Y

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Y (desambiguação).
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Y y
ípsilon, i grego
A letra nas versões de fôrma e cursiva, minúsculas e maiúsculas.
Sistema de escrita alfabeto latino, alfabeto latino básico ISO
Representações alternativas
Alfabeto fonético da OTAN yankee
Código Morse –·––
Código internacional de navegação marítima ICS Yankee.svg
Telégrafo óptico Semaphore Yankee.svg
Braille Braille Y.svg
Alfabeto manual estadunidense Sign language Y.svg

A letra Y (ípsilon ou i grego) é a vigésima quinta letra do alfabeto latino. Originalmente no latim Y representa a vogal grega anterior fechada arredondada, tal som vocálico não existe mais no grego moderno.

História[editar | editar código-fonte]

O y tem suas origens no alfabeto fenício onde era representado pela letra waw. Ao chegar aos gregos recebeu o nome de upsilon, letra que representava o som da atual letra u. Com a conquista da Grécia pelos romanos no século I a.C., o ípsilon foi incorporado ao alfabeto latino para transcrever palavras de origem grega, tendo o nome de ī Graeca, porque na época o u grego já anteriorizara-se, assemelhando-se a um i pronunciado com os lábios arredondados, som que é representado no Alfabeto Fonético Internacional por esta mesma letra, [y]. Na fonologia grega moderna não mais se arredondam os lábios ao pronunciá-la.

No Brasil e em Portugal, o Formulário Ortográfico de 1943 aboliu a letra y do alfabeto, substituindo-a pelo i em todos os casos.

O Acordo Ortográfico de 1990 restaurou a letra Y no alfabeto português, sem contudo restaurar o seu uso prévio, que continua restrito às abreviaturas, às palavras com origem estrangeira e seus derivados. No Brasil, o AO-1990 entrou em vigor a partir de 1º de janeiro de 2009 e tornou-se a única norma vigente a partir de 1° de janeiro de 2016.[1]

Fonética e códigos[editar | editar código-fonte]

A informação de que o Formulário Ortográfico de 1943 aboliu o y não corresponde aos fatos. O FO, no item I, número 1, dizia: "O alfabeto do português consta FUNDAMENTALMENTE (destaque adicionado) de vinte e três letras" (cita as letras); e no número 2: "Além dessas letras, há três que só se podem usar em casos especiais: k, w, y."

Conclusão: o alfabeto do português, pelo FO de 1943, tem vinte e seis letras: vinte e três fundamentais e três especiais.

O Acordo Ortográfico de 1990 não "restaurou" o y. A doutrina é exatamente a mesma: k, w, y continuam só para usos especiais. O AO de 1990 apenas incluiu as três especiais na listagem das letras com a finalidade de deixar clara a sua posição na ordenação sequencial do conjunto do alfabeto.

Significados[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário tem os verbetes y e Y.
  • O elemento químico Ítrio tem como símbolo o "Y".
  • É geralmente utilizada na matemática para representar a segunda incógnita (sendo a representação mais usual a forma minúscula, "y").
  • O cromossomo masculino é representado pela letra Y.

Referências

  1. «"Acordo ortográfico só entrará em vigor em 2016"». Portal Brasil. 15 de dezembro de 2014. Consultado em 12 de janeiro de 2016