Trelleborg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Trelleborg
Cidade da Suécia
País  Suécia
Província histórica Skåne vapen.svg Escânia (província)
Condado Skåne län vapen.svg Escânia (condado)
Comuna Trelleborg vapen.svg Trelleborg
População 29 673 (2 016)[1]
Um dos sistemas digitais de exibição de partidas (infoskärm, em sueco) de trem e ônibus na estação central de Trelleborg (Trelleborg Centralstation).
Estação central de Trelleborg (Trelleborg centralstation)

Trelleborg (PRONÚNCIA APROXIMADA tréle-bóri) é uma cidade portuária do extremo Sul da Suécia, localizada na província histórica da Escânia (Skåne, em sueco). A cidade tem uma população de cerca de 30 000 habitantes, sendo sede da comuna de Trelleborg (esta com 43 913 habitantes)[2][3][4].

História[editar | editar código-fonte]

Trelleborg é mencionado pela primeira vez em escritura no ano de 1257. Porém, no fim da Era Viquingue foi construído um castelo em forma de anel chamado Trelleborg, e a cidade recebeu seu nome. A cidade é, juntamente com Lund, Helsingborg, (o precursor de Kristianstad) e Åhus uma das cidades mais antigas da Escânia. Na década de 1980, foram encontrados os restos deste castelo de anel, que posteriormente foram parcialmente reconstruídos (ver abaixo em Fortificação Viquingue de Trelleborg).

A Igreja de Trelleborg, Igreja de São Nicolau, começou a construir na primeira metade do século 13. A menção mais antiga de Trelleborg ocorre em um documento do ano 1257 que diz respeito ao "campo da igreja" entre o rei e o arcebispo na Dinamarca.[5] Um mosteiro franciscano foi fundado na cidade em 1267. O mosteiro franciscano situava-se perto da praça medieval de Trelleborg, "Praça Velha" (Gamla torg), mas hoje apenas uma parte dos mosteiros está preservada.[6]

Em 1260, Trelleborg foi oferecida à princesa dinamarquesa Sofia (Sofia Eriksdotter av Danmark) quando esta se casou com o rei sueco Valdemar Birgersson. Isso significava que os cidadãos de Trelleborg passariam a pagar impostos e taxas para Sofia e Valdemar.

Durante a Idade Média, o peixe de arenque foi a nutrição significativa e o comércio de arenque foi gerenciado através do cuidado de Hansan. Apesar de o comércio de arenque diminuir gradualmente, Trelleborg continuou a ser uma cidade com importantes negócios e artesanato. Quando os cidadãos de Malmö temeram a competição comercial de Trelleborg, eles reclamaram ao rei dinamarquês Christian IV. Como consequência, Trelleborg perdeu os privilégios do status de cidade em 1619 e, portanto, o direito de comércio e artesanato, o que resultou na diminuição de sua importância. Trelleborg, no entanto, continuou como uma cidade "ilegal" e até comerciantes das cidades "legais", Skanör e Falsterbo continuaram a negociar nos mercados de Trelleborg. A cobrança de impostos pelo rei continuou por durante esse período, como se Trelleborg ainda fosse formalmente uma cidade.

Em 1749, Carl von Linné visitou Trelleborg durante sua viagem pela Escânia. Linnaeus observou que "Trelleborg era uma vila longa e estreita com uma grande rua, estendendo-se extensivamente ao lado meridional da Escânia. Trelleborg também teve o status de cidade, onde se viviam um grande número de artesãos ... "

No final do século XIX, a indústria naval da cidade se desenvolveu. Em 1897, os serviços regulares de balsas começaram entre Trelleborg e Sassnitz com tráfego postal e de passageiros e, em 1909, iniciou-se o tráfego ferroviário (em balsas) de mercadorias para a Alemanha.

Com a virada dos anos 1900, a indústria de Trelleborg também se desenvolveu e várias empresas começaram, com Johan Kock como força motriz. Entre elas estavam Trelleborgs Gummifabriks AB, hoje Trelleborg AB, fundada em 1905. Johan Kock também fundou cervejarias e vidrarias, administrou um depósito de madeira e lojas de grãos. Akzo Nobel Inc e o fabricante de móveis Dux também são originários das indústrias iniciadas por Johan Kock.

População[editar | editar código-fonte]

Há 43 913 pessoas registradas na comuna de Trelleborg, de acordo com Bureau Central de Estatística (Statistiska centralbyrån, em sueco) em 2016. [7] Desde total, 7 046 pessoas são nascidas fora da Suécia. A densidade populacional é de 129,2 habitantes/Km2. A média de idade é de 42,5 anos. [7]

Transporte[editar | editar código-fonte]

Automóveis particulares[editar | editar código-fonte]

Em 2016 havia 448 automóveis de passageiros de propriedade privada registrados para cada 1000 moradores de Trelleborg, segundo dados do Bureau Central de Estatística (Statistiska centralbyrån, em sueco).[7]

Trem (comboio)[editar | editar código-fonte]

Trelleborg recebeu um link ferroviário em 1875 através da Ferrovia Lund-Trelleborg (LTJ) e de Malmö em 1886 até a Ferrovia Malmö-Trelleborg (MTJ), via Vellinge. Em 1898 uma ferrovia foi aberta com alongamento oriental, a Malmö-Continental Rail (MKontJ - Malmö-Kontinentens Järnväg), assim como o nome indica foi construída para cuidar do tráfego de longo curso na Europa. O trem continental foi eletrificado em 1933 e na década de 1950 parte do trecho em Malmö foi construída em duas linhas para facilitar o tráfego freqüente. A entrada de Trelleborg, em uma curva estreita com muitas interseções, foi construída em 1970. A estação central (Trelleborg C: Trelleborg Centralstation, em sueco) foi complementada por uma estação de barcas, a Trelleborg F (Trelleborg Färjestation, em sueco). Eventualmente o trem de passageiros estabeleu Trelleborg F como terminal e a estação Trelleborg C foi fechada. Apenas três anos depois, a maior parte do tráfego de passageiros local foi abandonada - alguns poucos trens continuaram com o percurso até 1977, mas mas a linha foi eventualmente descontinuada.[8]

Os trens intermunicipais (pågatågen, em sueco) da província da Escânia retornaram recentemente (a partir de 13 de dezembro de 2015) a operar em Trelleborg, com ligacão à Malmö.[9][10] Os trens são hoje operados pela Skånetrafiken. A linha 108 passa por Trelleborg–HyllieMalmö CentralstationLandskronaHelsingborg, contendo 17 estações numa extensão de 96 Km. Duas novas estações que foram abertas ao longo do trajeto ferroviário Trelleborg-Malmö são Västra Ingelstad e Östra Grevie.

Ônibus[editar | editar código-fonte]

Paradas de ônibus (busshållplatser, em sueco) - Trelleborg centralstation

Os ônibus são operados pela Skånetrafiken. A cidade possui 3 linhas municipais e 11 linhas intermunicipais (intercomunal) de ônibus.

Linhas municipais

1: Persåker–Trelleborg C–Fagerängen

2: Högalid–Trelleborg C–Gislöv

10: Kyrkoköpinge–Trelleborg C

Linhas intermunicipais (intercomunal)

144: Trelleborg C–AnderslövÖstra Grevie

145: Trelleborg C–Svedala

146: Trelleborg C–Malmö C

165: LundSvedala

181: Trelleborg–SkegrieHöllvikenVellinge

182: Trelleborg C–Skåre

184: Trelleborg–Ö KlagstorpStora Beddinge

190: Trelleborg C–Ystad

346: Trelleborg–Malmö Hyllie

Porto de Trelleborg

365: Lund–Trelleborg

379: VellingeÖstra GrevieVästra Ingelstad

Balsa[editar | editar código-fonte]

O Porto de Trelleborg remonta ao século 16, mas não foi até 1865 que a primeira instalação portuária estava pronta. O primeiro navio a entrar foi Frans Malmros MS NJORD.[11]

O Porto de Trelleborg é o segundo maior da Suécia em termos de transporte de bens (apenas o porto de Gotemburgo é maior neste sentido) e de tráfego de veículos (apenas o porto de Helsingborg é maior neste sentido). O porto é um importante elo de ligação entre a Suécia e a Europa continental.

Porto de Trelleborg
Balsa ancorada no porto de Trelleborg

Do porto de Trelleborg há quatro conexões de ferry para o continente, para Swinoujscie na Polônia, e para Sassnitz, Rostock e Travemünde, na Alemanha.[12]

Economia[editar | editar código-fonte]

O setor empresarial da Trelleborg é hoje variado, com uma proporção cada vez maior de empresas de serviços. Não menos importante, o empreendedorismo rural floresce quando velhas fazendas familiares recebem novas empresas com lojas de fazenda, restaurantes, etc. Tradicionalmente, a indústria tem um lugar importante em Trelleborg.[11] Entre as suas principais indústrias estão a Trelleborg AB (tecnologia de polímeros, borracha e plástico), a Metso Sweden AB (soluções industriais para mineração) e a Flint Group Sweden AB (tintas de impressão e produtos químicos, cobertores, mangas, placas de impressão, pigmentos)[13][14].

Número total de empregados[15]

1. Trelleborg AB – 15 713.

2. Metso Sweden AB – 727.

3. TT-Line AB – 260.

4. Trelleborg Industri AB – 257.

5. Flint Group Sweden AB – 206.

Volume de negócios (em coroas suecas x1000)[15]

1. Trelleborg AB – 24 803 000.

2. Metso Sweden AB – 2 369 403.

3. Flint Group Sweden AB – 1 030 304.

4. Pergo (Europe) AB – 586 709.

5. Trelleborg Industri AB – 431 769.

6. FMT Holding – 333 195.

7. Ahlms Livsmedel i Trelleborg AB – 287 526.

8. Trelleborgs Hamn AB – 217 328.

9. Nordic Plastics Group AB – 211 363.

10. Trelleborgshem AB – 192 475.

11. Prestando Holding AB – 180 749.

12. PJ Entreprenad & Förvaltning i Trelleborg AB – 172 490.

13. Ansell Protective Solutions AB – 154 256.

14. Tretab Holding AB – 139 117.

15. Trelleborg Offshore & Construction AB – 114 538.

Mídia[editar | editar código-fonte]

Jornais[editar | editar código-fonte]

O Trelleborgs Allehanda é editado pela Gota Media AB por seis dias por semana (de segunda-feira a sábado) e é emitido em cerca de 11.000 cópias. A primeira edição foi publicada em 4 de outubro de 1876 e originalmente consistiu em quatro páginas. No início o jornal era editado somente por dois dias por semana. O primeiro editor do jornal entre 1876 e 1881 foi Fritjof Björling. Na década de 1920 tornou-se um jornal de seis dias. Desde julho de 2001 o jornal é também disponível na internet.

Há uma edição de Trelleborg do Lokaltidningen, que é grátis e é publicado duas vezes por mês.

Além disso, há também o jornal digital 24Trelleborg.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Igreja de São Nicolau (Sankt Nicolai kyrka)

Igreja de São Nicolau[editar | editar código-fonte]

A Igreja de São Nicolau (Sankt Nicolai kyrka) situa-se de Trelleborg. A Igreja está localizada a leste da fortificação viquingue de Trelleborg (veja logo abaixo). É uma Igreja da congregação de Trelleborg (Trelleborgs församling, em sueco), da diocese de Lund. A Igreja é dedicada a São Nicolau, santo dos marinheiros.

Originalmente havia uma igreja medieval no local. Não se sabe realmente a idade da Igreja, mas suas partes mais antigas foram provavelmente construídas antes que a Igreja de Ystad (Sankt Petri kyrka, Ystad) fosse construída na década de 1260. No século 19, a congregação cresceu tanto que a Igreja foi quase toda destruída para dar espaço a uma nova Igreja, que foi construída entre 1881 e 1883. Helgo Zettervall fez os desenhos da nova Igreja. A única parte restante da antiga Igreja é a torre construída em 1617. O resto é típico dos projetos Zettervall, com uma mistura dos estilos neo-romano e neogótico.

Congregação de Trelleborg (Trelleborgs församling)

No coro há 24 cadeiras (Munkstol) dos anos 1400 usadas até hoje. Os três sinos da Igreja são do século XVI. A função batismal é feita de pedra e tem sido usada há pelo menos seis séculos. Na Igreja também existem vários outros inventários interessantes, como o funeral Ehrenbuschska de 1680, o epíteto de Holtska e as figuras evangelísticas do púlpito. Ehrenbusch descansa em sua própria sepultura junto com sua esposa e irmão, assim como o príncipe Bruleelius de Trelleborg e sua família. Joakim Ehrenbusch de Rydsgård é o próprio "fantasma de Natal" de Trelleborg.[16]

Fortificação viquingue de Trelleborg[editar | editar código-fonte]

Os restos da fortificação viquingue de Trelleborg (Vikingaborgen i Trelleborg) foram descobertos em 1988, durante a exploração de um distrito da cidade na parte ocidental de Trelleborg. O Trelleborgen como parece hoje é uma reconstrução que foi concluída em 1995. Um quarto do castelo foi construído em seu lugar nativo e está no meio da cidade moderna, que também abriga uma casa medieval reconstruída. Nas proximidades do castelo existe agora uma fazenda viquingue com seus pequenos edifícios associados. No edifício do museu há uma exposição viquingue, uma loja e um café.[17]

Fortificação viquingue de Trelleborg (Trelleborgen)

A fortaleza pode ter sido construída na década de 980, talvez ordenada pelo rei Harald Bluetooth (Harald Blåtand), então rei da Dinamarca, e quem em uma pedra de runa em Jelling, Dinamarca, afirma ser aquele que uniu os dinamarqueses e os transformou no cristianismo. Pode ser em conexão com isso que ele construiu não só o Trelleborgen em Trelleborg, mas também outras fortalezas na Escânia e na Dinamarca. Foi um período de transtorno, incluindo muitas migrações, união de reinos e cristianização. A localização estratégica na paisagem pela costa era provavelmente importante tanto para o controle de defesa quanto para o controle territorial.[18]

Horário de funcionamento: A fortificação é uma praça pública, está sempre aberta. Há uma pequena edificação - um pequeno museu - em que o horário de funcionamento varia durante o ano (verifique os horários no link). Para este museu a entrada custa 40 coroas suecas para adultos a partir de 20 anos de idade.

Museu Marítimo de Trelleborg[editar | editar código-fonte]

Museu Marítimo de Trelleborg (Trelleborgs Sjöfartsmuseum)

O museu marítimo mais austral da Suécia (Trelleborgs Sjöfartsmuseum) mostra a história do transporte marítimo no grande município de Trelleborg antes e agora. O Museu Marítimo de Trelleborg é administrado desde 1997 pela associação sem fins lucrativos Trelleborg Maritime Museum Friends (Trelleborgs Sjöfartsmusei Vänner). O museu possui vários departamentos para pesca, motores para barcos menores, instrumentos náuticos, estiva, companhias de navegação, frete e serviços de balsa. Há também interiores arrumados. O museu também tem uma série de modelos de navios de "Trelleborgsfartyg".[19]

Uma seção é dedicada à história das companhias de navegação na cidade e mostra muitas fotos da antiga Trelleborgs Ångfartygs AB (uma empresa de transporte marítimo que foi inaugurada em 1870 e fechada em 1980) e modelos de navios históricos e modernos desta linha de navegação. Outra seção é sobre os antigos navios a vapor e as balsas ferroviárias e mostra ao lado de belos modelos históricos originais também modelos de balsas modernas. A história da pesca comercial local, uma base econômica muito importante da comunidade costeira desde a Idade Média, é homenageada em outra seção.[20]

Horário de funcionamento: de 1 de março a 30 de novembro, aos sábados e domingos das 13:00h às 16:00h. Atualmente a entrada custa 20 coroas suecas.

Museu Trelleborg (Trelleborgs Museum)

Museu Trelleborg[editar | editar código-fonte]

O Museu Trelleborg (Trelleborgs museum) é um museu histórico-cultural da cidade de Trelleborg. O museu mudou-se em 2010 para a praça do centro da cidade de Trelleborg (Stortorget Trelleborg), e as antigas instalações localizavam-se, desde 1934, no antigo hospital da cidade, na parte oriental de Trelleborg. O prédio atual abrigou anteriormente a antiga casa do tribunal (Tingshuset, Trelleborgs tingsrätt) do distrito de Trelleborg. O edifício, desenhado por Fritz Jaenecke, foi inaugurado em 1972. O Museu Trelleborg faz parte dos museus de Trelleborg, que consistem em Axel Ebbes Konsthall, Trelleborgen (Fortificação viquingue de Trelleborg: veja acima) e Borgquistska Hattmuseet. O Museu Trelleborg é um museu de história cultural com base em coleções de toda a região de Söderslätt.[21]

Horário de funcionamento: O museu é aberto de terça-feira a domingo, de 12:00h às 16:00h. Atualmente a entrada custa 40 coroas suecas para adultos a partir de 20 anos de idade.

Borgquistska Hattmuseet[editar | editar código-fonte]

Em 1866 a família Borgquist começou manufaturar e chapéus em Algatan 35. Em 1978 a loja de chapéus foi fechada, e a produção de peles, chapéus e bonés foi colocada na casa para a criação de um museu, o Borgquistska Hattmuseet.[22]

Horário de funcionamento: O último sábado de cada mês está aberto ao público, às 13:00h. Os ingressos são coletados no Borgquistska no mesmo dia, a partir das 12.30h.

Axel Ebbes konsthall[editar | editar código-fonte]

Axel Ebbes Konsthall é um museu de artes em Trelleborg. A galeria de arte faz parte dos museus de Trelleborg. Axel Ebbe doou suas obras de vida, esculturas e artes visuais para a cidade de Trelleborg. A galeria de arte, financiada por Trelleborg Stads Sparbank, foi construída em 1935. A galeria de arte foi desenhada pelo arquiteto da cidade em Malmö Carl-Axel Stoltz. Foi oficialmente aberta na presença do Príncipe Herdeiro. A escultura Sjöormen foi inaugurada ao mesmo tempo na praça do centro da cidade de Trelleborg (Stortorget Trelleborg).[23]

Horário de funcionamento: O museu é aberto durante o verão de 1º de julho a 13 de agosto. Atualmente o preço de entrada custa 40 coroas suecas para adultos a partir de 20 anos de idade.

Biblioteca[editar | editar código-fonte]

Biblioteca de Trelleborg (Trelleborgs Bibliotek)

A biblioteca de Trelleborg (Trelleborgs bibliotek) é composta pela biblioteca principal e filiais em Anderslöv e Gislöv, além de um ônibus de livros (Bokbussen). A biblioteca principal está localizada na praça do centro da cidade de Trelleborg (Stortorget Trelleborg) desde 1984.[24]

Horário de funcionamento (em Trelleborg):

Segunda-quinta-feira das 10:00h às 19:00h

Sexta-feira das 10:00h às 18:00h

Sábado das 11:00h às 14:00h (exceto nos meses do verão: junho, julho, agosto)

Estação Central de Trelleborg[editar | editar código-fonte]

Prédio da estação central de Trelleborg (Trelleborg Centralstation)

Os últimos anos do século XIX foram agitados em Trelleborg, que recuperou os direitos do status de cidade em 1867. O porto foi expandido, as indústrias foram estabelecidas e as pessoas se mudaram do campo para a cidade. Depois de uma longa batalha com, entre outras cidades, Ystad, Trelleborg recebeu a ligação de transporte para Sassnitz. Agora, dependia das exigências de uma cidade com tráfego continental. Na primavera de 1897 - provavelmente com pressa - o prédio na área do porto, que abrigava a expedição Continente-Rota, foi erigido. Na noite de Santa Valburga (Valborgsmässoafton) começou o trânsito com dois barcos, Steamers Rex e Imperator.[25]

No final de 1897, o novo orgulho da cidade estava pronto, a estação Trelleborg Nedre. A casa foi construída em negrito estilo gótico-gótico com torres, dedos dos pés e muitos outros ornamentos. A estação central de Trelleborg (Trelleborg Centralstation) foi projetada pela empresa de arquitetos Lindvall & Boklund em Malmö e foi construída pelo gerente de construção G Åström em Halmstad.

A casa passou a ser o que hoje chamamos de centro de comunicação. O escritório de correios foi alojado nas instalações, como telégrafo e telefone. Em 16 de dezembro, o correio real (Kungliga posten) mudou-se para as instalações na parte noroeste do edifício. A estação de telégrafo já tinha se mudado para a parte sul do edifício um mês antes. A partir do dia 22 de dezembro todos os trens começaram a ir e sair da nova estação.[25]

Badhus[editar | editar código-fonte]

Casa de banho termal (Badhus)

A casa de banho termal (varmbadhuset), que era então chamada para distingui-la do Kallbadhuset ("casa de banho frio"), foi concluída em setembro de 1939. Hoje possui o nome de Badhus. Por trás do projeto do prédio estava o arquiteto urbano de Trelleborg, Erik Fehling, e o engenheiro de construção, Gustav Kvist. O custo na época foi de 600.000 coroas suecas, das quais a cidade recebeu 75.000 coroas suecas em concessões municipais.[26]

Hoje, a casa do banho é composta por duas partes, no antigo banho, há a piscina original de 25 metros com três trampolins de um, três e cinco metros de altura. A nova piscina é utilizada para competições, exercícios, ginástica aquática e natação. Há ainda hidromassagem, canoa de água, cascata, escorregador, banho de vapor, café e solários. No piso inferior há uma piscina de água quente especial com 35 graus Celsius, onde a profundidade é variável meio metro para um metro e meio. Esta é usada principalmente para natação de bebês e reabilitação.[26]

Horário de funcionamento:

Segunda-feira: fechado

Terça-feira: 12:00h às 20;00h

Quarta-feira: 09:30h às 20:30h

Quinta-feira: 12:00h às 20:30h

Sexta-feira: 09:30h às 20:00h

Sábado: 08:00h às 15:00h

Domingo: 09:00h às 15:00h

Os preços de entrada variam de acordo com idade, seção, e período e duração de uso (verifique os preços no link).

Vattentornet[editar | editar código-fonte]

Torre de Água (Vattentornet)

A construção da Torre de Água (Vattentornet) começou em 1911. Como Trelleborg não possui morros e encostas, a torre foi construída em terreno plano. O lugar que os governantes escolheram foi o nordeste do que se chamava Nya Torget (Praça Nova), ao contrário da Gamla Torget (Praça Velha). Arquiteto foi Ivar Tengbom, que eventualmente se tornou professor na Academia de Artes (Konsthögskolan) durante 1916-1920, e Diretor Geral e Chefe da Agência de Serviço Civil (Byggnadsstyrelsen) durante o período de 1924-1936. Ivar Tengbom também projetou a Igreja de Högalid (Högalidskyrkan) e a Sala de Concertos (Stockholms Konserthuset), ambos em Estocolmo, e faleceu em 1968, com 90 anos de idade. A torre foi construída sob contrato pela construtora N P Roslund, e a proposta foi fechada em 52 800 coroas suecas. Com seus 58 metros, a Torre de Água se tornou o edifício mais alto da cidade. A cisterna é capaz de conter 300 metros cúbicos de água, que é levada através de um tubo de nove polegadas de espessura. A borda superior da cisterna localiza-se a 42 metros acima do nível da rua. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Torre de Água foi usada como uma torre de observação para a publicação de vôos hostis. A Torre de Água foi fechada em 1971, quando a nova torre de água da cidade foi inaugurada mais ao norte. [27] Desde 1999 a Torre de Água possui um pequeno restaurante ao nível da rua. Em 2010, o exterior da Torre de Água foi renovado.

Referências

  1. http://www.statistikdatabasen.scb.se/pxweb/sv/ssd/START__MI__MI0810__MI0810A/LandarealTatort/table/tableViewLayout1/?rxid=ff9309f9-7ecb-480f-a73c-08d86b3e56f8
  2. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Trelleborg». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 691. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  3. Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren (2004). «Trellebrog». Vad varje svensk bör veta (O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 223-224. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  4. Thaning, Olof (1983). «Trelleborg». Sverigeboken (em sueco). Estocolmo: Det Bästa. p. 15. 408 páginas. ISBN 91-7030-101-8 
  5. JACOBSSON, Bengt (1982). Trelleborg. Medeltidsstaden 38. Stockholm: Riksantikvarieämbetet och Statens Historiska Museer. 64 páginas 
  6. «Skånes historiska lexikon». www.fotevikensmuseum.se. Consultado em 17 de novembro de 2017. 
  7. a b c «Kommuner i siffror». Sverige i siffror (em sueco). Consultado em 14 de novembro de 2017. 
  8. KOn. «Kontinentalbanan/Trelleborgsbanan Malmö-Trelleborg - järnväg.net». www.jarnvag.net (em sueco). Consultado em 14 de novembro de 2017. 
  9. «Pågatågen börjar rulla till Trelleborg». Sydsvenskan (em sueco) 
  10. «Skånetrafiken: Trelleborgsbanan» (PDF) 
  11. a b «Fakta om Trelleborg - Visit Trelleborg». Visit Trelleborg (em sueco) 
  12. «Hamnen — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 14 de novembro de 2017. 
  13. http://24trelleborg.se/2017/03/31/lista-har-ar-trelleborgs-storsta-foretag/
  14. http://www.trelleborgsallehanda.se/trelleborg/temadag-om-havet-blev-blot-historia/358313/
  15. a b «LISTA: Här är Trelleborgs största företag». 24trelleborg.se (em sueco). 31 de março de 2017 
  16. «Trelleborgs St Nicolai kyrka — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 21 de novembro de 2017. 
  17. «Trelleborgen — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 17 de novembro de 2017. 
  18. «Trelleborgen (Trelleborg) | Destination Viking». www.destinationviking.com (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2017. 
  19. «Trelleborgs Sjöfartsmuseum». www.trelleborgssjofartsmuseum.se. Consultado em 21 de novembro de 2017. 
  20. «Trelleborgs Sjöfartsmuseum - Maritime museum in Trelleborg | GuidebookSweden». GuidebookSweden (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2017. 
  21. «Trelleborgs museum». Wikipedia (em sueco). 11 de janeiro de 2017 
  22. «Borgquistska Hattmuseet — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 21 de novembro de 2017. 
  23. «Axel Ebbes Konsthall». Wikipedia (em sueco). 4 de julho de 2017 
  24. «Biblioteksplan för Trelleborgs kommun 2018-2021» (PDF). 2017. Consultado em 21 de novembro de 2017. 
  25. a b «Stationen var kommunikationscentrum — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 3 de dezembro de 2017. 
  26. a b «Badhuset – pigg pensionär — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 21 de novembro de 2017. 
  27. «Vattentornet högst i Trelleborg — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 8 de dezembro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Conteúdo relacionado com Trelleborg no Wikimedia Commons

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Cidades da Suécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.