Antoku

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imperador Antoku
Imperador Antoku
Imperador de Flag of Japan.svg Japão
Período 1180 até 1185
Antecessor(a) Imperador Takakura
Sucessor(a) Imperador Go-Toba
Vida
Nascimento 22 de dezembro de 1178
Morte 25 de abril de 1185 (6 anos)
linkWP:PPO#Japão

Imperador Antoku (安 徳 天皇, Antoku-tennō?, 1178 - 1185) foi o 81° Imperador do Japão [1] , de acordo com a lista tradicional de sucessão. Seu reinado durou 5 anos de 1180 até 1185 [2] . Durante este período, a família imperial esteve envolvida em uma amarga luta entre clãs rivais. Yoritomo, junto ao seu primo Yoshinaka, lideraram uma força do Clã Minamoto contra o Clã Taira, a quem o imperador apoiava. Durante a batalha naval de Dan-no-ura em março 1185, um membro da família real pegou Antoku e mergulhou com ele nas águas do Estreito de Shimonoseki, afogando o imperador ainda criança ao invéz de permitir que ele fosse capturado pelas forças inimigas. O conflito entre os clãs gerou inúmeras lendas e contos. A localização da tumba de Antoku não é precisa dizem que está localizada em vários lugares ao redor do oeste do Japão, incluindo a ilha de Iwo Jima [3] .

Vida[editar | editar código-fonte]

Antes de sua ascensão ao Trono do Crisântemo , seu nome pessoal era Tokohito [4] . Também era conhecido como Kotohito[2] .

Seu pai era o Imperador Takakura. Sua mãe, Taira no Tokuko (平 徳 子?), segunda filha de Taira no Kiyomori, foi mais tarde chamada de Imperatriz Kenrei (建 礼 门 院, Kenrei-mon In?).

Antoku foi nomeado príncipe herdeiro com cerca de um mês de idade. Ele subiu ao trono com um ano de idade. Naturalmente, não tinha nenhum poder real, mas este estava concentrado nas mãos de seu avô Taira no Kiyomori que governou em seu nome, embora não oficialmente, como Sesshō (regente).

Em 1180, no 12 º ano do reinado de Takakura, este foi forçado a abdicar por Kiyomori; e a sucessão foi dada a seu filho Tokohito, neto de Kiyomori. Pouco tempo depois, o Imperador Antoku ascendeu ao trono [2] [4] .

No ano de sua entronização, a capital foi transferida paraKōbe, na Província de Hyōgo, mas logo voltou para Quioto [4] .

Em 1183, quando Minamoto no Yoshinaka entrou na capital, o clã Taira fugiu com o jovem imperador e os tesouros sagrados para Yashima atual Takamatsu, na província de Kagawa). Neste momento Go-Toba é proclamado imperador pelo clã Minamoto (Genji); e, conseqüentemente, passam a ter dois imperadores proclamados, uma vivia em Quioto e outro (Antoku) em fuga para o sul com os Taira [2] , que acabaram sendo derrotados na Batalha de Yashima; mas o Imperador Antoku e os Tesouros, junto com a maioria dos Taira conseguiram fugir novamente para Dan-no-Ura, no Estreito de Shimonoseki, entre Kyushu e Honshu [2] .

Em 1185 Os clãs Taira e Minamoto entraram em confronto na Batalha de Dan no Ura

O Taira foram derrotados. A avó de Antoku, Taira no Tokiko, a viúva de Kiyomori, afogou-se, juntamente com o jovem imperador. Sua mãe também se afogou, mas, aparentemente, de acordo com o ( Heike Monogatari), ela foi puxada para fora com um ancinho por seu longo cabelo. Segundo a lenda, o espelho sagrado Yata no Kagami e a espada sagrada Kusanagi (dois dos três tesouros sagrados) caíram no fundo do mar, e embora o espelho tenha sido recuperado, a espada foi perdida.

Após seu afogamento, a fim de lamentar o ocorrido e aplacar qualquer espíritos inquietos, o Amidaji Goeidō foi construído. A Agência da Casa Imperial considera Amida-ji no misasagi (阿 弥陀寺 陵?), perto de santuário Akama como o túmulo de Antoku. [5]

A história do imperador Antoku e da família de sua mãe tornaram-se um dos poema épico do Período Kamakura O conto dos Heike' (Heike é uma leitura alternativa do Kanji para "Casa dos Taira").

Daijō-kan[editar | editar código-fonte]




Precedido por
Takakura
Japanese Imperial Seal.svg -- 81º Imperador do Japão
1180 - 1185
Sucedido por
Go-Toba




Referências

  1. Agência da Casa Imperial: Antoku-tennō (80) (em japonês)
  2. a b c d e Isaac Titsingh, "Antoku" em Annales des empereurs du japon, (em francês) Paris: Royal Asiatic Society, Oriental Translation Fund of Great Britain and Ireland pp. 200-2007 OCLC 5850691.
  3. Jeremy Roberts Japanese Mythology A to Z (em inglês), Infobase Publishing, 2009, ISBN 9781604134353
  4. a b c d e Delmer M.Brown e Ichirō Ishida, Gukanshō: The Future and the Past. Berkeley: University of California Press. pp. 333 - 334. ISBN 9780520034600; OCLC 251325323
  5. Ponsonby-Fane, Richard. (1959). A Casa Imperial do Japão, p. 422; nb, embora Ponsonby-Fane indique que o santuário oficial era em Kyoto em 1930, o texto credível, mas sem fontes na parte inferior deste artigo explica que o local atual do santuário é em Shimonoseki.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Antoku