Trelleborg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Trelleborg
Cidade da Suécia
País  Suécia
Província histórica Skåne vapen.svg Escânia (província)
Condado Skåne län vapen.svg Escânia (condado)
Comuna Trelleborg vapen.svg Trelleborg
População 29 673 (2 016)[1]
Um dos sistemas digitais de exibição de partidas (infoskärm, em sueco) de trem e ônibus na estação central de Trelleborg (Trelleborg Centralstation).
Estação central de Trelleborg (Trelleborg centralstation)

Trelleborg (PRONÚNCIA APROXIMADA tréle-bóri) é uma cidade portuária do extremo Sul da Suécia, localizada na província histórica da Escânia (Skåne, em sueco). A cidade tem uma população de cerca de 30 000 habitantes, sendo sede da comuna de Trelleborg (esta com 43 913 habitantes)[2][3][4].

História[editar | editar código-fonte]

Trelleborg é mencionado pela primeira vez em escritura no ano de 1257. Porém, no fim da era Viking foi construído um castelo em forma de anel chamado Trelleborg, e a cidade recebeu seu nome. A cidade é, juntamente com Lund, Helsingborg, (o precursor de Kristianstad) e Åhus uma das cidades mais antigas da Escânia. Na década de 1980, foram encontrados os restos deste castelo de anel, que posteriormente foram parcialmente reconstruídos (ver abaixo em Fortificação Viquingue de Trelleborg).

A Igreja de Trelleborg, Igreja de São Nicolau, começou a construir na primeira metade do século 13. Um mosteiro franciscano foi fundado na cidade, seja em 1247 ou 1267. Ambos os dados são originários do século 16, mas o ano de 1247 deve ser o certo.[5] O mosteiro franciscano situava-se perto da praça medieval de Trelleborg, "Praça Velha" (Gamla torg), mas hoje apenas uma parte dos mosteiros estão preservados.

Em 1260, Trelleborg foi oferecida à princesa dinamarquesa Sofia (Sofia Eriksdotter av Danmark) quando esta se casou com o rei sueco Valdemar Birgersson. Isso significava que os cidadãos de Trelleborg passariam a pagar impostos e taxas para Sofia e Valdemar.

Durante a Idade Média, o peixe de arenque foi a nutrição significativa e o comércio de arenque foi gerenciado através do cuidado de Hansan. Apesar de o comércio de arenque diminuir gradualmente, Trelleborg continuou a ser uma cidade com importantes negócios e artesanato. Quando os cidadãos de Malmö temeram a competição comercial de Trelleborg, eles reclamaram ao rei dinamarquês Christian IV. Como consequência, Trelleborg perdeu os privilégios do status de cidade em 1619 e, portanto, o direito de comércio e artesanato, o que resultou na diminuição de sua importância. Trelleborg, no entanto, continuou como uma cidade "ilegal" e até comerciantes das cidades "legais", Skanör e Falsterbo continuaram a negociar nos mercados de Trelleborg. A cobrança de impostos pelo rei continuou por durante esse período, como se Trelleborg ainda fosse formalmente uma cidade.

Em 1749, Carl von Linné visitou Trelleborg durante sua viagem pela Escânia. Linnaeus observou que "Trelleborg era uma vila longa e estreita com uma grande rua, estendendo-se extensivamente ao lado meridional da Escânia. Trelleborg também teve o status de cidade, onde se viviam um grande número de artesãos ... "

No final do século XIX, a indústria naval da cidade se desenvolveu. Em 1897, os serviços regulares de balsas começaram entre Trelleborg e Sassnitz com tráfego postal e de passageiros e, em 1909, iniciou-se o tráfego ferroviário (em balsas) de mercadorias para a Alemanha.

Com a virada dos anos 1900, a indústria de Trelleborg também se desenvolveu e várias empresas começaram, com Johan Kock como força motriz. Entre elas estavam Trelleborgs Gummifabriks AB, hoje Trelleborg AB, fundada em 1905. Johan Kock também fundou cervejarias e vidrarias, administrou um depósito de madeira e lojas de grãos. Akzo Nobel Inc e o fabricante de móveis Dux também são originários das indústrias iniciadas por Johan Kock.

População[editar | editar código-fonte]

Há 43 913 pessoas registradas na comuna de Trelleborg, de acordo com Bureau Central de Estatística (Statistiska centralbyrån, em sueco) em 2016. [6] Desde total, 7 046 pessoas são nascidas fora da Suécia. A densidade populacional é de 129,2 habitantes/Km2. A média de idade é de 42,5 anos. [6]

Transporte[editar | editar código-fonte]

Automóveis particulares[editar | editar código-fonte]

Em 2016 havia 448 automóveis de passageiros de propriedade privada registrados para cada 1000 moradores de Trelleborg, segundo dados do Bureau Central de Estatística (Statistiska centralbyrån, em sueco).[6]

Estação central de Trelleborg (Trelleborg centralstation)
Estação central de Trelleborg (Trelleborg centralstation)

Trem (comboio)[editar | editar código-fonte]

Trelleborg recebeu um link ferroviário em 1875 através da Ferrovia Lund-Trelleborg (LTJ) e de Malmö em 1886 até a Ferrovia Malmö-Trelleborg (MTJ), via Vellinge. Em 1898 uma ferrovia foi aberta com alongamento oriental, a Malmö-Continental Rail (MKontJ - Malmö-Kontinentens Järnväg), assim como o nome indica foi construída para cuidar do tráfego de longo curso na Europa. O trem continental foi eletrificado em 1933 e na década de 1950 parte do trecho em Malmö foi construída em duas linhas para facilitar o tráfego freqüente. A entrada de Trelleborg, em uma curva estreita com muitas interseções, foi construída em 1970. A estação central (Trelleborg C: Trelleborg Centralstation, em sueco) foi complementada por uma estação de barcas, a Trelleborg F (Trelleborg Färjestation, em sueco). Eventualmente o trem de passageiros estabeleu Trelleborg F como terminal e a estação Trelleborg C foi fechada. Apenas três anos depois, a maior parte do tráfego de passageiros local foi abandonada - alguns poucos trens continuaram com o percurso até 1977, mas mas a linha foi eventualmente descontinuada.[7]

Os trens intermunicipais (pågatågen, em sueco) da província da Escânia retornaram recentemente (a partir de 13 de dezembro de 2015) a operar em Trelleborg, com ligacão à Malmö.[8][9] Os trens são hoje operados pela Skånetrafiken. A linha 108 passa por Trelleborg–HyllieMalmö CentralstationLandskronaHelsingborg, contendo 17 estações numa extensão de 96 Km. Duas novas estações que foram abertas ao longo do trajeto ferroviário Trelleborg-Malmö são Västra Ingelstad e Östra Grevie.

Ônibus[editar | editar código-fonte]

Paradas de ônibus (busshållplatser, em sueco) - Trelleborg centralstation

Os ônibus são operados pela Skånetrafiken. A cidade possui 3 linhas municipais e 11 linhas intermunicipais (intercomunal) de ônibus.

Linhas municipais

1: Persåker–Trelleborg C–Fagerängen

2: Högalid–Trelleborg C–Gislöv

10: Kyrkoköpinge–Trelleborg C

Linhas intermunicipais (intercomunal)

144: Trelleborg C–AnderslövÖstra Grevie

145: Trelleborg C–Svedala

Estação central de Trelleborg (Trelleborg centralstation) - estacionamento para bicicletas (cykelställ, em sueco)

146: Trelleborg C–Malmö C

165: LundSvedala

181: Trelleborg–SkegrieHöllvikenVellinge

182: Trelleborg C–Skåre

184: Trelleborg–Ö KlagstorpStora Beddinge

190: Trelleborg C–Ystad

346: Trelleborg–Malmö Hyllie

Porto de Trelleborg

365: Lund–Trelleborg

379: VellingeÖstra GrevieVästra Ingelstad

Balsa[editar | editar código-fonte]

O Porto de Trelleborg é o segundo maior da Suécia em termos de transporte de bens (apenas o porto de Gotemburgo é maior neste sentido) e de tráfego de veículos (apenas o porto de Helsingborg é maior neste sentido). O porto é um importante elo de ligação entre a Suécia e a Europa continental.

Do porto de Trelleborg há quatro conexões de ferry para o continente, para Swinoujscie na Polônia, e para Sassnitz, Rostock e Travemünde, na Alemanha.[10]

Economia[editar | editar código-fonte]

Entre as suas principais indústrias estão a Trelleborg AB (tecnologia de polímeros, borracha e plástico), a Metso Sweden AB (soluções industriais para mineração) e a Flint Group Sweden AB (tintas de impressão e produtos químicos, cobertores, mangas, placas de impressão, pigmentos)[11][12].

Número total de empregados[13]

1. Trelleborg AB – 15 713.

2. Metso Sweden AB – 727.

3. TT-Line AB – 260.

4. Trelleborg Industri AB – 257.

5. Flint Group Sweden AB – 206.

Volume de negócios (em coroas suecas x1000)[13]

1. Trelleborg AB – 24 803 000.

2. Metso Sweden AB – 2 369 403.

3. Flint Group Sweden AB – 1 030 304.

4. Pergo (Europe) AB – 586 709.

5. Trelleborg Industri AB – 431 769.

6. FMT Holding – 333 195.

7. Ahlms Livsmedel i Trelleborg AB – 287 526.

8. Trelleborgs Hamn AB – 217 328.

9. Nordic Plastics Group AB – 211 363.

10. Trelleborgshem AB – 192 475.

11. Prestando Holding AB – 180 749.

12. PJ Entreprenad & Förvaltning i Trelleborg AB – 172 490.

13. Ansell Protective Solutions AB – 154 256.

14. Tretab Holding AB – 139 117.

15. Trelleborg Offshore & Construction AB – 114 538.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Igreja de São Nicolau (Sankt Nicolai kyrka)

Como património histórico e cultural desta cidade do séc. XIII, existe a Fortificação viquingue de Trelleborg (séc. X), e a Igreja de São Nicolau (séc. XII). [14]


A cidade também é uma das sedes do Torneio Internacional de Futebol Sub-21 de Skåne.

Igreja de São Nicolau[editar | editar código-fonte]

A Igreja de São Nicolau (Sankt Nicolai kyrka) situa-se de Trelleborg. A Igreja está localizada a leste da fortificação viquingue de Trelleborg (veja logo abaixo). É uma Igreja da congregação de Trelleborg (Trelleborgs församling, em sueco), da diocese de Lund. A Igreja é dedicada a São Nicolau, santo dos marinheiros.

Originalmente havia uma igreja medieval no local. Não se sabe realmente a idade da Igreja, mas suas partes mais antigas foram provavelmente construídas antes que a Igreja de Ystad (Sankt Petri kyrka, Ystad) fosse construída na década de 1260. No século 19, a congregação cresceu tanto que a Igreja foi quase toda destruída para dar espaço a uma nova Igreja, que foi construída entre 1881 e 1883. Helgo Zettervall fez os desenhos da nova Igreja. A única parte restante da antiga Igreja é a torre construída em 1617. O resto é típico dos projetos Zettervall, com uma mistura dos estilos neo-romano e neogótico.

Congregação de Trelleborg (Trelleborgs församling)

Fortificação viquingue de Trelleborg[editar | editar código-fonte]

Os restos da fortificação viquingue de Trelleborg (Vikingaborgen i Trelleborg) foram descobertos em 1988, durante a exploração de um distrito da cidade na parte ocidental de Trelleborg. O Trelleborgen como parece hoje é uma reconstrução que foi concluída em 1995. Um quarto do castelo foi construído em seu lugar nativo e está no meio da cidade moderna, que também abriga uma casa medieval reconstruída. Nas proximidades do castelo existe agora uma fazenda viking com seus pequenos edifícios associados. No edifício do museu há uma exposição Viking, uma loja e um café.[15]

A fortaleza pode ter sido construída na década de 980, talvez ordenada pelo rei Harald Bluetooth (Harald Blåtand), então rei da Dinamarca, e quem em uma pedra de runa em Jelling, Dinamarca, afirma ser aquele que uniu os dinamarqueses e os transformou no cristianismo. Pode ser em conexão com isso que ele construiu não só o Trelleborgen em Trelleborg, mas também outras fortalezas na Escânia e na Dinamarca. Foi um período de transtorno, incluindo muitas migrações, união de reinos e cristianização. A localização estratégica na paisagem pela costa era provavelmente importante tanto para o controle de defesa quanto para o controle territorial.[16]

Referências

  1. http://www.statistikdatabasen.scb.se/pxweb/sv/ssd/START__MI__MI0810__MI0810A/LandarealTatort/table/tableViewLayout1/?rxid=ff9309f9-7ecb-480f-a73c-08d86b3e56f8
  2. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Trelleborg». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 691. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  3. Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren (2004). «Trellebrog». Vad varje svensk bör veta (O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 223-224. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  4. Thaning, Olof (1983). «Trelleborg». Sverigeboken (em sueco). Estocolmo: Det Bästa. p. 15. 408 páginas. ISBN 91-7030-101-8 
  5. «Skånes historiska lexikon». www.fotevikensmuseum.se. Consultado em 17 de novembro de 2017 
  6. a b c «Kommuner i siffror». Sverige i siffror (em sueco). Consultado em 14 de novembro de 2017 
  7. KOn. «Kontinentalbanan/Trelleborgsbanan Malmö-Trelleborg - järnväg.net». www.jarnvag.net (em sueco). Consultado em 14 de novembro de 2017 
  8. «Pågatågen börjar rulla till Trelleborg». Sydsvenskan (em sueco) 
  9. «Skånetrafiken: Trelleborgsbanan» (PDF) 
  10. «Hamnen — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 14 de novembro de 2017 
  11. http://24trelleborg.se/2017/03/31/lista-har-ar-trelleborgs-storsta-foretag/
  12. http://www.trelleborgsallehanda.se/trelleborg/temadag-om-havet-blev-blot-historia/358313/
  13. a b «LISTA: Här är Trelleborgs största företag». 24trelleborg.se (em sueco). 31 de março de 2017 
  14. Ottosson, Mats; Åsa Ottosson (2008). «Trelleborg». Upplev Sverige. En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. p. 272. 527 páginas. ISBN 9789146215998 
  15. «Trelleborgen — Trelleborgs kommun». www.trelleborg.se (em sueco). Consultado em 17 de novembro de 2017 
  16. «Trelleborgen (Trelleborg) | Destination Viking». www.destinationviking.com (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Conteúdo relacionado com Trelleborg no Wikimedia Commons

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Cidades da Suécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.