Cultura da Estónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Desde sempre, a cultura da Estónia encontra-se na esfera da cultura europeia. Por exemplo, Tallinn (Reval, à época) foi, na Idade Média, a cidade mais oriental da Liga Hanseática.

Devido às diversas culturas que se sucederam em ocupações sucessivas, a Estónia desenvolveu uma cultura de particular tolerância e de respeito pelo estrangeiro, seja qual for o seu país ou a sua cultura. No país estão presentes várias minorias: os russos representam 25,7% da população, seguidos pelos ucranianos, com 2,1% da população; 1,2% da população é bielorrussa e 0,8% finlandesa... A importância da população russófona vem da ocupação soviética e da industrialização exagerada de que a Estónia foi alvo na época.

Cinema[editar | editar código-fonte]

A Estónia tem uma das mais baixas taxas de audiência cinematográfica no mundo[carece de fontes?] mas é bastante produtiva no que diz respeito a cinema de animação e documentários. Todos os anos, no Verão, há uma edição de um festival dedicado ao filme antropológico em Pärnu e, no Inverno, é organizado o Festival de Cinema das Noites Negras, em Talin.

Desporto[editar | editar código-fonte]

No desporto (esporte), a Estónia é uma nação que não se pode ignorar. O ciclista Jaan Kirsipuu conta com vitórias em várias etapas do Tour de France. Nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, a medalha de ouro do decatlo foi ganha por Erki Nool. Nos desportos de Inverno os atletas estónios são bastante produtivos, tendo conseguido três medalhas, uma de ouro, uma de prata, e outra de bronze em Salt Lake City. Nos desportos motorizados, Markko Märtin, em rali, ganhou várias provas ao volante do Ford Focus WRC e com o Peugeot 307 em 2003, 2004 e 2005.

Música[editar | editar código-fonte]

A música é indissociável da cultura nacional, sendo os estonianos chamados de "Povo cantante". O primeiro festival pan-estoniano de canto teve lugar em 1869 em Tartu, tendo-se reunido quase mil cantores e músicos vindos de todo o país. Hoje em dia, esta festa reúne trinta mil cantores e músicos, atingindo uma audiência de 200 000 pessoas[carece de fontes?]. Estas tradições serviram de inspiração em 1988 para a "Revolução cantante", e foi a cantar que a Estónia se libertou do jugo soviético. Em 2002, a Estónia foi o país anfitrião do festival da Eurovisão, após ter ganho a edição do ano anterior.

Teatro[editar | editar código-fonte]

Existem dois grandes teatros na Estónia: o teatro Estónia, em Talin, fundado em 1865, e o teatro Vanemuine, em Tartu, fundado em 1883. Em ambos, todos os registos são abordados.

Feriado[editar | editar código-fonte]

Feriados
Data Nome em português Nome local Observações
1 de janeiro Ano Novo Uusaasta
24 de fevereiro Dia da Independência Iseseisvuspäev
Sexta-feira móvel Sexta-Feira Santa Suur reede
1 de maio Dia do Trabalhador Kevadpüha
14 de junho Um dia nacional de comemoração Leinapäev
23 de junho Dia da Vitória Võidupüha
24 de junho Dia de São João Jaanipäev
20 de agosto Restauração Taasiseseisvumispäev
24 de dezembro Dia anterior ao Natal Jõululaupäev
25 de dezembro Natal 1. jõulupüha
26 de dezembro dia a seguir ao natal 2. jõulupüha

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Estonia stub.svg Estónia
História  •  Política  •  Subdivisões  •  Geografia  •  Economia  •  Demografia  •  Cultura  •  Turismo  •  Comunicações  •  Portal  •  Imagens
 


Ícone de esboço Este artigo sobre Cultura é um esboço relacionado ao Projeto Cultura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.