Amor de Perdição

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Junho de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Amor de Perdição é o título de uma novela portuguesa de Camilo Castelo Branco, escrito em 1862. É o mais famoso romance do autor, um dos expoentes do romantismo em Portugal.

A redação dessa obra, sua maior novela passional, foi inspirada em fatos reais, vividos pelo tio de Camilo Castelo Branco,Simão Antônio Botelho, preso por homicídio na Cadeia da Relação do Porto.

Resumo da obra[editar | editar código-fonte]

Simão Botelho e Teresa de Albuquerque pertecem a famílias distintas, que se odeiam. Moradores de casas vizinhas, em Viseu, acabam por se apaixonar e manter um namoro silencioso através das janelas próximas. Ambas as famílias, desconfiadas, fazem de tudo para combater a união amorosa. Tadeu de Albuquerque (o pai de Teresa), após recorrentes tentativas de casar sua filha a um primo acaba por interná-la num convento.

Após luta travada com os criados do primo de Teresa, Simão Botelho permanece na casa de um ferreiro devedor de favores ao seu pai. A filha do ferreiro, Mariana, acaba também por se apaixonar por Simão, constituindo um triângulo amoroso. Teresa e Simão mantêm contato por cartas. Este, numa tentativa de resgatar Teresa do convento, acaba por balear o primo de Teresa, Baltasar, e é condenado à forca. Mais tarde, as influências de seu pai, antigo corregedor, irão mudar a pena para dez anos de degredo na Índia. Ao embarcar, vê Teresa, que morre por causa da tuberculose. Nove dias depois, doente, Simão acaba por morrer também, e no momento em que vão lançar o corpo ao mar, Mariana, filha do ferreiro, lança-se também.

Análise[editar | editar código-fonte]

Narrador[editar | editar código-fonte]

O narrador apresenta-se em terceira pessoa, apenas identificando-se ao final do livro como sobrinho de Simão, filho de Manuel Botelho, irmão de Simão. Possui aspectos autobiográficos.

Corrente literária[editar | editar código-fonte]

Amor de Perdição faz parte da chamada segunda fase do romantismo, em que o amor pode levar até as últimas consequências (como a própria morte).

Traduções[editar | editar código-fonte]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Adaptações cinematográficas[editar | editar código-fonte]

O livro foi seis vezes adaptado ao cinema, entre elas:

Adaptações televisivas[editar | editar código-fonte]

Em 1965, a TV Cultura apresentou a sua versão do romance, em forma de telenovela, também chamada de Amor de perdição.

Juntamente com os romances Livro negro do Padre Dinis e Mistérios de Lisboa é a base da telenovela luso-brasileira Paixões proibidas.

Books-aj.svg aj ashton 01.png A Wikipédia possui o
Portal de Literatura
Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Amor de Perdição
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.