Zéu Britto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde novembro de 2011).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2011).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

José Carlos Britto Filho mais conhecido como Zéu Britto (Jequié, Bahia, 19 de fevereiro de 1977) é um cantor, compositor, apresentador e ator brasileiro. Participou de diversas trilhas sonoras de peças teatrais, séries de TV e filmes brasileiros como: Lisbela e o Prisioneiro de Guel Arraes com a canção Dama de Ouro e Meu Tio Matou um Cara de Jorge Furtado com a canção Soraya Queimada. Artista multimídia, lançou três discos: “Saliva-me” (2007), “Saliva-me Ao Vivo” (2012) e "Amor de Montar" (2016). Na TV, como ator e apresentador, realizou mais de 35 trabalhos, com destaque para “Pastores da Noite”, “Sexo Frágil”, “A Diarista” e “Saramandaia”, exibidos pela Rede Globo; e os programas “Retalhão” e “Zéu de Estrelas”, do Canal Brasil. No cinema, já participou de mais de dez filmes, como “Saneamento Básico”, “A Guerra dos Rocha"” e “Uma Loucura de Mulher”; Compôs e interpretou canções para o seriado “Sexo Frágil”, na Rede Globo; para a série “Avassaladoras”, exibida pela HBO; para a série “Zé do Caixão”, exibida pelo canal Space, além de músicas para diversas peças teatrais. Atualmente segue em turnê com o show “Amor de Montar” dirigido por Inês Viana. 

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.