Cáiser

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde maio de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cáiser do Império Austríaco, Francisco I.

Cáiser (do alemão Kaiser) é título que significa "imperador". Vem do latim Cæsar, por empréstimo do cognome do ditador romano Júlio César, da mesma maneira que o título eslavo Tsar (por vezes grafado czar) e o húngaro Császár. Trata-se de um título monárquico soberano do mais alto nível, no popular kaiser era e é usado para nominar os chefes de família ou senhores de terras, nobres.

Foi Carlos Magno que reviveu, em 25 de dezembro de 800, o título imperial romano no Reino Franco, hegemônico no Ocidente católico, para reivindicar tratamento igual ao do basileu do Império Bizantino e ao do califa muçulmano. Quando seu império foi partilhado, o título imperial ficou com o reino oriental (território germânico, portanto).

Os sacro-imperadores romanos (9621806) intitulavam-se cáiseres e viam-se como a continuação do Império Romano — o uso do nome de César pelos alemães refletia, portanto, esta suposta herança.

Os soberanos do Império Austríaco (18061918, após 1867 Império Austro-Húngaro), da Casa de Habsburgo, que contava diversos sacro-imperadores ao longo dos séculos, também se intitulavam cáiser.

Em português, porém, da mesma maneira que em quase todas as línguas, o título não traduzido costuma ser associado exclusivamente ao Império Alemão unificado (18711918), cujo território correspondia ao centro do antigo Sacro-Império.

O Império Alemão teve três cáiseres, todos da Casa de Hohenzollern, que governava também o Reino da Prússia:

Títulos derivados da forma alemã Kaiser são usados em línguas germânicas ou eslavas (diferentemente de línguas românicas, que derivam seus títulos da palavra latina Imperator):