Cosmético

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2014)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Exemplos de produtos cosméticos.

Cosmético é aquilo que é relativo à beleza humana. Alguns produtos de higiene pessoal podem ser considerados cosméticos.

Substância ou tratamento aplicado à face ou a outras partes do corpo para alterar a aparência, para embelezar ou realçar o atractivo da pessoa. Tais preparados podem ser aplicados à pele, às unhas ou ao cabelo. A palavra portuguesa "cosmético" deriva da palavra grega kosmetikós, que significa "hábil em adornar". A moderna indústria de cosméticos fabrica uma vasta série de produtos e compreende diversas empresas com ramificações internacionais.

Há milhares de anos homens e mulheres utilizam cosméticos. Arqueólogos encontraram em túmulos egípcios de aproximadamente 3500 a.C. sinais do uso de pintura para os olhos e unguentos aromáticos.

Na Grécia Antiga, usavam-se óleos para banho e outros produtos de embelezamento, mas muitas mulheres sofriam de envenenamento por chumbo porque usavam máscaras faciais que continham esse metal. Na Roma Antiga, fabricavam-se pós para tornar a pele mais alva, carvão para delinear os olhos e pintar cílios e sobrancelhas, carmim para as faces, produtos abrasivos para clarear os dentes etc. Os óleos consumidos eram produtos naturais, como os que se obtinham do azeite de oliva; os perfumes, usados tanto por mulheres como por homens, extraíam-se de flores ou especiarias, com resinas naturais empregadas como fixadores.

Cosméticos para o rosto, tinturas para o cabelo, perfumes e sais de banho já eram utilizados na Europa durante a Idade Média. Atribui-se a Catarina de Médici a introdução do uso de perfumes na França. As civilizações orientais faziam amplo uso dos cosméticos, bem como os povos indígenas da América e da África.

No século XX, massificaram-se a produção e o uso de cosméticos, sobretudo graças ao aperfeiçoamento das embalagens e à promoção publicitária desses produtos. Entre as inovações da indústria de cosméticos destacam-se: o tubo descartável, em fins do século XIX, e os produtos químicos para ondulação dos cabelos, os xampus sem sabão, os laquês em aerossol, as tinturas de cabelo menos tóxicas, e a pasta de dentes com flúor, no século XX.

A fabricação de cosméticos e produtos de toalete não exige em geral vultoso investimento de capital, sendo alto o valor da mercadoria em relação ao custo de produção. Dentre os maiores produtores mundiais de cosméticos encontram-se os Estados Unidos e a França; esta se destaca sobretudo na produção de perfumes.

A legislação varia de país para país, mas como norma procura atender à segurança dos usuários. Os principais testes empregados são referentes à irritação de tecidos, danos à visão, toxicidade aguda e crônica, sendo esta última mais difícil de avaliar.

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]