Coqueiro Baixo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Coqueiro Baixo
Bandeira desconhecida
Brasão de Coqueiro Baixo
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 16 de abril
Fundação Não disponível
Gentílico coqueirense
Prefeito(a) Adélcio Domingos Sestari (PP)
(2009–2012)
Localização
Localização de Coqueiro Baixo
Localização de Coqueiro Baixo no Rio Grande do Sul
Coqueiro Baixo está localizado em: Brasil
Coqueiro Baixo
Localização de Coqueiro Baixo no Brasil
29° 10' 40" S 52° 05' 34" O29° 10' 40" S 52° 05' 34" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Centro Oriental Rio-grandense IBGE/2008[1]
Microrregião Lajeado-Estrela IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Nova Bréscia
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 112,322 km² [2]
População 1 528 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 13,6 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
PIB R$ 16 246,476 mil IBGE/2008[4]
PIB per capita R$ 10 090,98 IBGE/2008[4]
Página oficial

Coqueiro Baixo é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Sua população estimada em 2010 era de 1.528 habitantes.

É um município da Região Alta do Vale do Taquari, desmembrado do município de Nova Bréscia e Relvado, através da Lei Estadual n.º 10.765, de 16 de abril de 1996 e instalado em 1.º de janeiro de 2001.

História[editar | editar código-fonte]

O território que compõem hoje o Municipio de Coqueiro Baixo pertencia, inicialmente, aos Municipios de Arroio do Meio e Encantado.Não são conhecidas fontes seguras de dados sobre origem/história de fundação da comunidade de Coqueiro Baixo. Os dados mais antigos e confiáves,posto que vindos de testemunha ocular, provêm de relato do Sr. Vital Caumo (filho de Guglielmo Caumo e de Honorata Conzatti), o qual migrou de Garibaldi/RS para esta comunidade no dia 16/05/1916, juntamente com os pais.Vital tinha então 11 anos de idade.Segundo relata, os primeiros habitantes da região foram colonos de origem alemã que se estabeleceram na comunidade vizinha e atualmente conhecida como Três Reis; Conheceu algumas dessas famílias alemãs as quais ali se estabeleceram provavelmente antes do ano de 1900.Recorda que por volta do ano de 1925/1928 uma epedemia de febre tifóide vitimou famílias dessa colonia alemã; lembra a dificuldade de socorro as mesmas devido ao medo do contágio.Relata também, que antes da chegada dos primeiros colonos de origem Italiana,pelo menos duas famílias afro-brasileiras habitavam na várzea em frente a atual Igreja de Coqueiro Baixo, terra esta que pertence ou pertenceu ao Sr. João Baioco. Os primeiros colonos de origem Italiana aqui se estabeleceram por volta do ano de 1910, oriundos de Garibaldi-RS; Essas primeiras famílias foram: Battista Meneghetti, Angelo Meneghetti, Maximino Meneghetti, Angelo Cattoi, Marcelo Dal Bosco, Angelo Campiol, Angelo Manica( pai de Vicente Manica), Angelo Viecelli, Angelo Bagatini, Franz Peccini, Fausto Joppi, Mingo Secchi, Guglielmo Caumo (pai de Vital Caumo,Donato Caumo, Roberto Caumo,Balduino Caumo) e alguns anos depois,João Bagatini e Angelo Battisti ( Angelo Battisti migrou solteiro, vindo a casar posteriormente com Carolina Campiol, filha de Angelo Campiol). Relata que a primeira Igreja (construida em madeira) foi inaugurada no ano de 1918, no local onde hoje está a Igreja atual,sendo o terreno doado pelo Sr. Mingo Secchi. A primeira Escola primária iniciou suas atividades nas dependências dessa Igreja sendo a primeira professora a então Senhorita Genoveffa Gerevini ( filha de Battista Gerevini de Encantado-RS). Uma segunda Igreja ( em madeira também) foi erquida em 1927 no lugar onde se encontra o salão paroquial.A título de curiosidade relata que em Maio/1916 existiam duas casas de comércio, a saber: Casa Comercial de Fausto Joppi( na propriedade pertencente posteriormente a Oreste Bortoncello)e Casa Comercial de Mingo Secchi(na bifurcação da entrada para Três Reis).Existia também uma Ferraria de propriedade de Angelo Bagatini. Relata também que Franz Peccini(pai de João Peccini), então proprietário de grande quantidade de muares, fazia regularmente o transporte de produtos coloniais para Lajeado-RS.Relata também que o local era conhecido por Linha Coqueiros e que a denominação Coqueiro Baixo, deveu-se a necessidade de então, em distinguir as pequenas comunidades entre si, fazendo-se uso, por isso, dos adjetivos alto, baixo etc..; ( Relato do Sr. Vital Caumo de abril de 1990)

Demografia[editar | editar código-fonte]

A colonização italiana deixou marcas em todas as comunidades do município. Isso é percebido pelas edificações de igrejas e de vários capitéis religiosos que manifestam também a pelo catolicismo pregado até hoje pela maioria da população. As marcas da colonização também se manifestam na alimentação, no modo de falar, viver e principalmente nas diversões, destacando-se o Festival da Canção Italiana.

Educação[editar | editar código-fonte]

O município possui três escolas municipais de ensino fundamental, duas escolas municipais de educação infantil, além de quatro escolas estaduais de ensino fundamental. Além disso, auxilia os estudantes de ensino médio e universitário, uma vez que o município não possui esses níveis de ensino em seu território.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.