Apollo 18

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Apollo 18
Apollo 18 - A Missão Proibida (BR)
Poster de divulgação
 Estados Unidos
2011 • Cor • 86 min 
Direção Gonzalo López-Gallego
Produção Timur Bekmambetov
Michele Wolkoff
Roteiro Brian Miller
Género Ficção científica
Terror
Idioma Inglês
Música Harry Cohen
Direção de arte Peter Bodnarus
Tyler Harron
Figurino Kate Main
Cynthia Summers
Beverley Wowchuk
Cinematografia Jose David Montero
Edição Patrick Lussier
Distribuição Dimension Films
Lançamento 2 de setembro de 2011
Orçamento US$ 5 milhões (estimado)
Receita US$ 24.461.955
Página no IMDb (em inglês)

Apollo 18 (no Brasil, Apollo 18 - A Missão Proibida) é um filme norte-americano de ficção científica dirigido por Gonzalo López-Gallego.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O filme inicia-se com a explicação sobre as últimas missões a lua. E que em 2011, 84 horas de filmagens secretas foram disponibilizadas no sítio lunartruth.com. Em dezembro de 1972, a tripulação da anteriormente cancelada Apollo 18 é informada de que a missão irá acontecer, embora tenha agora sido organizada por um departamento secreto do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. O comandante Nathan Walker, o tenente-coronel John Grey e capitão Benjamin Anderson são lançados em direção a Lua para, oficialmente, instalar detectores de mísseis balísticos da União Soviética.

Grey permanece em órbita a bordo do modulo de comando, enquanto Walker e Anderson andam pelo solo lunar. Instalam os detectores e recolhem amostras de rochas lunares. Ao tentar dormir, o par ouve ruídos externos. Houston afirma que os ruídos são interferências dos detectores. Anderson encontra uma amostra de rocha no chão da nave, apesar de ter guardado as amostras. Durante a exploração posterior, eles descobrem pegadas que os levam a um LK lander soviético nas proximidades, com seu interior danificado e com manchas de sangue. Anderson segue as pistas que levam até uma cratera escura e encontra um cosmonauta morto.

No dia seguinte os dois observam que a bandeira americana desapareceu. Sua missão se completa, a equipe se prepara para deixar a Lua, mas o lançamento é abortado quando a nave sofre uma agitação violenta. Uma inspeção revela grandes danos na nave e Walker observa pegadas estranhas no solo lunar evidenciando presença extraterrestre. Walker sente algo se movendo dentro de seu traje espacial e fica horrorizado com uma criatura andando pelo interior do seu capacete. Walker desaparece de vista e Anderson o encontra inconsciente longe da nave. Ao trazer Walker para a nave, ele nega os fatos. Uma ferida é descoberta no peito de Walker; Anderson a sente e remove uma rocha lunar dentro dele. A dupla encontra-se incapaz de fazer contato com Houston devido ao aumento dos níveis de interferência.

Anderson especula que a verdadeira intenção dos dispositivos de alerta é monitorar os alienígenas. A dupla cada vez mais se pergunta se os dispositivos são a fonte da interferência; Houston tinha assegurado que isso não aconteceria. Walker mostra sinais de uma infecção em torno de sua ferida e ele fica cada vez mais paranóico. As câmeras da missão capturam as amostras de rocha se deslocando no interior da nave, revelando que os alienígenas são as rochas lunares (indistinguíveis das rochas reais). Cada vez mais delirante, Walker tenta destruir as câmeras dentro da nave, mas acidentalmente causa danos aos controles do sistema, causando a despressurização da nave. Percebendo que a LK soviética é sua única fonte de oxigênio, eles vão até ela. Ao longo do caminho, Walker tenta fugir, acreditando que ele não deve deixar a Lua por causa do risco de infecção na Terra. Anderson cai tentando parar Walker.

Anderson desperta Walker, encontrando-o perto da cratera onde encontraram o cosmonauta morto. Walker é puxado para dentro da cratera pelas criaturas. Anderson vai atrás dele,usando o flash superpotente da câmera,mas percebe que as pedras começam a brotar do chão e se transformam em criaturas, fazendo com que Anderson fuja para o LK soviética. Usando seu rádio, ele faz contato com o centro de controle da missão soviética que o conecta com o Departamento de Defesa dos Estados Unidos. O secretário-adjunto do departamento informa a Anderson que não permitirá o seu retorno à Terra, admitindo que eles estão cientes da situação e temem que ele também esteja infectado. Anderson consegue finalmente entrar em contato com Grey, que orbitava a lua, e fazem arranjos para Anderson conseguir decolar e se acoplar na nave em órbita. Anderson se prepara para o lançamento da sonda, mas é atacado por Walker. Antes de Walker violar o veículo, ele é cercado pelas criaturas que rastejam em seu capacete, fazendo com que seu sangue se espalhe pelo capacete.

Anderson lança a sonda LK com sucesso com a intenção de chegar perto nave onde está Grey, em órbita da lua. Grey é informado de que Anderson está infectado. Grey é intimado a não resgatar Anderson ou a comunicação será cessada, tornando-o incapaz de retornar à Terra. Dentro da sonda russa, a falta de gravidade faz com que pequenas pedras, dentro da nave soviética, flutuem. Anderson percebe com horror que algumas das rochas são criaturas realmente estranhas. Anderson é atacado e infectado pelas criaturas, impedindo-o de controlar o veículo, levando a nave soviética em direção a Grey.

O filme volta para imagens anteriores da missão dos pilotos, mostrando-os em um churrasco com amigos e familiares. O destino "oficial" dos astronautas é dado, descrevendo-os como tendo morrido em acidentes diversos que deixaram seus corpos irrecuperáveis. Um epílogo explica que muitas das amostras de rocha que retornaram das missões Apollo anteriores estão desaparecidas.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

O filme foi gravado em Vancouver, Canadá. A NASA também foi "minimamente envolvida com este filme", ​​mas se recusou a ir mais longe com o projeto.[1] No Brasil, o filme foi distribuido pela Playarte.[2]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Apollo 18 foi lançado em 2 de setembro de 2011 em vários países. Originalmente programado para 05 de fevereiro de 2010, data em que o filme de lançamento foi transferido oito vezes durante o ano (incluindo a 18 junho de 2010, 15 de outubro de 2010, 04 de março de 2011, 22 de abril de 2011, 08 de julho de 2011, 06 de janeiro, 2012, 26 de agosto de 2011 e 02 de setembro de 2011) [Films [Dimension]] se recusou a exibir o filme para a imprensa e colocou um embargo comentário sobre o filme até que foi lançado em 2 de setembro de 2011. .[3] [4] [5] [6] [7] [8]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

A partir de 16 de setembro de 2011, Apollo 18 ganhou 16.126 mil dólares americanos no mercado interno, além de $ 7.917.922 no exterior para uma renda mundial de $ 24.043.922 contra um orçamento de US $ 5 milhões, tornando-se um sucesso financeiro. Em sua abertura num fim de semana, Apollo 18 foi exibido em 3.328 cinemas e abriu no número 3, ganhando $ 8.704.271, com uma média de $2.615 por cinema.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter atingido sucesso financeiro, o filme recebeu criticas mistas e negativas.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]