Suddenly, Last Summer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Suddenly, Last Summer
Bruscamente no Verão Passado (PT)
De repente, no último verão (BR)
 Estados Unidos
1959 • p&b • 114 min 
Direção Joseph L. Mankiewicz
Roteiro Gore Vidal
Tennessee Williams
Elenco Elizabeth Taylor
Katharine Hepburn
Montgomery Clift
Género drama
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Suddenly, Last Summer (br: De repente, no último verão / pt: Bruscamente no Verão Passado) é um filme estadunidense de 1959, do gênero drama, dirigido por Joseph L. Mankiewicz.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Em 1937, um brilhante e jovem neurocirurgião chamado Dr. John Cukrowicz, realiza uma operação de lobotomia num hospital estadual, em precárias condições. A rica dama Violet Venable entra em contato com o médico para que ele aceite como paciente uma sobrinha sua, Catherine Holly, e o diretor do hospital percebe que essa poderá ser a chance de receber grandes doações. Catherine foi diagnosticada como portadora de uma enfermidade mental grave e internada numa clínica. Ela não pode mais ficar lá depois de um escândalo envolvendo um funcionário de idade avançada. O médico vai ao encontro de Violet e fica sabendo que Catherine sofrera um colapso nervoso após presenciar a morte do primo Sebastian, filho de Violet, durante uma viagem de verão à Espanha. Enquanto examina Catherine no hospital e tenta fazê-la se lembrar das circunstâncias ocorridas quando da morte do primo, o dr. Cukrowicz recebe a pressão da rancorosa Violet, que culpa a suposta insanidade da sobrinha pela morte do filho e quer que o médico realize a operação no cérebro dela.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Oscar 1960 (EUA)

  • Indicado nas categorias de melhor atriz (Elizabeth Taylor e Katharine Hepburn), e melhor direção de arte - preto e branco.

Globo de Ouro 1960 (EUA)

  • Vencedor na categoria de melhor atriz - drama (Elizabeth Taylor).

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Este é o terceiro filme em que Montgomery Clift e Elizabeth Taylor trabalharam juntos. Os demais foram Um Lugar ao Sol (1951) e A Árvore da Vida (1957).
  • O escritor Gore Vidal contou a Vito Russo, autor do livro The Celluloid Closet que depois originou um documentário, que a censura da época, principalmente a proveniente da "Legião Católica da Decência", forçou-o a cortar os diálogos com referências à homossexualidade. Essa seria a razão pela qual o personagem homossexual não teve nem rosto nem voz no filme.
  • Vito Russo contou no mesmo livro que Katharine Hepburn não gostou do tratamento dado pelo produtor Sam Spiegel a Montgomery Clift - que na época tinha problemas para atuar devido ao consumo de drogas e álcool. Katharine teria achado que o produtor implicara com Clift devido a homossexualidade do ator e, após terminar suas cenas, cuspiu no rosto de Spíegel. Algumas fontes incluem também o diretor Mankiewicz como o alvo de Hepburn.
  • O filme foi realizado na Inglaterra, nos Estúdios Shepperton em Londres.[1]
  • O filme se passa em 1937, período em que a Espanha estava passando pela guerra civil que começara em julho de 1936. Esse fato não é mencionado, embora na época tenham acontecido naquele país várias revoltas da população, como as contadas no climax do filme.
  • A irmã do autor Tennessee Williams, Rose Williams, sofreu uma lobotomia, o que inspirou um dos temas da história.

Referências