Da Lama ao Caos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Da lama ao caos)
Ir para: navegação, pesquisa
Da Lama ao Caos
Álbum de estúdio de Chico Science & Nação Zumbi
Lançamento Brasil Abril de 1994
Estados Unidos 13 de junho de 1995
Japão 1995
Gravação Estúdio Nas Nuvens, Rio de Janeiro-RJ, entre 1993 e janeiro de 1994
Gênero(s) Manguebeat
Funk metal
Punk rock
Duração Aprox. 50 minutos.
Idioma(s) (em português)
Formato(s) CD/LP
Gravadora(s) Chaos
Produção Liminha
Cronologia de Chico Science & Nação Zumbi
Último
Último
Afrociberdelia
(1996)
Próximo
Próximo
Singles de Da Lama ao Caos
  1. "Da Lama ao Caos"
    Lançamento: 1994
  2. "A Cidade"
    Lançamento: 1994
  3. "A Praieira"
    Lançamento: 1994
  4. "Samba Makossa"
    Lançamento: 1994
Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4.5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar half.svg [1]

Da Lama ao Caos é o primeiro álbum de estúdio da banda brasileira de Manguebeat Chico Science & Nação Zumbi, lançado em 1994. Considerado um verdadeiro clássico da música, apresentou um som revolucionário, com canções energéticas, e muito bem elaboradas, mesclando o Funk rock pesado com Embolada, maracatu, Psicodelia e a Música Afro. Além disso, foi o disco que inaugurou a cena Manguebeat e foi também um dos responsáveis pela "abertura de portas" para o rock dos anos 90 influenciando tudo que surgiria depois. Esse álbum está na lista dos 100 melhores discos da música brasileira na 13ª posição.

Gravações[editar | editar código-fonte]

Em 1993, o movimento manguebeat ganhou força e repercussão em todo o Brasil. Depois de alguns shows em Recife e apenas uma apresentação em São Paulo e em Belo Horizonte, o grupo assina contrato com a Sony Music, em julho do mesmo ano. A banda entra em estúdio pouco tempo depois no Nas Nuvens, no Rio de Janeiro, sob comando do experiente produtor Liminha. O produtor teve dificuldades iniciais por se tratar de um grupo que usava riffs de guitarra pesados, baixo no estilo Funk e percussão do maracatu, sem bateria, sem pratos. Em janeiro de 1994, o álbum já estava pronto, e foi lançado em Abril. O resultado foi de difícil assimilação de público e crítica no primeiro momento.

Liminha havia limpado o som da grupo, tendo frustrado alguns fãs, entusiastas da energia da banda ao vivo. Mesmo assim, "Da Lama ao Caos" progressivamente tomou espaço no cenário musical brasileiro, consolidando-se como um dos álbuns mais importantes do país. Os singles de sucesso, "A Cidade", ganha clipe, entrado na grade de exibição da MTV, pouco depois fazendo parte da trilha sonora da telenovela Global Irmãos Coragem e "A Praieira" vira trilha de Tropicaliente, ambas consequentemente tocando nas rádios.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  • Todas as faixas foram compostas por Chico Science, exceto onde indicado.

Versão CD[editar | editar código-fonte]

# Título Compositor(es) Duração
1. "Monólogo ao Pé do Ouvido"     1:07
2. "Banditismo por Uma Questão de Classe"     3:59
3. "Rios, Pontes & Overdrives"   Chico Science, Fred Zero Quatro 4:03
4. "A Cidade" (música incidental: "Boa Noite do Velho Faceta (Amor de Criança)")   4:46
5. "A Praieira"     3:36
6. "Samba Makossa"     3:03
7. "Da Lama ao Caos"     4:31
8. "Maracatu de Tiro Certeiro"   Chico Science, Jorge du Peixe 4:11
9. "Salustiano Song" (instrumental) Chico Science, Lúcio Maia 1:28
10. "Antene-se"     3:35
11. "Risoflora"     4:08
12. "Lixo do Mangue" (instrumental) Lúcio Maia 1:45
13. "Computadores Fazem Arte"   Fred Zero Quatro 3:13
14. "Côco Dub (Afrociberdelia)"     6:45

Versão LP[editar | editar código-fonte]

Lado A

# Título Compositor(es) Duração
1. "(Monólogo ao Pé do Ouvido)" (vinheta) / "Banditismo por uma Questão de Classe"     5:06
2. "Rios, Pontes & Overdrives"   Chico Science, Fred Zero Quatro 4:03
3. "A Cidade" (música incidental: "Boa Noite do Velho Faceta (Amor de Criança)")   4:46
4. "A Praieira"     3:36
5. "Samba Makossa"     3:03

Lado B

# Título Compositor(es) Duração
1. "Da Lama ao Caos"     4:31
2. "Maracatu de Tiro Certeiro"   Chico Science, Jorge du Peixe 4:11
3. "Salustiano Song" (instrumental) Chico Science, Lúcio Maia 1:28
4. "Antene-se"     3:35
5. "Risoflora"     4:08
6. "Lixo do Mangue" (instrumental) Lúcio Maia 1:45

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Chico Science & Nação Zumbi

Participações Especiais

  • André Jungmann - berimbau em "Maracatu de Tiro Certeiro"
  • Chico Neves - samplers em "Rios, Pontes & Overdrives", "A Cidade", "Samba Makossa", "Antene-se" e "Côco Dub (Afrociberdelia)"
  • Liminha - grito em "Lixo do Mangue"

Produção musical

  • Liminha - produtor, engenheiro de gravação, mixagem
  • Jorge Davidson - direção artística
  • Ronaldo Viana - coordenação de mixagem
  • Guilherme Calicchio - engenheiro de gravação
  • Vitor Farias - engenheiro de gravação
  • Renato Muñoz - assistente de estúdio
  • Ricardo Garcia - assessoria técnica
  • Alberto Fernandes - assessoria técnica
  • Steve Hall - masterização
  • Eddy Schreyer - masterização
  • Gravado e mixado no Estúdio Nas Nuvens, Rio de Janeiro-RJ
  • Masterizado na Future Disc, Oregon, EUA

Produção gráfica

  • Dolores & Morales - projeto gráfico
  • Fred Jordão - fotos
  • Luciana K - arte final
  • Helder - ilustrações, arte final
  • Hilton Lacerda - texto HQ, arte final
  • Cláudio Almeida - edição de imagens/textos, arte final
  • Estado da Arte - colaboração
  • João Belian - colaboração

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]