Choque cardiogênico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O choque cardiogênico caracteriza-se por um estado de baixa perfusão tecidual com adequado volume sanguíneo intravascular, devido à dificuldade na contração do músculo cardíaco, comprometendo o débito e o suprimento dos diversos tecidos. Constitui-se na manifestação mais grave de falência do ventrículo esquerdo (VE)

Etiologia[editar | editar código-fonte]

Tem diversas etiologias, relacionadas com falhas inotrópicas (alterações de força contrátil) ou cronotrópicas (alterações de ritmo), sendo a mais comum o Infarto Agudo do Miocárdio (IAM).

Algumas causas são:

  • Insuficiência coronariana
  • Arritmias
  • Valvulopatias
  • Trauma Miocárdico
  • Estágios terminais daSepse
  • Intoxicação, seja medicamentosa ou não.

Fisiopatologia[editar | editar código-fonte]

A isquemia miocárdica leva a uma deficiência na contratilidade cardíaca, causando um baixo débito, o que resulta em hipotensão e baixa perfusão sistêmica. É muito comum a associação com o IAM, onde já se tem área de necrose e a contratilidade está prejudicada. A hipoperfusão e o débito prejudicados levam a hipóxia e ao aparecimento de várias substâncias endógenas que debilitam ainda mais a função cardíaca, podendo levar a um aumento da área de necrose e aparecimento de arritmias. A função ventricular pode ser ainda mais prejudicada pelo desenvolvimento de mecanismos compensatórios que levam a um maior consumo de oxigênio.

Quadro Clínico[editar | editar código-fonte]

A maioria dos pacientes com choque cardiogênico está associada a um IAM. As manifestações clínicas do choque cardiogênico incluem:

Hipotensão Arterial
  • A Pressão Arterial(PA) depende do Débito Cardíaco e da Resistência Periférica (PA=DC x RP)
  • Os casos em que há elevação considerável da RP como resposta ao DC diminuído tem prognóstico ruim.
  • Os casos com discreta elevação ou normalidade da RP com diminuição leve ou moderada do DC tem melhor prognóstico.
    • Queda rápida e acentuada do índice cardíaco
    • Oligúria: diurese diminuída e inferior à 25ml/hora
    • Taquicardia, vasoconstrição periférica com palidez, cianose, sudorese, confusão mental, extremidades frias.

Fatores de Risco[editar | editar código-fonte]

  • Idade: Pacientes acima de 75 anos correm maior risco
  • Sexo Feminino
  • Diabetes mellitus
  • Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC)
  • Angina/IAM
  • Insuficiência Cardíaca Coronariana (ICO)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Bittencourt,M.G.; Neto, a.C.L.; Noskoski, C.L.; Protocolo para atendimento do choque cardiogênico HC/UFPR . Disponível em: http://www.hc.ufpr.br/acad/clinica_medica/cardiologia/protocolos/choquecardiogenico.pdf às 02:30 (6 de Fevereiro de 2007).
  2. Choque cardiogênico. Disponível em: http://paginas.terra.com.br/saude/fisioajuda/choquecard.htm às 3:00 (6 de Fevereiro de 2007).
  3. Knobel, E. Choque Cardiogênico. Arq Brás Cardiol. 1999; 72(4): 405-12.
  4. Choque cardiogênico. Disponível em: http://www.geocities.com/hotsprings/villa/9907/choquecar.htm às 3:20 (6 de Fevereiro de 2007).
Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.