Bambuluá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Bambuluá
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 30 min. aprox.
Criador(es) Roberto Talma
Claudia Souto
e grande time de autores.
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Elenco Angélica e grande elenco.
Tema de abertura "Bambuluá" (Lenine)
Transmissão original 9 de outubro de 200021 de dezembro de 2001
Nº de episódios 315

Bambuluá é uma telenovela infantil brasileira produzida pela Rede Globo, que estreou em 9 de outubro de 2000 e terminou em 21 de dezembro de 2001. Era exibida de segunda a sexta, no horário de 9h30 da manhã. Uma ideia de Roberto Talma, a história é vagamente inspirada no conto A Princesa de Bambuluá, de Câmara Cascudo[1] .

Protagonizada por Angélica, interpretando ela mesma, e por Pedro Vasconcelos, no papel de Bruck, a atração conta a história dos Cavaleiros do Futuro, protetores de Bambuluá, também chamada de Cidade dos Sonhos, que combatiam o Senhor Dumal e seus comparsas de Magush, a Cidade das Sombras[2] . A principal intenção do Senhor Dumal é invadir e dominar a cidade de Bambuluá para se vingar do Mago Tchilim, que o criou e contra o qual se revoltou. Os habitantes de Bambuluá são chamados de sonhonhocas, e os de Magush são denominados sombrios. A gangue de adolescentes de Magush, liderada pelo inescrupuloso Morcegão, é a principal inimiga dos Cavaleiros do Futuro, cujo líder é o jovem Deco.

Um dos momentos notórios foi a participação dos bonecos da TV Colosso, programa infantil criado por Luiz Ferré. Na trama, os cães Priscilla, Gilmar e seus 4 Gilmares, JF, Capachão, Borges e Bullborg chegam a Bambuluá a bordo um disco voador canino.

A novela foi a ultima produção do horário na emissora. Apesar de apresentar baixos índices em seu decorrer[3] , a trama foi um grande sucesso entre o público infanto-juvenil, fechando com surpreendentes 42 pontos de Ibope. Seu último capítulo registrou índices mais altos que os do final da novela Esplendor.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A cantora e apresentadora Angélica é convidada à inauguração da Lona Musical Passarim, na cidade de Bambuluá. Na rota, ela é cercada por uma gangue de motoqueiros e salva por um grupo de sete crianças super-heroínas. Ela é levada por eles à cidade e acaba descobrindo um lugar repleto de sonhos e magia. Bambuluá é cercada por barreiras de proteção e guardada por um cristal mágico que impede os habitantes da cidade vizinha (a sombria Magush) de invadí-la. Os habitantes, simpáticos, são conhecidos como sonhonhocas. Os super-heróis se revelam ser os Cavaleiros do Futuro, guardiões da cidade e do Cristal. Outrora crianças comuns, elas o encontraram durante uma escavação nas proximidades da cidade, sendo eleitas por ele como suas protetoras, e concedendo a cada uma um poder distinto. Cada Cavaleiro corresponde a uma cor do arco-íris. Os mentores do grupo são o mago Tchilim e seu fiel mascote Dubem. No decorrer da luta contra o mal, os Cavaleiros chegam a evoluir, se tornando adolescentes. Seus principais inimigos são os Cavaleiros das Trevas, adolescentes da vizinha Magush liderados por Morcegão, que visam tomar a cidade e o Cristal. A gangue atua sob as ordens do perveso Dumal, que também possui como seguidor fiel o belo andróide Bruck. Dumal possui como conselheira a misteriosa Mulher do Espelho.

Angélica se vê em meio a uma batalha entre o bem e o mal, e aos poucos vai aquecendo o coração frio de Bruck. Os dois vivem um romance proibido até ele mudar de lado definitivamente. A luta dos Cavaleiros é incrementada quando a Mulher do Espelho ganha vida, tornando-se uma peça-chave na vitória do bem. Destruindo o Coração que um dia pertencera ao Senhor Dumal antes dele o abandonar, os Cavaleiros do Futuro conseguem vencê-lo. Os Cavaleiros de Magush, assim como os demais seres das trevas (incluindo Dumal), são exilados em outra dimensão, jurando vingança. Morcegão consegue a redenção e o Cristal o transforma no oitavo Cavaleiro do Futuro, o Cavaleiro Branco.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Angélica — Guardiã do amuleto de 7 cores.
  • Tchilim — Mago imortal, sábio e mentor dos Cavaleiros do Futuro.
  • Senhor Dumal — Vilão principal da história.
  • Dubem — Ser virtual criado por Tchilim e amado por ele como um filho.
  • Bruck — Andróide e fiel servidor do Senhor Dumal.
  • Cavaleiros do Futuro - São os defensores de Bambuluá.
  • Serapião — Dono da "Biscoiteca".
  • Augusta — Mulher do prefeito Teobaldo e mãe de Cacau.
  • Teobaldo — Prefeito Teobaldo e pai de Cacau.
  • Stela - Florista e mãe de Deco.
  • Amanda — É a professora da cidade e desperta a curiosidade das crianças para o mundo. Trocou de corpo com a vilã Nefasta temporariamente.
  • Vovô — É o avô de Rafael.
  • Plínio — É o mal infiltrado em Bambuluá.
  • Neném — Não é um bebê comum. Conversa com o cão Mascote e assume um papel importante na luta contra o mal.
  • Mascote — É um cão da raça Bouvier des Flandres.
  • Morcegão - Menino sombrio que se apaixona pela Cavaleira Violeta, Renatinha. Após se redimir, é nomeado Cavaleiro Branco.
  • Assombroso - Menino sombrio e inescrupuloso de Magush.
  • Clárian — É a Sacerdotisa de Magush, e filha da Mulher do Espelho.

Elenco[editar | editar código-fonte]

TV Globinho[editar | editar código-fonte]

Cavaleiros do Futuro 1ª fase[editar | editar código-fonte]

Cavaleiros do Futuro 2ª fase[editar | editar código-fonte]

Sombrios[editar | editar código-fonte]

Figuração específica[editar | editar código-fonte]

Autores[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Com sua estreia adiada por várias vezes, Bambuluá marcou um esperado retorno de Angélica aos infantis matinais da Rede Globo, dois meses após o fim de seu programa anterior, Angel Mix[4] . A cidade cenográfica possuía 3 mil m², e chegou a ser aberta para a visitação do público, ao estilo de um parque temático[5] . Com a carência de índices positivos de audiência, as sete crianças intérpretes dos Cavaleiros do Futuro foram substituídas por adolescentes, no intuito de atrair o público jovem com assuntos se seu interesse[6] . Na história, os jovens seriam o resultado de uma transformação concedida pelo Cristal. O programa introduziu a TV Globinho, inicialmente como um de seus quadros, e era localizada na cidade. Apesar de Angélica interpretar várias de suas canções no decorrer da trama, Bambuluá possui apenas duas músicas em sua trilha sonora; o tema dos Cavaleiros do Futuro, além da música-tema interpretada por Lenine.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A cidade cenográfica da novela ocupava antes os setes do "Tropical Tower Shopping", de Torre de Babel.
  • No final do último capítulo, foi apresentado um vídeo com fotos de todo o elenco da série. Contudo, os dubladores dos bonecos e das animações da novela não foram lembrados.
  • Cláudio Galvan, que dublou o Senhor Dumal e outros personagens animados, é conhecido por dublar o gato Garfield no seriado O Show do Garfield.
  • Foi o último programa infantil de Angélica, que após seu fim abandonou a carreira direcionada ao público infanto-juvenil, sendo convidada a apresentar o quadro Video Game, do programa Vídeo Show.
  • Yuri Jaimovich, que viveu Rafael na primeira fase da novela, já trabalhava com Angélica no programa Angel Mix, interpretando um personagem de mesmo nome.
  • Na época foi lançado o álbum de figurinhas da turma do Bambulúa que virou febre entre o publico infanto-juvenil que assistia a trama. Apesar de fazer um grande sucesso a novela registrava pequenas quedas durante o período de aula quando as crianças e jovens não podiam assistir a trama.

Direção[editar | editar código-fonte]

  • Marcio Trigo
  • Marcelo Zambelli
  • Pedro Vasconcelos

Referências