Caso genitivo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde setembro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Casos gramaticais

Declinação

Casos gramaticais
Declinação por idioma
editar esta tabela

O caso genitivo é um caso gramatical que indica uma relação, principalmente de posse, entre o nome no caso genitivo e outro nome. Em um sentido mais geral, pode-se pensar esta relação de genitivo como uma coisa que pertence a algo, que é criada a partir de algo, ou de outra maneira derivando de alguma outra coisa. (A relação é normalmente expressa pela preposição de em português.) Já o termo caso possessivo refere-se a um caso semelhante, embora normalmente de uso mais restrito.

Diversos idiomas têm um caso genitivo, entre os quais o lituano, o árabe, o latim, o irlandês, o georgiano, o grego, o alemão, o neerlandês, o polonês, o eslovaco, o esloveno, o croata, o russo, o finlandês, o japonês e o sânscrito. O romeno é a única língua neolatina que ainda faz uso deste caso. O inglês não tem propriamente um caso genitivo, mas uma terminação possessiva, -'s.

Tipos de genitivo:

  1. possessividade (Filho de sua mãe);
  2. complementarmente (Menino bonito);
  3. locussivamente (Domi manebat [Latim]);
  4. designativamente (Qual é difícil?);
  5. adjectivamente (o magno deus);
  6. qualitativamente (A magna prudência);
  7. culposamente;
  8. enfaticamente (que ingente altitude).


Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.