A Streetcar Named Desire

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Streetcar Named Desire
Um Eléctrico Chamado Desejo (PT)
Uma Rua Chamada Pecado (BR)
Vivien Leigh como "Blanche DuBois"
 Estados Unidos
1951 • p&b • 125 min 
Direção Elia Kazan
Roteiro Oscar Saul
Elenco Vivien Leigh
Marlon Brando
Kim Hunter
Karl Malden
Género drama
Idioma inglês / espanhol
Página no IMDb (em inglês)

A Streetcar Named Desire (br: Uma Rua Chamada Pecado / pt: Um Eléctrico Chamado Desejo) é um filme norte-americano de 1951, do gênero drama, dirigido por Elia Kazan, e com roteiro baseado na peça Um Bonde Chamado Desejo, de Tennessee Williams.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Blanche DuBois é uma madura mas ainda atraente mulher sulista que gosta da virtude e da cultura mas que usa isso como escudo para esconder sentimentos de amargura e desilusão, além do vício do alcoolismo. Ao mesmo tempo em que foge da realidade, Blanche ainda busca atrair pretendentes. Ela chega ao apartamento da irmã Stella Kowalski, em New Orleans, usando o bonde (elétrico) que faz a rota chamada "Desire". Esse novo ambiente abala os nervos de Blanche. Stella teme a reação do marido Stanley com os modos e a doença da irmã. Blanche diz que trabalhava como professora de inglês, mas que teve de parar por causa de sua doença nervosa, mas na verdade ela foi despedida por se envolver com um garoto de 17 anos de idade. Seu marido se suicidara e ela fugira da sua cidade para escapar dos problemas.

Stanley é rude e grosseiro, dominando Stella com seu comportamento abusivo mas sensual, mas que em Blanche só causa repulsa. O amigo dele, Mitch, se interessa por Blanche, a quem considera uma dama. Stanley acaba se enfurecendo com Blanche, quando ela interfere no seu relacionamento com a esposa. Stanley descobre o passado da cunhada e a desmascara, arruinando de vez a vida de todos.

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

Marlon Brando como "Stanley Kowalski"

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar (1952) O Filme venceu 4 categorias das 12 no qual foi indicado. 3 dessas foram em categorias de atuação. Foi o segundo Oscar da atriz Vivien Leigh, que havia ganhado na categoria de atuação pelo clássico "...E o vento levou".

Categoria Recipiente Resultado
Melhor filme Charles K. Feldman Indicado
Melhor diretor Elia Kazan Indicado
Melhor roteiro adaptado Oscar Saul Indicado
Melhor ator Marlon Brando Indicado
Melhor atriz Vivien Leigh Venceu
Melhor ator coadjuvante Karl Malden Venceu
Melhor atriz coadjuvante Kim Hunter Venceu
Melhor fotografia (em preto-e-branco Harry Stradling Jr. Indicado
Melhor trilha sonora original Alex North Indicado
Melhor direção de arte (em preto-e-branco) Eve Stewart e Judy Farr Venceu
Melhor figurino (em preto-e-branco) Lucinda Ballard Indicado
Melhor som Nathan Levinson Indicado


Referências

  1. [1] Adorocinema.com.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre A Streetcar Named Desire