The Diary of Alicia Keys

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
The Diary of Alicia Keys
Álbum de estúdio de Alicia Keys
Lançamento 1 de dezembro de 2003 (ver histórico de lançamento)
Gravação 2002-2003
The Hit Factory, Kampo Studios, KrucialKeys Studios, Quad Recording Studios
(Nova Iorque, Nova Iorque)
The Hit Factory Criteria
(Miami, Flórida)
Plus XXX
(Paris, França)
Sarm West Studios
(Londres, Inglaterra)
Gênero(s)
Duração 57:45
Gravadora(s) J
Produção Alicia Keys (também exec.), Kerry "Krucial" Brothers, Kanye West, Timbaland, Dre & Vidal, Easy Mo Bee, Dwayne "D. Wigg" Wiggins, Kumasi
Certificação 5× Platina (RIAA)[1]
Cronologia de Alicia Keys
Songs in A Minor
(2001)
Unplugged
(2005)
Singles de The Diary of Alicia Keys
  1. "You Don't Know My Name"
    Lançamento: 18 de novembro de 2003
  2. "If I Ain't Got You"
    Lançamento: 24 de fevereiro de 2004
  3. "Diary"
    Lançamento: 29 de junho de 2004
  4. "Karma"
    Lançamento: 26 de outubro de 2004

The Diary of Alicia Keys (O Diário de Alicia Keys, em português) é o segundo álbum de estúdio da cantora americana de R&B e soul Alicia Keys, lançado em 1 de dezembro de 2003, através da J Records. As sessões de gravação do álbum ocorreram entre 2002 e 2003 em vários estúdios, e a produção foi realizada primariamente por Keys com a contribuição de Kerry Brothers Jr., Timbaland, Dwayne Wiggins, Dre & Vidal, Easy Mo Bee e Kanye West.

O álbum debutou na primeira posição da Billboard 200, dos Estados Unidos, vendendo 618 mil cópias em sua primeira semana. Se tornou o segundo álbum consecutivo de Keys a alcançar essa posição na parada musical e rendeu três singles top 10. Após seu lançamento, The Diary of Alicia Keys recebeu opiniões geralmente positivas da maioria dos críticos musicais e ganhou três Grammys nas categorias "Melhor Álbum de R&B", "Melhor Performance Vocal Feminina de R&B" por "If I Ain't Got You", "Melhor Canção de R&B" por "You Don't Know My Name", e recebeu três indicações para "Álbum do Ano" e "Música do Ano" por "If I Ain't Got You", "Melhor Performance de R&B por um Duo ou Grupo com Vocais" por "Diary", em sua 47ª edição. Com a venda de quatro milhões de cópias nos Estados Unidos e oito milhões mundialmente, o álbum é o 31º mais vendido da década de 2000, e está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.[2] Em 2020 a revista Rolling Stone o incluiu em sua famosa lista "500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos" na posição 277.[3]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as canções foram escritas ou co-escritas por Alicia Keys. Os demais compositores estão listados nas respectivas faixas.

TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
1. "Harlem's Nocturne"   Alicia Keys 1:43
2. "Karma"  Tenisha Smith, Kerry Brothers Jr.Kerry Brothers, Jr. 4:16
3. "Heartburn"  Tim Mosley, Erika Rose, Walter Millsap III, Candice NelsonTimbaland, Alicia Keys 3:28
4. "I Was Your Woman/Walk On By"  Burt Bacharach, Hal David, Gloria Jones, Pam Sawyer, Clarence McMurrayEasy Mo Bee, Alicia Keys, Dwayne Wiggins 3:06
5. "You Don't Know My Name"  Harold Lilly, Kanye West, Ken Williams, Mel Kent, J. R. BaileyKanye West, Alicia Keys 6:08
6. "If I Ain't Got You"   Alicia Keys 3:48
7. "Diary" (feat. Tony! Toni! Toné!)Brothers Jr.Alicia Keys 4:45
8. "Dragon Days"   Alicia Keys 4:36
9. "Wake Up"  Brothers Jr.Alicia Keys 4:27
10. "So Simple"  Lilly, Andre Harris, Vidal DavisDre & Vidal 3:49
11. "When You Really Love Someone"  Brothers Jr.Alicia Keys 4:09
12. "Feeling U, Feeling Me (Interlude)"   Alicia Keys 2:07
13. "Slow Down"  Rose, Lamont GreenAlicia Keys, Kumasi 4:18
14. "Samsonite Man"  RoseAlicia Keys, Kerry "Krucial" Brothers 4:12
15. "Nobody Not Really"  Taneisha SmithAlicia Keys 2:56
Créditos de demonstração
  • "Karma" - Contém elementos de Violin Concerto in D major, Op. 77 de Johannes Brahms
  • "If I Was Your Woman" - È um cover de "If I Were Your Woman" escrita por Gloria Jones, Clarence McMurray, Pam Sawyer e performada por Gladys Knight & the Pips.
  • "Walk on By" - É um cover e contém interpolações de "Walk on By" escrita por Burt Bacharach, Hal David e performada por Isaac Hayes.
  • "You Don't Know My Name" - Contém interpolações e amostras de Let Me Prove My Love to You" escrita por J. R. Bailey, Mel Kent, Ken Williams e performada por The Main Ingredient.
  • "Streets of New York" - Contém amostras de "N.Y. State of Mind" escrita por Eric Barrier, Nasir Jones, Chris Martin, William Griffin e performada por Nas.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Performance e vendas[editar | editar código-fonte]

The Diary of Alicia Keys debutou no número um na Billboard 200, com a venda de 618.000 cópias na primeira semana, sendo o segundo álbum de Keys à alcançar a posição.[4] O álbum passou 88 semanas na parada, deixando-a na posição #198, em 2005, e vendeu aproximadamente cerca de quatro milhões cópias nos Estados Unidos e oito milhões mundialmente.[5] Os quatro singles do álbum, "You Don't Know My Name", "If I Ain't Got You", "Diary" e "Karma", alcançaram o top vinte da Billboard Hot 100, com três deles sendo top 10.

Críticas[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
allmusic 4 de 5 estrelas.[6]
Blender 4 de 5 estrelas.[7]
Entertainment Weekly B[8]
Los Angeles Times 3.5 de 4 estrelas.[9]
New York Times favorável[10]
PopMatters favorável[11]
Rolling Stone 3 de 5 estrelas.[12]
Slant 4 de 5 estrelas.[13]
Vibe 4.5 de 5 estrelas.[14]
Village Voice mista[15]

Após seu lançamento, o álbum recebeu geralmente opiniões positivas da maioria dos críticos musicais, conseguindo uma pontuação de 71 em 100 no Metacritic.[16] Em sua crítica para o allmusic, Stephen Thomas Erlewine afirmou que "musicalmente, essa é uma perfeita peça de trabalho", completando que "não é apenas sedutor, é um bom testemunho dos pontos musicais fortes de Keys".[6] O jornal inglês The Times afirmou que o álbum "confirmou o lugar [de Alicia] na história musical".[17] Dando ao álbum quatro entre cinco estrelas, a revista People disse que "A idade de ouro do R&B honrou Keys com uma alma muito além de seus vinte e três anos".[18] Na revista Time, Josh Tyrangiel escreveu que nesse álbum Alicia "fez na metade uma gravação incrível. As primeira seis faixas são modelos de como fazer música nostálgica que não é anti-presente… A segunda metade é a queda de Diary". No entanto, ele adicionou que é "óbvio" que "vale a pena ouvir" os próximos álbuns.[19] Michael Paoletta afirmou na Billboard que "a cantora superou Songs in A Minor confortavelmente" e que "canaliza o espírito do soul dos anos 60 e 70 para Diary".[20] Rob Sheffield o chamou de "seguro, com comunicação adulta, impregnado na complicada vida amorosa e sonhos musicais de uma jovem mulher".[12] Na ABC News, Allan Raible comparou Alicia com Whitney Houston.[21] Christian Ward, do Yahoo! Music, deu ao álbum nove estrelas, em um máximo de dez; ele comentou que as canções do álbum seriam consideradas "clássicos", chamando-o de "obra prima".[22]

Certificações[editar | editar código-fonte]

País Provedor Vendas Certificação
 Estados Unidos RIAA 5.000,000 5× Platina[23]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Gravadora
 Reino Unido 1 de dezembro de 2003 J
 Alemanha
 França
 Austrália
 Estados Unidos 2 de dezembro de 2003
 Canadá Sony
 Japão 12 de dezembro de 2003 BMG

Referências

  1. «Search Results» (em inglês). RIAA. 28 de março de 2005. Consultado em 8 de maio de 2010 
  2. «2007 National Association of Recording Merchandisers» (em inglês). Timepieces. 2007. Consultado em 25 de maio de 2010. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2010 
  3. https://rollingstone.uol.com.br/noticia/os-500-melhores-discos-de-todos-os-tempos-da-rolling-stone/
  4. Martens, Todd (10 de dezembro de 2003). «Keys Unlocks Second No. 1 Debut» (em inglês). Billboard. Consultado em 24 de fevereiro de 2010 
  5. Batey, Angus (10 de novembro de 2007). «The ascent of Alicia Keys» (em inglês). The Times. Consultado em 24 de fevereiro de 2010 
  6. a b Thomas Erlewine, Stephen. «The Diary of Alicia Keys» (em inglês). Allmusic. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  7. Ex, Kris. «Review - Alicia Keys - The Diary of Alicia Keys» (em inglês). Blender. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  8. Browne, David (5 de dezembro de 2003). «The Diary of Alicia Keys (2003)». Ew.com (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  9. Hilburn, Robert (30 de novembro de 2003). «Accomplished at 22, finding her own path» (em inglês). Los Angeles Times. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  10. Pareles, Jon (7 de dezembro de 2003). «Alicia Keys Fights for Soul's Survival» (em inglês). New York Times. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  11. Anthony Neal, Mark (11 de dezembro de 2003). «ALICIA KEYS - The Diary of Alicia Keys» (em inglês). PopMatters. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  12. a b Rob, Sheffield (2 de dezembro de 2003). «Album Reviews - The Diary Of Alicia Keys» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  13. Cinquemani, Sal (3 de dezembro de 2003). «Alicia Keys - The Diary Of Alicia Keys» (em inglês). Slant. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  14. Ehrlich, Dimitri. «Review: The Diary of Alicia Keys» (em inglês). Vibe. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  15. Sinagra, Laura. «Review: The Diary of Alicia Keys» (em inglês). The Village Voice. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  16. «The Diary Of Alicia Keys by Alicia Keys» (em inglês). Metacritic. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  17. Iley, Chrissy (24 de fevereiro de 2008). «Alicia Keys, the girl who made Bob Dylan weep». Times Online (em inglês). The Times. Consultado em 25 de fevereiro de 2010 
  18. Arnold, Chuck (8 de dezembro de 2003). «The Diary Of Alicia Keys». People (em inglês). 60 páginas 
  19. Tyrangiel, Josh (8 de dezembro de 2003). «The Princess of Queens». Time (em inglês) 
  20. Paoletta, Michael (13 de dezembro de 2003). «The Diary of Alicia Keys». Billboard (em inglês). 50. 115 páginas 
  21. Raible, Allan (12 de novembro de 2007). «Alicia's Keys to Hit Records: Authenticity and Range» (em inglês). ABC News. Consultado em 13 de abril de 2010 
  22. Ward, Christian (12 de janeiro de 2003). «Alicia Keys - 'The Diary Of Alicia Keys'» (em inglês). Yahoo! Music. Consultado em 13 de abril de 2010 
  23. https://www.riaa.com/gold-platinum/?tab_active=default-award&se=alicia+keys#search_section