Óscar Romero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Óscar Romero
Arcebispo da Igreja Católica
Arquidiocese de San Salvador

Título

Arcebispo de San Salvador
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 4 de abril de 1942
Ordenação episcopal 21 de junho de 1970
Lema episcopal SENTIRE CUM ECCLESIA
Sentir com a Igreja
Nomeado arcebispo 3 de fevereiro de 1977
Brasão arquiepiscopal
Arcbishoppallium.png
Dados pessoais
Nascimento Ciudad Barrios
15 de agosto de 1917
Morte San Salvador
24 de março de 1980 (62 anos)
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Óscar Arnulfo Romero Galdámez, conhecido como Monsenhor Romero, (Ciudad Barrios, San Miguel, 15 de agosto de 1917San Salvador, 24 de março de 1980) foi um sacerdote católico salvadorenho, quarto arcebispo metropolitano de San Salvador (1977-1980).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Ciudad Barrios, distrito de San Miguel em 15 de agosto de 1917 numa família de origens humildes. Em 1930 entrou no Seminário de San Miguel.

Os superiores mandaram-no em Roma, para estudar e doutorar-se na Pontifícia Universidade Gregoriana. Foi ordenado padre em 4 de abril de 1942.

Bispo[editar | editar código-fonte]

Em 25 de abril 1970 é nomeado Bispo auxiliar de San Salvador, e em 15 de outubro 1974, bispo de Santiago de María.[1]

Arcebispo[editar | editar código-fonte]

Em 3 de fevereiro de 1977 foi nomeado Arcebispo de San Salvador.[2] Escolhido como arcebispo por seu aparente conservadorismo, uma vez nomeado aderiu aos ideais da não-violência, posição que o levou a ser comparado ao Mahatma Gandhi e a Martin Luther King. Por isso, Óscar Romero passou a denunciar, em suas homilias dominicais, as numerosas violações de direitos humanos em El Salvador e manifestou publicamente sua solidariedade com as vítimas da violência política, no contexto da Guerra Civil de El Salvador.[3]

Na Galeria dos mártires do século XX da Abadia de Westminster: Madre Elisabeth da Rússia, o Rev. Martin Luther King, o Arcebispo Óscar Romero e o Pastor Dietrich Bonhoeffer.

Dentro da Igreja Católica, defendia a "opção preferencial pelos pobres".

A morte[editar | editar código-fonte]

Na homilia de 11 de novembro de 1977, Monsenhor Romero afirmou: "a missão da Igreja é identificar-se com os pobres. Assim a Igreja encontra sua salvação."

Óscar Romero foi assassinado quando celebrava a missa, em 24 de março 1980, por um atirador de elite do exército salvadorenho, treinado nas Escola das Américas. Sua morte provocou uma onda de protestos em todo o mundo e pressões internacionais por reformas em El Salvador.

Em 2010, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o dia 24 de março como o Dia Internacional pelo Direito à Verdade acerca das Graves Violações dos Direitos Humanos e à Dignidade das Vítimas em reconhecimento à atuação de Dom Romero em defesa dos direitos humanos.[4]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Em 1997 Romero foi declarado um "Servo de Deus" pelo papa João Paulo II. Sua beatificação e posterior canonização foram propostas à Santa Sé, sem que até hoje tenha sido concluído os trâmites que levam à conclusão do processo.[5]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sobre Monseñor Óscar Romero. Página visitada em 6 de dezembro de 2009.
  2. Archbishop Oscar Amulfo Romero y Galdamez (em inglês). Página visitada em 17 de julho de 2010.
  3. Biografia de Óscar Arnulfo Romero
  4. MONTALVO, Geovani. Dom Óscar Romero disse a verdade vigorosamente. ADITAL. Página visitada em 28 de março de 2011.
  5. GALVÃO, Antônio Mesquita. Dom Romero, Mártir. Página visitada em 17 de julho de 2010.
  6. El Salvador - Crime sem Castigo (em espanhol) - RTVE.es A la Carta
Ícone de esboço Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.