Tony Babalu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tony Babalu
Tony Babalu 2019 - Foto Osmar Santos Jr.
Informação geral
Nome completo A. Medeiros Jr.
Nascimento 29 de dezembro de 1953
Origem São Paulo (SP)
País Brasil
Gênero(s)
Instrumento(s) Guitarra elétrica
Modelos de instrumentos Fender Stratocaster 1972
Período em atividade 1970 - atualmente
Gravadora(s) Amellis Records
Página oficial https://www.tonybabalu.com

Tony Babalu é representante da 2ª geração de guitarristas do rock brasileiro.[1] Compositor, arranjador, produtor, diretor e guitarrista, é, segundo Okky de Souza (crítico musical), "um dos mais completos guitarristas brasileiros, capaz de brilhar em todos os gêneros ligados ao pop e de mergulhar fundo na herança inestimável dos bluesmen que moldaram o som do final do século XX".[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tony Babalu iniciou sua carreira na década de 70, no bairro da Pompeia, em São Paulo, como guitarrista da banda Made in Brazil, sendo compositor (com Oswaldo Vecchione) de 9 das 12 faixas do disco "Pauliceia Desvairada", considerado pela “Folha de S. Paulo” uma das quatro obras fundamentais do rock brasileiro dos anos 70.[3] Entre essas faixas destacam-se “Gasolina”, “Amanhã é um Novo Dia” e “Uma Banda Made in Brazil” (relançadas em CD pela BMG/Ariola).

Nos anos 1980, participou do festival MPB 80 (TV Globo) com a música "Cidade Louca" (Tony Babalu/Eliana Ribeiro - arranjo Amilson Godoy), lançada em EP pela Tapecar com o grupo Artigo de Luxo, e integrou a banda Quarto Crescente (que lançou disco homônimo pela Fermata).[4] [5] [6] [7]

Em 1988, fundou a banda de funk rock Bem Nascidos e Mal Criados,[8] que se tornou conhecida no cenário cultural alternativo de São Paulo durante os anos 90.[9]

Em 2003, gravou seu primeiro trabalho instrumental, o CD autoral "Balada na Noite", em que executou e programou todos os instrumentos e trabalhou a fusão “Jazz-Rock-Blues”, com lançamento exclusivo na web.

Entre 2005 e 2007, foi responsável pela direção e produção dos CDs "Noite Proibida" (Marise Marra)[10] e "Maga Lieri" (Maga Lieri),[11] e compositor de quatro músicas do disco "Novo Endereço" (Penha Pinheiro),[12] entre as quais "Tão Down"[13] e "Pago pra Ver"[14], todos lançados pelo selo Amellis Records com distribuição da Tratore.

Nos anos seguintes, Tony Babalu realizou shows solo que percorreram diversas fases de sua carreira em locais como MIS-SP (Museu da Imagem e do Som), Galeria Olido, Centro Cultural SP, Sescs, Sesis e outros, e continuou a participar do trabalho de amigos como a banda Made in Brazil[15] e a banda belga Mind Priority.[16]

Em 2012, o guitarrista fundou o power trio de rock instrumental BETAGROOVEBAND, ao lado de Marina Abramowicz (bateria) e PV Ribeiro (baixo), cuja estreia marcou o aniversário de 30 anos do Centro Cultural São Paulo com um show especial em 24 de novembro.[17]

Em 2014, Tony Babalu lançou o álbum instrumental "Live Sessions at Mosh" (Amellis Records/Tratore),[18] composto de seis temas que misturam ritmos brasileiros e latinos à essência negra do funk, rock e blues. Gravado ao vivo no estúdio Mosh (São Paulo/SP), o processo de captação foi elaborado e executado de forma a garantir todos os elementos de uma apresentação ao vivo.[7] A banda recrutada por Tony Babalu, também produtor do CD, contou com Franklin Paolillo na bateria, Adriano Augusto nos teclados e Leandro Gusman no contrabaixo.

O ano de 2017 marca o lançamento de "Live Sessions II" (Amellis Records/Tratore), o segundo disco do guitarrista seguindo o conceito de gravação analógica e ao vivo a partir de uma atmosfera vintage e orgânica, igualmente com seis faixas instrumentais. Ao lado de Tony Babalu, também compositor e produtor de todas as músicas do disco, participaram Adriano Augusto (teclados), Leandro Gusman (baixo) e Percio Sapia (bateria).[19]

Também em 2017, o guitarrista participou do renomado projeto Instrumental Sesc Brasil, no Teatro Anchieta, do Sesc Consolação. O programa resultante do show estreou na SescTV em julho com apresentação da jornalista Patrícia Palumbo, e foi disponibilizado integralmente na internet.[20] Pelo mesmo projeto, Tony Babalu teve sua trajetória retratada no documentário Passagem de Som, também produzido e exibido pela SescTV e disponível online.[21]

Com "Live Sessions II", Tony Babalu venceu o Troféu Cata-Vento 2017 na categoria Rock. O prêmio é uma iniciativa do produtor musical Solano Ribeiro e da Rádio Cultura, e desde 2007 destaca os melhores da produção musical independente brasileira.[22]

Em 2020, lança o single "2020!", disponibilizado a partir de 3 de janeiro em todas as plataformas digitais. Diferentemente dos trabalhos anteriores, em que contou com o apoio de banda completa, Tony Babalu atuou sozinho em seu home studio na composição, programação dos instrumentos (teclados, baixo, bateria e percussão) e gravação das linhas de guitarra.[23] [24]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 2020 - Single "2020!", de Tony Babalu, lançado pela Amellis Records/Tratore:
    • Produção musical
    • Arranjos
    • Composição
    • Guitarra
    • Programação (baixo, teclados, bateria e percussão)
    • Mixagem
  • 2017 - CD "Live Sessions II", de Tony Babalu, lançado pela Amellis Records/Tratore:
    • Produção musical
    • Arranjos
    • Composição de todas as faixas
    • Guitarra
  • 2014 - CD "Live Sessions at Mosh", de Tony Babalu, lançado pela Amellis Records/Tratore:
    • Produção musical
    • Arranjos
    • Composição de todas as faixas
    • Guitarra
  • 2014 - CD "Falhas da Percepção", do violonista e pianista Nicholas Abdo', lançado pela Amellis Records/Tratore:
    • Produção musical
  • 2008 - “Rock de Verdade”, da banda Made in Brazil, lançado em CD pela Made in Brazil Records:
    • Guitarra solo em "Festa na Pompeia"
  • 2006 - CD “Novo Endereço”, da cantora Penha Pinheiro, lançado pela Amellis Records/Tratore:
    • Composição: “Novo Endereço”, “Pago pra Ver”, “Não Consigo te Deixar” e “Tão Down”
  • 2005 - “Balada na Noite”, de Tony Babalu, lançado digitalmente pela Amellis Records/iMúsica:
    • Arranjos
    • Guitarras
    • Programação (baixo, teclados e bateria) em todas as faixas
    • Composição de todas as faixas
  • 2005 - CD “Noite Proibida”, da guitarrista, cantora e compositora Marise Marra, lançado pela Amellis Records/Tratore:
    • Direção musical
    • Produção artística e geral
  • 2005 - CD “Maga Lieri”, da cantora e compositora Maga Lieri, lançado pela Amellis Records/Tratore:
    • Direção artística
    • Co-produção musical (com Luiz Carlos Maluly) em “De Repente Nunca Mais” e “Meus Sinais”
    • Guitarra solo e composição em “Tua Canção”
    • Guitarra solo em “Sotaque Soul”
  • 2001 - CD “Fogo na Madeira II – Acústico - Made in Brazil Ao Vivo”, da banda Made in Brazil, gravado ao vivo no Teatro do Sesi (São Paulo/SP) e no Bourbon Street (São Paulo/SP), e lançado pela Made in Brazil Records:
    • Violão
    • Baixo em "Amanhã É um Novo Dia"
  • 2000 - CD “Fogo na Madeira – Acústico - Made in Brazil Ao Vivo”, da banda Made in Brazil, gravado ao vivo no Delta Blues Bar (Campinas/SP) e no Bourbon Street (São Paulo/SP), e lançado pela Made in Brazil Records:
    • Violão em todas as faixas
  • 2000 - “MPBlues”, CD do guitarrista Duca Belintani, lançado pela gravadora Eldorado:
    • Composição: “Tão Down" e “Bonnie”
  • 1998 - “Sexo, Blues & Rock'n' Roll”, da banda Made in Brazil, lançado em CD pela Made in Brazil Records:
    • Assistente de direção
    • Guitarras
    • Guitarra solo em "Remédio pra Dormir"
  • 1986 - “Made Pirata Vol. II”, da banda Made in Brazil, lançado em LP pela RGE em 1986 e relançado em CD pela BMG em 1999:
    • Assistente de produção
    • Assistente de direção
    • Guitarras
  • 1986 - “Made Pirata Vol. I”, da banda Made in Brazil, lançado em LP pela RGE em 1986 e relançado em CD pela BMG em 1999:
    • Assistente de Produção
    • Assistente de Direção
    • Guitarras
    • Guitarra solo em "Não Transo Mais"
  • 1986 - “Deus Salva... o Rock Alivia”, da banda Made in Brazil, lançado em LP pela RGE em 1986:
    • Direção e coordenação de estúdio
    • Guitarras em "Malvina's (O Pessoal do Rock)"
    • Composição: “Cometa Rock”
  • 1981/1999 - “Minha Vida É Rock and Roll”, da banda Made in Brazil, lançado em LP pela RCA em 1981 e relançado em CD pela BMG em 1999:
    • Guitarras rítmicas em todas as músicas
    • Baixo em "Fim de Semana", "Menina", "Assopraram a Velhinha", "Caraíbas 93", "Gatinha Fujona", "Me Faça Sonhar (Parte I)" e "Me Faça Sonhar (Parte II)"
    • Composição: “Gatinha Fujona”
  • 1981 - “Quarto Crescente”, da banda Quarto Crescente, lançado em LP pela Fermata:
    • Guitarras
  • 1980 - “Cidade Louca”, da banda Artigo de Luxo, lançado em compacto simples pela Tapecar:
    • Diretor artístico e geral
    • Produtor artístico e geral
    • Violão
    • Composição
  • 1978/1999 - “Pauliceia Desvairada”, da banda Made in Brazil, lançado em LP pela RCA em 1978 e relançado em CD pela BMG em 1999:
    • Arranjos de base
    • Guitarras rítmicas em todas as músicas
    • Violões em “Amanhã É um Novo Dia”, "Você me Machucou" e "Chuva"
    • Percussão em "Uma Banda Made in Brazil" e "Não Estou Nem Aí..."
    • Composição: “Gasolina”, “Amanhã É um Novo Dia”, “Eu Vou Estar com Você”, “Eu não Sei se Mudaria”, “Você me Machucou”, “Uma Banda Made in Brazil”, “Chuva”, “Finge que Tropeça” e “Massacre”
  • 1977/2005/2015 - “Massacre”, da banda Made in Brazil, gravado em 1977 pela RCA, lançado oficialmente em 2005 pela Made in Brazil Records (em CD) e em 2015 pela Mafer Records (em vinil):
    • Baixo
    • Violões
    • Guitarras rítmicas e solo
    • Composição: “Massacre”, “Amanhã É um Novo Dia”, “Uma Banda Made in Brazil”, “Dia de Assumir”, “Eu Vou Estar com Você”, “Eu não Sei se Mudaria”, “Chuva”, “Você me Machucou” e “Finge que Tropeça”
  • 1976/1999 - “Jack O Estripador”, da banda Made in Brazil, lançado em LP pela RCA em 1976 e relançado em CD pela BMG em 1999:
    • Guitarras rítmicas em todas as músicas
    • Guitarra solo em “Não Transo Mais”
    • Baixo em “O Cigano”
  • 1974/1999 - “Made in Brazil”, da banda Made in Brazil, lançado em LP pela RCA em 1974 e relançado em CD pela BMG em 1999:
    • Guitarras rítmicas em todas as músicas
    • Composição em “Intupitou o Trânsito”

Referências

  1. «Emoção em solos de guitarra». São Luís/MA. O Estado do Maranhão. 3 de agosto de 2014. Consultado em 8 de maio de 2017 
  2. «Tony Babalu lança disco de inéditas». Portal SUCESSO!. 24 de junho de 2014. Consultado em 8 de maio de 2017 
  3. Menezes, Thales de (16 de março de 1999). «Made in Brazil: A banda paulistana formada nos anos 70 tem seus quatro primeiros álbuns relançados em dois CDs pela BMG e continua na ativa». São Paulo/SP. Folha de S. Paulo. Consultado em 8 de maio de 2017 
  4. «LP Quarto Crescente (capa)». 26 de fevereiro de 2018. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  5. «LP Quarto Crescente (contracapa)». 26 de fevereiro de 2018. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  6. «LP Quarto Crescente - (áudio completo)». 26 de janeiro de 2017. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  7. a b Gavin, Cesar (6 de agosto de 2014). «Guitarrista Tony Babalu lança disco novo». Consultado em 8 de maio de 2017 
  8. Monteiro, Antonio Carlos (16 de dezembro de 2014). «Tony Babalu: Uma vida rock'n'roll». Itapira/SP. Megaphone Cultural. Consultado em 8 de maio de 2017 
  9. «Parte do Bem Nascidos e Mal Criados que se apresenta até domingo». São Paulo/SP. Folha de S. Paulo. 24 de novembro de 1995. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  10. «Álbum Noite Proibida (Marise Marra)». 29 de novembro de 2005. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  11. «Álbum Maga Lieri (Maga Lieri)». 31 de janeiro de 2006. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  12. «Álbum Novo Endereço (Penha Pinheiro)». 20 de outubro de 2006. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  13. «Programa do Jô - Musical de abertura com Penha Pinheiro - Música 'Tão Down' (Tony Babalu)». 24 de novembro de 2008. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  14. «Programa do Jô - Musical de encerramento com Penha Pinheiro - Música 'Pago pra Ver' (Tony Babalu)». 24 de novembro de 2008. Consultado em 8 de novembro de 2020 
  15. «Banda Made in Brazil: O Cigano (Virada Cultural 2012)». 5 de maio de 2012. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  16. «Tony Babalu - Baianada (live with Mind Priority)». 31 de outubro de 2010. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  17. «Betagroveband: Hora do Rush». 24 de novembro de 2012. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  18. «5 perguntas para Tony Babalu». Guitar Player. Setembro de 2015. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  19. Ferreira, Mauro (20 de agosto de 2017). «Herói Brasileiro da Guitarra, Babalu lança álbum de atmosfera vintage». G1 Pop & Arte. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  20. «Tony Babalu - Programa Instrumental Sesc Brasil». 9 de julho de 2017. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  21. «Programa Passagem de Som - documentário sobre Tony Babalu». 9 de julho de 2017. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  22. «Tony Babalu vence o Troféu Cata-Vento 2017». 8 de dezembro de 2017. Consultado em 9 de dezembro de 2017 
  23. «Guitarrista Tony Babalu Lança Nova Música». 21 de dezembro de 2019. Consultado em 28 de dezembro de 2019 
  24. «Tony Babalu Mergulha no Jazz Banhado no Rock em '2020!'». 23 de dezembro de 2019. Consultado em 28 de dezembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]