Major League Soccer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Major League Soccer
MLS
Estados UnidosCanadá
Dados gerais
Organização United States Soccer Federation / Canadian Soccer Association
Edições 16
Local de disputa  Estados Unidos
 Canadá
Número de equipes 19
Sistema Playoffs
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

A Major League Soccer (MLS) é a liga principal de futebol dos Estados Unidos e do Canadá. É a primeira divisão profissional da United States Soccer Federation (USSF ou U.S. Soccer) e da Canadian Soccer Association, membro da Fédération Internationale de Football Association (FIFA).

A qualidade do jogo nos EUA melhorou desde que a liga foi fundada em 1996 resultando no sucesso da equipe nacional na Copa do Mundo de 2002 da FIFA, alcançando as quartas de finais pela primeira vez desde 1930. Muitos dos membros da seleção nessa Copa do mundo eram jogadores atuais ou anteriores da MLS.

História[editar | editar código-fonte]

Desde 1984 com o final da NASL (North America Soccer League) os Estados Unidos não tinham uma liga profissional de futebol reconhecida pela FIFA, até que em 17 de dezembro de 1993, cumprindo uma promessa da US Soccer se a Copa do Mundo de 1994 fosse nos Estados Unidos, era novamente fundada uma liga de futebol profissional nos Estados Unidos, a Major League Soccer. A liga começou em 1996 com dez equipes e teve bom público durante a primeira temporada, mas depois o número de espectadores diminuiu, ainda que tivesse se estabilizado nos últimos anos.

As primeiras equipes[editar | editar código-fonte]

As equipes originais eram divididas em dois grupos:

¹ Fundado como New York/New Jersey Metrostars ² Fundado como San Jose Clash

Expansão e mudanças[editar | editar código-fonte]

A liga se ampliava a 12 equipes em 1998, ao ser adicionado o Chicago Fire à conferência Oeste e o Miami Fusion à conferência Leste. O San Jose Clash passou a se chamar San José Earthquakes. Em 2000, a liga se reorganizou em conferências Leste, Central e Oeste; Chicago, Tampa Bay, Dallas e Columbus foram movidos à nova conferência central. Na temporada de 2001, as duas equipes da Flórida (Miami Fusion e Tampa Bay Mutiny) foram dissolvidas e a liga voltou a ser de dez equipes divididas em duas conferências, como era antes, mas com o Chicago Fire na conferência Leste.

Na temporada de 2004, a liga se ampliou outra vez, acrescentando o Real Salt Lake, de Salt Lake City, e o Chivas USA, que compartilha o estádio Home Depot Center com o Los Angeles Galaxy. As duas equipes novas foram colocadas na Conferencia Oeste, movendo Kansas City para o Leste. Em 2005, o San José Earthquakes se mudou para Houston e renomeado para Houston Dynamo. Mas outra franquia com o mesmo nome compartilhando a história dos Earthquakes foi instaurada na temporada de 2008.[1]


Em 9 de março de 2006, a multinacional de bebidas energéticas Red Bull comprou o MetroStars e rebatizou-o Red Bull New York.

Na temporada de 2007, uma nova ampliação. Pela primeira vez uma equipe do Canadá participa da liga: o Toronto FC. Eventualmente todas as três maiores cidades canadenses conseguiram times, com o Vancouver Whitecaps em 2011[2] e o Montreal Impact no ano seguinte.[3]

A expansão estadunidense garantiu franquias à Seattle - Seattle Sounders FC, fundado em 2009 após absorver a equipe e elenco de uma equipe homônima da NSL -,[18] [19] Filadélfia - Philadelphia Union, 2010 - [4] e Portland - Portland Timbers, 2011.

Foi confirmada a criação do New York City Football Club, a equipe pretende estrear na liga em 2015.[5] Ao contrário do Red Bulls, que joga em Nova Jersey, o novo time realmente teria partidas em Nova York. Há planos para construir um estádio em Flushing Meadows-Corona Park ou no Bronx, mas enquanto o impasse não é resolvido o New York F.C. usaria o estádio de beisebol Yankee Stadium.[6] Em 19 de novembro de 2013, foi confimada a entrada do Orlando City Soccer Club, até então da NASL, na MLS a partir de 2015.[7] Atlanta e Miami também tem equipes planejando sua entrada assim que tiverem estádios.[8] [9]

As mudanças de regras[editar | editar código-fonte]

Tratando de fazer o esporte mais "estadunidense", a MLS havia tentado algumas mudanças de regras nos primeiros anos.

  • O relógio, que conta 90 minutos no futebol internacional, na MLS contaria regressivamente e o relógio pararia nas situacões de bola parada. Quando o relógio marcasse 0:00, o tempo terminaria. Depois da temporada de 1999, esta regra foi abandonada a favor de um relógio normal.
  • A outra mudança era a definição por Shoot-Out, para resolver os jogos empatados. Se o jogo terminasse com um empate, uma situação similar à definição de penaltis ocorreria:
  • Um jogador receberia a bola a 35 metros do gol com cinco segundos para anotar. Como os penaltis, era uma competição com cinco tentativas para cada equipe. Se o resultado era todavia empate, haveria outra série de Shoot-Out'. A equipe que ganhasse recebia um ponto (a diferença de três pontos para uma vitória), a equipe que perdesse recebia zero.
  • Tristemente para a MLS, as mudanças de regras, especialmente a de Shoot-Out, não ganhava uma grande audiência entre o público estadunidense e de fato se ganhava a antipatia de alguns fãs tradicionais. O Shoot-Out saiu depois da temporada de 1999.
  • A MLS experimentava com o gol de ouro de 2000 a 2003, mas em 2004 parou o experimento, ao aplicar o modelo tradicional de definição das partidas.

Nomes das equipes[editar | editar código-fonte]

Originalmente, no mesmo estilo de outros esportes nos Estados Unidos, quando foram criados os times receberam nomes que eram apelidos, como Columbus Crew, San Jose Clash ou Tampa Bay Mutiny. DC United e Miami Fusion FC foram duas exceções que adotaram nomes mais tradicionais. No entanto, novos times como Real Salt Lake, Houston Dynamo e Toronto FC adotaram nomes similares a clubes europeus. Inclusive, dois times se rebatizaram nesse estilo, com o Dallas Burn virando em 2005 o FC Dallas, e em 2011 o Kansas City Wizards se tornando Sporting Kansas City.

A "Lei de Beckham"[editar | editar código-fonte]

Os jogadores que atuam na MLS têm um "teto salarial", o que garante não só o equilíbrio das finanças das equipes como também o equilíbrio entre as mesmas. Porém, em 2006, a MLS criou a Designated Player Law (Lei do Jogador Designado, em inglês), que permite que as equipes tenham em seu plantel um jogador acima desse "teto". Em 11 de janeiro de 2007, a equipe Los Angeles Galaxy anunciou a contratação milionária e bombástica do jogador - e estrela pop - David Beckham.[10] Estima-se que ele receberá 250 milhões de dólares por 5 anos de contrato, tornando-se assim, o desportista mais bem pago do mundo. Tendo sido o primeiro jogador contratado sob a Designated Player Law, esta passou a ser conhecida como Beckham Rule (em português, a Lei de Beckham). Beckham chegou ao Los Angeles Galaxy em 13 de julho[11] e fez sua estreia oficial em 21 de julho[12] em um amistoso contra a equipe britânica Chelsea.

Outras contratações de prestígio vieram: em 3 de abril, o Chicago Fire anunciou oficialmente a contratação do astro mexicano Cuauhtémoc Blanco[13] (que fez sua estreia em 22 de julho);[14] em 17 de abril, o Red Bull New York apresentou ao público o atacante colombiano Juan Pablo Ángel;[15] e no dia 19 de abril, o Columbus Crew anunciou a vinda para o seu plantel do grande artilheiro argentino Guillermo Barros Schelotto.[16] Em 24 de agosto, o FC Dallas anunciou oficialmente a contratação do brasileiro Denilson, campeão mundial com o Brasil na Copa do Mundo de 2002.[17] Em 28 de janeiro de 2008, foi a vez do craque argentino Marcelo Gallardo, contratado pelo DC United.[18] Em 10 de março de 2008, mais um argentino: Claudio López, novo contratado do Kansas City Wizards.[19] Em 28 de outubro de 2008, o Seattle Sounders FC contratou o craque sueco Fredrik Ljungberg.[20] Em 14 de julho de 2010, o Red Bull New York anunciou a principal contratação desde David Beckham, o craque francês Thierry Henry estava chegando vindo do Barcelona. Também vindo para o Red Bull New York, o zagueiro mexicano Rafael Márquez veio também do Barcelona.

Com essas contratações de impacto e de prestígio (principalmente de Beckham) espera-se não só aumentar o interesse e o público, mas, principalmente, também deixar um legado para o futebol nos EUA.

Superliga[editar | editar código-fonte]

Seguindo-se à criação da "Lei de Beckham", a MLS anunciou em conjunto com La Primera División del Futbol Mexicano (a primeira divisão do futebol mexicano) a criação de um torneio chamado Superliga Norte-Americana, mais conhecido por Superliga, que começou a ser disputado em 24 de julho de 2007.

O torneio contou com quatro times da MLS e quatro times do México que competiram por um prêmio de 1 milhão de dolares além do título de campeão da América do Norte.[21] O Los Angeles Galaxy chegou à decisão da primeira Superliga contra a equipe mexicana Pachuca. Apesar do bom desempenho da equipe da Califórnia, os mexicanos sagraram-se os primeiros campeões da primeira Superliga. O Houston Dynamo ficou em 3º e o DC United em 4º. Em 2008, o New England Revolution tornou-se a primeira equipe da MLS a conquistar essa competição, enquanto o Houston Dynamo ficou em 2º lugar. Em 2009, o Chicago Fire ficou em 2º lugar enquanto o campeão do ano anterior, o New England Revolution ficou na 3ª posição.

Série Mundial[editar | editar código-fonte]

Para ajudar a popularizar o futebol nos EUA, desde 2005 a MLS organiza a Série Mundial de Futebol, ou simplesmente Série Mundial, uma série de partidas de futebol entre as equipes de sua liga e as principais equipes de futebol do mundo. Já participaram da Série Mundial equipes de renome como o Chelsea, da Inglaterra; Milan, da Itália e Real Madrid e Barcelona da Espanha.

Campeonato Pan-Pacífico[editar | editar código-fonte]

A competição, iniciou-se em 20 de fevereiro de 2008. É organizada pela MLS; a J-League, a liga japonesa e a A-League, a liga australiana. É disputado por equipes da Austrália, Canadá, EUA, Japão e Nova Zelândia.

A primeira competição teve lugar em Honolulu, capital do Havaí, estado dos EUA. Os jogos foram realizados no Aloha Stadium. Pela MLS participaram o Houston Dynamo e o Los Angeles Galaxy, pela J-League, o Gamba Osaka e pela A-League o Sydney FC. O Gamba Osaka sagrou-se como o primeiro campeão do primeiro Campeonato Pan-Pacífico ao vencer o Houston Dynamo por 6x1. O Los Angeles Galaxy ficou em 3º lugar e o Sydney FC em 4º.

Campeonato Canadense[editar | editar código-fonte]

Organizada pela CONCACAF e pela Associação Canadense de Futebol, o Campeonato Canadense iniciou-se em 2008 e o Montreal Impact tornou-se o primeiro campeão, enquanto o Toronto FC sagrou-se vicecampeão. Em 2009, o Toronto FC não só conquistou seu primeiro título como tornou-se o primeiro time da MLS a vencer essa competição. Também venceu em 2010 e 2011. O Vancouver Whitecaps começou a participar do campeonato como equipe da MLS em 2011, quando foi vicecampeão. O Montreal Impact entrou na MLS em 2012, e no ano seguinte sagrou-se campeão canadense.

MLS All-Star[editar | editar código-fonte]

A exemplo de outras ligas esportivas de prestígio como a NBA (basquetebol), a MLS também tem o seu "jogo das estrelas", conhecido como MLS All-Star.

MLS Extra Time[editar | editar código-fonte]

A MLS possui seu próprio programa de TV que é transmitido pela internet e se chama MLS Extra Time. O programa é apresentado por dois ex-futebolistas: Greg Lalas e Shep Messing.

Equipes[editar | editar código-fonte]

Major League Soccer club locations 2012.png

Notas
  1. Não é um estádio exclusivo para futebol
  2. Será substituído por um estádio exclusivo para futebol

Equipes extintas[editar | editar código-fonte]


Formato da liga[editar | editar código-fonte]

Temporada regular[editar | editar código-fonte]

Disputada entre os meses de março e outubro, onde todos os clubes se enfrentam entre si em jogos de ida e volta. Cada equipe joga 34 vezes, 17 em casa e metade fora, a maior parte contra equipes de sua conferência. A pontuação é dividida entre a da Conferência, para determinar classificados para a segunda fase, e geral, com o time mais bem-sucedido na temporada regular vencendo o MLS Supporters' Shield.[22]

Playoffs[editar | editar código-fonte]

Disputado entre os meses de outubro e novembro em jogos de ida e volta. Cinco times de cada Conferência se classificam, em cruzamento olímpico - segundo e terceiro lugares jogam entre si, enquanto o primeiro lugar enfrenta o vencedor de um jogo único entre o quarto e quinto - com o time melhor classificado sediando o jogo de volta.[22]

MLS Cup[editar | editar código-fonte]

Disputada em novembro em jogo único em uma sede pré definida entre os campeões de Leste e Oeste.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Ano MLS Cup MLS Supporters' Shield U.S. Open Cup *
1996 DC United Tampa Bay Mutiny ** DC United
1997 DC United DC United Dallas Burn***
1998 Chicago Fire Los Angeles Galaxy Chicago Fire
1999 DC United DC United Rochester Raging Rhinos****
2000 Kansas City Wizards***** Kansas City Wizards***** Chicago Fire
2001 San José Earthquakes Miami Fusion** Los Angeles Galaxy
2002 Los Angeles Galaxy Los Angeles Galaxy Columbus Crew
2003 San José Earthquakes Chicago Fire Chicago Fire
2004 DC United Columbus Crew Kansas City Wizards*****
2005 Los Angeles Galaxy San José Earthquakes Los Angeles Galaxy
2006 Houston Dynamo DC United Chicago Fire
2007 Houston Dynamo DC United New England Revolution
2008 Columbus Crew Columbus Crew DC United
2009 Real Salt Lake Columbus Crew Seattle Sounders FC
2010 Colorado Rapids Los Angeles Galaxy Seattle Sounders FC
2011 Los Angeles Galaxy Los Angeles Galaxy Seattle Sounders FC
2012 Los Angeles Galaxy San Jose Earthquakes Sporting Kansas City
2013 Sporting Kansas City New York Red Bulls D.C. United

* A partir de 1996, quando as equipes da MLS começaram a participar.

** Extinto.

*** Atual FC Dallas.

**** Não pertence à MLS, mas sim à USL 1st Division.

***** Atual Sporting Kansas City


Por equipe
Time Conferência MLS Cup MLS Supporters' Shield U.S. Open Cup *
DC United (Washington DC) Leste 4 (1996, 1997, 1999, 2004) 4 (1997, 1999, 2006, 2007) 3 (1996, 2008, 2013)
L.A. Galaxy (California) Oeste 4 (2002, 2005, 2011, 2012) 4 (1998, 2002, 2010, 2011) 2 (2001, 2005)
S.J. Earthquakes (California)* Oeste 2 (2001, 2003) 2 (2005, 2012)
Houston Dynamo (Texas)* Oeste 2 (2006, 2007)
Sporting Kansas City (Missouri)** Leste 2 (2000, 2013) 1 (2000) 2 (2004, 2012)
Chicago Fire (Illinois) Leste 1 (1998) 1 (2003) 4 (1998, 2000, 2003, 2006)
Columbus Crew (Ohio) Leste 1 (2008) 3 (2004, 2008, 2009) 1 (2002)
Real Salt Lake (Utah) Oeste 1 (2009)
Colorado Rapids (Colorado) Oeste 1 (2010)
Tampa Bay Mutiny (Florida)*** Leste 1 (1996)
Miami Fusion (Florida)*** Leste 1 (2001)
New York Red Bulls (New York) Leste 1 (2013)
Seattle Sounders FC (Washington) Oeste 3 (2009, 2010, 2011)
FC Dallas (Texas) Oeste 1 (1997)****
New England Revolution (Massachusetts) Leste 1 (2007)

* A estrutura (time, dirigentes e comissão técnica) do San José Earthquakes se mudou para Houston e passou a se chamar Houston Dynamo. Porém a franquia San José Earthquakes foi reativada em 2008.

**Até 2010 se chamava Kansas City Wizards.

***Equipes extintas.

**** Como Dallas Burn

Por conferência
Conferência MLS Cup MLS Supporters' Shield U.S. Open Cup *
Leste 8 (1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2004, 2008, 2013) 12 (1996, 1997, 1999, 2000, 2001, 2003, 2004, 2006, 2007, 2008, 2009, 2013) 11 (1996, 1998, 2000, 2002, 2003, 2004, 2006, 2007, 2008, 2012, 2013)
Oeste 10 (2001, 2002, 2003, 2005, 2006, 2007, 2009, 2010, 2011, 2012) 6 (1998, 2002, 2005, 2010, 2011, 2012) 6 (1997, 2001, 2005, 2009, 2010, 2011)

Artilheiros da MLS[editar | editar código-fonte]

* Atual FC Dallas.

Maiores artilheiros[editar | editar código-fonte]

3 vezes[editar | editar código-fonte]

2 vezes[editar | editar código-fonte]

1 vez[editar | editar código-fonte]

Recorde de artilharia[editar | editar código-fonte]

Artilheiros por país[editar | editar código-fonte]

13 vezes[editar | editar código-fonte]

2 vezes[editar | editar código-fonte]

1 vez[editar | editar código-fonte]

Artilheiros por equipe[editar | editar código-fonte]

4 vezes[editar | editar código-fonte]

3 vezes[editar | editar código-fonte]


*como Dallas Burn

2 vezes[editar | editar código-fonte]

1 vez[editar | editar código-fonte]

Artilheiros por continente[editar | editar código-fonte]

América do Norte[editar | editar código-fonte]

  • 19 vezes

América do Sul[editar | editar código-fonte]

  • 3 vezes

África[editar | editar código-fonte]

  • 1 vez

Média de público[editar | editar código-fonte]

Temporada regular / playoffs[editar | editar código-fonte]

  • 1996: 17,406 / 17,673
  • 1997: 14,619 / 16,015
  • 1998: 14,312 / 17,885
  • 1999: 14,282 / 16,339
  • 2000: 13,756 / 10,274
  • 2001: 14,961 / 11,805
  • 2002: 15,821 / 13,872
  • 2003: 14,899 / 13,776
  • 2004: 15,559 / 13,954
  • 2005: 15,108 / 14,390
  • 2006: 15,504 / 15,179
  • 2007: 16,770 / 20,107
  • 2008: 16,460 /
  • 2009: 16,037
  • 2010: 16,675
  • 2011: 17,872
  • 2012: 18,807 / 22,356

Público da MLS Cup (final)[editar | editar código-fonte]

Média de todos os anos (até 2007)
37,248

^: todos os ingressos vendidos

Desempenho das equipes da MLS em competições internacionais[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Copa Interamericana

Copa dos Campeões da CONCACAF

Superliga

Campeonato Canadense

* Os resultados do Montreal Impact como equipe da MLS são considerados a partir de 2012.

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Liga dos Campeões da CONCACAF

* Dividido entre ambas as equipes.

Copa dos Gigantes da CONCACAF

Superliga

Campeonato Pan-Pacífico

Copa Sul-Americana

Campeonato Canadense

* Os resultados do Vancouver Whitecaps como equipe da MLS são considerados a partir de 2011.

** Os resultados do Montreal Impact como equipe da MLS são considerados a partir de 2012.

Copa do Mundo de Clubes da FIFA[editar | editar código-fonte]

Ao vencer a Copa dos Campeões da CONCACAF em 2000, o Los Angeles Galaxy ganhou o direito de disputar o Mundial de Clubes da FIFA de 2001. Porém, com a falência da ISL, empresa de marketing esportivo que, na ocasião, era parceira da FIFA, o campeonato foi cancelado e o Galaxy perdeu a chance de ser a primeira equipe estadunidense e da MLS a participar dessa competição.[23] Depois disso, as equipes da MLS não tiveram, até o momento, oportunidade de participar da Copa do Mundo de Clubes da FIFA.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]