Centro de Processamento de Dados Utah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Data Center da NSA em Utah
Esquema de localização das edificações do UDAC

Centro de Processamento de Dados Utah ou (UDAC), para Utah Data Center, é o centro de processamento e armazenamento de dados gerenciado pela NSA, para atender a Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos.[1]

Apesar da controvérsia em curso sobre o envolvimento da NSA na prática da Vigilância em massa, o megaprojeto foi concluído no final de 2013 e custou cerca de US$1.5 bilhões (dólar americano).[2]

O mega centro se torna totalmente operacional em Setembro de 2014.[3]

Em 2012, James Bamford já publicava informações sobre o Centro de Processamento de Dados da NSA, sendo construido em Bluffdale, Utah e diretamente relacionado ao sistema de vigilância global revelado por Edward Snowden em 2013.

O local abriga, além do Centro de Processamento de Dados Utah, uma das maiores seitas americanas de polígamos com mais de 9.000 membros, a Apostolic United Brethren[4] [5] .

Vista panorâmica do Centro de Processamento de Dados Utah (Utah Data Center - UDAC), Bluffdale, Utah, USA

Localização[editar | editar código-fonte]

O centro está localizado em Camp Williams, perto de Bluffdale, entre o Lago Utah e o Grande Lago Salgado, em Utah, nos Estados Unidos.

Em 2013, com as divulgações de vigilância em massa feitas por Edward Snowden[1] [2] , The Wall Street Journal escreveu que o Centro de Utah é o "símbolo das proezas em vigilância das agências de espionagem " (americanas).

Propósito do Centro[editar | editar código-fonte]

A revelação do PRISM[3] em 2013, mostrou a capacidade da NSA[4] de Vigilância global das comunicações em tempo real, seja na Internet ou de informações armazenadas por usuários, servidores etc...Os dados coletados ao redor do mundo já estão sendo direcionados e armazenados no mega Data Centro de Utah.

O centro de dados tem a capacidade de armazenar e processar toda esta informação agora e no caso da futura expansão das atividades de vigilância da NSA.

Defensores de privacidade e liberdades civis vêm levantando a preocupação sobre a capacidade única de controle mundial que tal centro de armazenamento de dados dá às agências de inteligência americanas.

Em 2013, o UDAC começou a armazenar dados de Internet, bem como dados telefônicos coletados pelos vários programas de vigilância utilizados pela NSA na Vigilância Global.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

No final de 2013, a A superfície da estrutura do complexo atinge 100.000 m2, incluindo 10.000 m2 dedicados para os servidores localizados em quatro edifícios e 90.000 m2 de espaço para suporte técnico e administrativo.[5]

Um relatório sugere que o custo de hardawre, software e manutenção chega a 2 bilhões de dólares americanos.

O complexo vai consumir cerca de 65 Megawatts à um custo de 40 milhões de dólares americanos por ano. Em 2012, por exemplo, Google consumia cerca de 12 Megawatts por ano em todas as suas atividades, o equivalente ao consumo de uma cidade de 200 mil habitantes.[6] O consumo previsto para o Centro de dados da NSA é cerca de 5 vezes maior.

Dados a serem armazenados[editar | editar código-fonte]

O centro vai armazenar dados coletados via satélites, coletados das estações operando em frequências internacionais, dados das comunicações telefônicas, das conexões com os provedores de acesso à Internet, etc...[7]

Essas informações serão disponibilizadas para a NSA, FBI, CIA, serviços militares americanos e outras agências americanas, seja para espionagem política, industrial e econômica, cibersegurança americana ou na luta contra o terrorismo.

O Chefe da Divisão Técnica da CIA, Gus Hunt, disse que "nós vamos tentar recolher tudo e guardar para sempre.".

Em agosto de 2012, The New York Times publicou um documentário feito por Laura Poitras, intitulado "O Programa"[8] , baseado em entrevistas com o ex-oficial da NSA William Binney (U.S. Oficial de Inteligencia Americano) considerado um dos melhores Matemáticos e criptoanalistas na História da NSA, tendo trabalhado para a agência por mais de 30 anos. Binney, juntamente com outro ex oficial da NSA Thomas Drake[9] foram uns dos primeiros a tentar revelar as atividades de Vigilância em massa da NSA finalmente expostas por Edward Snowden[9] em 2013. Binney de tornou um "whistleblower"[4] devido ao que ele concluiu serem atividades de corrupção dentro da NSA relacionadas aos projetos de nome ThinTread[10] e TrailBlazer[11]

Binney relata que o propósito original do projeto ThinThread era dirigido para coleta de sinais de inteligência de países no exterior, fora dos Estados Unidos. Mas, afirmou Binney, após o ataque de 11 de setembro de 2001 aos Estados Unidos, controles que limitavam-se a coleta de dados de cidadãos norte-americanos foram removidos, o que levou as preocupações por ele e outros de que as ações eram ilegais e inconstitucionais. Binney alegou que a instalação em Bluffdale foi projetada para armazenar uma ampla gama de comunicações domésticas, além das vindas do exterior, para mineração de dados sem autorização judicial.[8]

Capacidade de Armazenamento[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2013, com base nos planos estruturais da obra, a revista Forbes estimou a capacidade de armazenamento do centro como sendo de 3 a 12 exabytes, que são bilhões de gigabytes. Cada gigabyte equivale à 1 bilhão de bytes.

Para comparação, a revista disse que todas as chamadas de telefone dos Estados Unidos por um período de um ano (cerca de 272 petabytes) podem ser armazenado em um espaço que representa apenas 2% da capacidade de armazenamento de servidores do centro de processamento de dados em Utah.[12]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Centro de Processamento de Dados Utah

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Entenda o caso de Edward Snowden, que revelou espionagem dos EUA G1 (02 de julho de 2013). Página visitada em 14 de março de 2014.
  2. Edward Snowden: the whistleblower behind the NSA surveillance revelations | World news | The Guardian
  3. Espionagem: como as agências de inteligência coletam dados BBC (31 de outubro 2013). Página visitada em 15 de Março de 2014.
  4. a b Fotos reveladas pela primeira vez da NSA e de outras agencias de intelgencia americanas The Intercept - 10 de fevereiro de 2014
  5. [3] Novo data center da NSA enfrenta problemas elétricos - Jornal O Globo - 08 de outubro de 2013.
  6. Google consome mais energia que cidade com 200 mil habitantes | Tecnoblog
  7. eldiario.es: Todos los programas de espionaje de la NSA desvelados por Snowden (espanhol)
  8. a b NYTimes.com: [4] Assista aqui - Em ingles - The National Security Agency’s Domestic Spying Program - NYTimes.com]
  9. a b Democracy Now!: Part 2: Thomas Drake and Jesselyn Radack on Obama Administration Crackdown on Whistleblowers | Democracy Now!
  10. commondreams.org: NSA Killed System That Sifted Phone Data Legally
  11. : NSA datamining pushes tech envelope
  12. [5] Phone records could end up at NSA’s Utah Data Center - The Salt Lake Tribune (inglês)