cargo. Em 2010, a companhia, junto da ABSA Cargo Airline, ingressou no processo de fusão da LAN e TAM, que criaria a LATAM Airlines Group. Em junho de 2012, 95% das ações da empresas eram da TAM. Em 2012 iniciou as operações dos Correios, juntamente com a chegada de mais uma nova aeronave a frota, que já continha a pintura da TAM Cargo, apesar de ser operada pela ABSA Cargo.

No dia 1 de agosto, ABSA Cargo e a TAM Cargo passaram a ser a unidade cargueira do Grupo LATAM no Brasil, passando a se chamarem LATAM Cargo Brasil. Ainda em 2012, após a chegada do primeiro Boeing 767-300F com a pintura da TAM Cargo, começa a retirada da pintura da ABSA das aeronaves, consolidando a marca TAM Cargo.[6]

Frota[editar | editar código-fonte]

Frota de aeronaves da LATAM Cargo Brasil [7]
Aeronave Quantidade Notas
Boeing 767-346ERF 6 -

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]