Disputa por pênaltis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Mais informações podem ser encontradas na página de discussão. Considere também a possibilidade de traduzir o texto das interwikis.

No futebol a disputa por pênaltis, ou grandes penalidades, é uma das formas mais comuns de decidir o vencedor de uma partida em caso de empate no tempo normal ou na prorrogação.

Após ser escolhido o lado do campo onde as cobranças serão efetuadas e a equipe vai começar as cobranças, cada treinador entrega ao juiz uma relação contendo cinco nomes do elenco seu time (podendo inclusive ter o goleiro entre eles), dentre os que terminaram em campo, pela ordem em que vão cobrar os pênaltis.

As cobranças são então realizadas de forma alternada e os pênaltis convertidos são contabilizados em um placar que nada tem a ver com o resultado do jogo até que uma das equipes tenha uma diferença que não pode ser tirada pela outra.

Ao final das cinco cobranças, caso a igualdade persista, é escolhido um jogador de cada equipe para bater de forma alternada. Essa situação persiste até que uma das equipes tenha vantagem sobre a outra e ambas já tenham batido o mesmo número de penaltis. Se o elenco todo já tiver cobrado, os jogadores podem cobrar mais uma vez, não necessariamente na mesma ordem.

Na disputa por pênaltis, assim como na cobrança de um pênalti durante o tempo regulamentar e prorrogação, o goleiro pode se mexer apenas sobre a linha abaixo das traves. Após a cobrança sera permitido o goleiro efetuar a alavanca com um dos pés para o lado ou diagonal ou saltar em qualquer direção.

Ao contrário do que ocorre no tempo normal de partida, o jogador que realiza a cobrança não pode pegar rebote da bola.

Os pênaltis convertidos não contam oficialmente como gols e o resultado da disputa de pênaltis serve apenas como critério de desempate para o campeonato, não alterando o resultado oficial do jogo - ou seja, um jogo que terminou empatado e foi decidido nos pênaltis oficialmente continua sendo um empate.

Foi empregada pela primeira vez na Copa Watney.

Alternativas[editar | editar código-fonte]

Atacante Defensor Goleiro (ADG) foi desenvolvido em 2008 por Timothy Farrell. O ADG inclui uma série de dez disputas em que um atacante tem trinta segundos para marcar um gol contra um defensor e um goleiro. Na conclusão de dez disputas, o time com mais gols vence a partida.[1]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]